OS EFEITOS DOS SISTEMAS DE AUTORREGULAÇÃO PARA A COORDENAÇÃO DA CADEIA PRODUTIVA DO CAFÉ

Marcello Nicoleli, Antônio Carlos dos Santos

Resumo


O agronegócio café no Brasil sofreu transformações significativas a partir do processo de desregulamentação do mercado cafeeiro, ocasião em que o amparo estatal foi substituído por um sistema de autorregulação adotado pelos produtores. Tais sistemas têm nas certificações o meio de estabelecer os parâmetros com os quais o café deve ser produzido e comercializado, alinhados com os novos padrões de exigência que são observados no mercado global. No entanto, a existência de inconsonâncias dos sistemas de autorregulação criou uma estrutura de governança mais sofisticada e de complexa coordenação. Aplicando uma pesquisa qualitativa através de dados secundários e primários, este trabalho procura investigar os efeitos que essa nova abordagem reflete na coordenação dessa cadeia produtiva. No contexto dos resultados encontrados, é constatado que a cafeicultura necessita desenvolver novos mecanismos de coordenação, com vistas a uma integração de dados e compartilhamento de informações entre os elos da cadeia.

Palavras-chave


Café; Certificação; Governança; Regulação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2017v10n1p25-48

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1981-9951 Impressa
ISSN 2176-9168 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.