OS DESAFIOS DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA BRASILEIRA DIANTE DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Roger Augusto Luna, Fernando Luiz Emerenciano Viana

Resumo


Produtos farmacêuticos são amplamente utilizados pela população, porém, a devida atenção ao processo de retorno de seus resíduos não são tratados de forma adequada, abrindo espaço para que ocorram impactos ambientais devido a isto. Este artigo tem como objetivo de analisar a influência da Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS) na logística reversa da indústria farmacêutica de medicamentos com uso domiciliar, constituindo um estudo qualitativo de caráter descritivo, que envolveu a realização de entrevistas com os gestores de empresas fabricantes de medicamentos, além de análise documental das leis em vigor sobre o tema. Os resultados indicam que a indústria farmacêutica ainda não está adequadamente preparada para atender ao que está estabelecido na PNRS, embora já exista uma articulação com seu sindicato de classe para que isto ocorra em breve.

Palavras-chave


Logística reversa; Medicamentos de Uso Doméstico; Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS)

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2017v10n1p167-190

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1981-9951 Impressa
ISSN 2176-9168 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.