O Esquecimento do Humano: como a Indolência da Sociedade Brasileira Compromete a Efetividade dos Direitos Humanos Fundamentais

Dennis Verbicaro Soares

Resumo


A análise em questão visa a demonstrar que a opção da sociedade brasileira por uma apatia cívica tem comprometido a efetividade dos direitos humanos, na medida em que tal comportamento desvirtua a essência do próprio regime democrático. Ao se acomodar em uma liberdade negativa, a sociedade reforça o matiz abstencionista do Estado Liberal que, muitas vezes, produz mal-estar social. Uma cidadania débil faz o indivíduo confiar demasiadamente na representação política, distanciando-o do instinto de sociabilidade, uma das alternativas da pós-modernidade para emancipá-lo da regulação de poder que o debilitou ao longo dos dois últimos séculos. Não se pode desperdiçar as lições da experiência, ceder a um fatalismo político e não romper com esse estado de indolência tão prejudicial ao exercício dos direitos humanos fundamentais.

Palavras-chave


Indolência social e política; Cidadania enfraquecida; Emancipação; Direitos Humanos; Efetividade; Political and social indolence, weakened citizenship; emancipation, human rights, effectiveness; Desgana social y política; Ciudadanía fragilizada.

Texto completo:

Artigo_Pdf


Indexado
REDIB; Sumários.Org; DOAJ; Ulrich’s International Periodicals Directory; Latindex; RVBI; ROAD; OCLC WorldCat

Revista Jurídica Cesumar - Mestrado
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9184 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br


ISSN 1677-6402 Versão impressa interrompida em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.