<b>Entomofauna Associada À Cultura Da Soja (Glycine max (L.) MERRIL) (FABACEAE) Conduzida Em Sistema Orgânico

  • Eliane Carneiro Universidade Paranaense - UNIPAR
  • Claucia Cuzzi Universidade Paranaense - UNIPAR
  • Simone Link Universidade Paranaense - UNIPAR
  • Andréia Vilani Universidade Paranaense - UNIPAR
  • Cristina Sartori Universidade Paranaense - UNIPAR
  • Sideney Becker Onofre Universidade Paranaense - UNIPAR
Palavras-chave: Inimigos Naturais, Parasitóides, Predadores, Controle Biológico.

Resumo

Os inimigos naturais são de grande importância para a agricultura sustentável e podem, frequentemente, substituir ou reduzir a utilização de agrotóxicos, sendo um importante componente no manejo ecológico de pragas. A tendência do uso do controle biológico de pragas é aumentar consideravelmente no âmbito global, atendendo às demandas internacionais na utilização de práticas agrícolas menos agressivas ao meio ambiente. Nesse sentido, este trabalho monitorou uma lavoura da soja de cultivo orgânico, objetivando caracterizar os insetos pragas, predadores e parasitóides, bem como isolar, purificar e identificar fungos entomopatogênicos com potencialidade de serem utilizados em um programa de controle biológico. Os principais insetos pragas encontrados foram: Anticarsia gemmatalis, Chrysodeixis includens, Agrotis ipsilon, Epinotia aporema, Lagria villosa, Diabrotica speciosa, Nezara veridula, Piezodorus guildini, Euchistus heros e Dysdercus sp. Os predadores observados foram: Cycloneda sanguinea, Podisus nigrispinus, Podisus connexivus, Callida sp., Geocoris sp., Nabis sp., Chrysoperla externa e Lebia concina. Os parasitóides identificados foram: Trissolcus basalis, Trichogramma pretiosum, Eutrichopodopsis nitens, Hexacladia smithii, Ophion flavidus, e Trichogramma atopovirilia. Neste trabalho, também foram isolados e identificados os fungos Nomureae rileyi e Beauveria bassiana. Após os estudos realizados, foi possível concluir que a lavoura de soja cultivada em sistema orgânico mantém um ambiente capaz de manter populações de insetos-pragas, predadores e parasitóides.

Biografia do Autor

Eliane Carneiro, Universidade Paranaense - UNIPAR
Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – PIBIC; Discente do curso de Ciências Biológicas da Universidade Paranaense – UNIPAR. E-mail: elian.cbs@hotmail.com
Claucia Cuzzi, Universidade Paranaense - UNIPAR
Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – PIBIC; Discente do curso de Ciências Biológicas da Universidade Paranaense – UNIPAR. E-mail: claucia_biologa@hotmail.com
Simone Link, Universidade Paranaense - UNIPAR
Vinculada ao Programa de Iniciação Científica – PIC; Discente do curso de Ciências Biológicas da Universidade Paranaense – UNIPAR. E-mail: mymonne@yahoo.com.br
Andréia Vilani, Universidade Paranaense - UNIPAR
Vinculada ao Programa de Iniciação Científica – PIC; Discente do curso de Ciências Biológicas da Universidade Paranaense – UNIPAR. E-mail: andreiavilani@yahoo.com.br
Cristina Sartori, Universidade Paranaense - UNIPAR
Vinculada ao Programa de Iniciação Científica – PIC; Discente do curso de Ciências Biológicas da Universidade Paranaense – UNIPAR. E-mail: crika_8@yahoo.com.br
Sideney Becker Onofre, Universidade Paranaense - UNIPAR
Díologo, Especialista em Biologia Celular e Molecular, Mestre em Biotecnologia, Doutor em Processos Biotecnológicos e Pós-doutor em Impactos Ambientais. Atualmente é Prof. Titular da Universidade Paranaense - UNIPAR - Campus de Francisco Beltrão - PR.
Publicado
2010-03-11
Seção
Meio Ambiente