Resíduos Sólidos Urbanos como Sistema de Sustentabilidade em Maringá – PR

Selson Garutti, Zenaide Castilho dos Santos

Resumo


Poucos municípios investem no tratamento dos resíduos urbanos, na conscientização da população, em programas de reciclagem seletiva e em compostagem. Minorias utilizam instrumentos econômicos, exemplo, o ICMS ecológico ou cobranças nas taxas de IPTU. Assim, este artigo tem como objetivo principal discutir como a destinação correta de resíduos sólidos urbanos pode promover a sustentabilidade. Nota-se que é possível alcançar este objetivo praticando simples medidas ambientais. Ainda nesse artigo serão apontadas medidas ambientais para a redução de resíduos sólidos urbanos em área de lixão e aterros sanitários, será analisado como o município de Maringá pode interferir na conscientização da população e, feita a verificação, se a cidade de Maringá utiliza algum instrumento econômico para viabilizar o tratamento dos resíduos sólidos urbanos. Lembrando-se de que a redução de resíduos sólidos urbanos em área de lixão e aterros sanitários pode ser alcançada através de parcerias entre o município e a população juntamente com associações ou cooperativas de catadores de materiais recicláveis, contribui-se para a redução de gasto dos recursos não-renováveis e renováveis, despertando na população maior interesse em uma questão ambiental que pode desencadear uma série de ações voltadas à preservação ambiental.

Palavras-chave


Resíduos Sólidos Urbanos; Desenvolvimento Sustentável; Coleta Seletiva.

Texto completo:

Artigo_Pdf


Revista em Agronegócio e Meio Ambiente


Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 2176-9168 On-line
ISSN 1981-9951 Versão impressa interrompida em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.