<b>Desenvolvimento de Indicador de Qualidade de Áreas Verdes Urbanas (IQAVU) e Aplicação em Cidades Paranaenses

  • Máriam Trierveiler Pereira Instituto Federal do Paraná - IFPR Câmpus Umuarama
  • Marcelino Luiz Gimenes Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Frederico Fonseca da Silva Instituto Federal do Paraná - IFPR Câmpus Curitiba
  • Odacir Antonio Zanatta Instituto Federal do Paraná - IFPR CÂmpus Umuarama
Palavras-chave: Icms Ecológico, Vegetação Urbana, Qualidade Ambiental

Resumo

A vegetação tem várias funções nobres em uma cidade, como, por exemplo, regular a temperatura, manter a umidade relativa do ar, promover sombra fresca, diminuir a poluição atmosférica, preservar ecossistemas terrestres e aquáticos, favorecer momentos de lazer e recreação, amenizar a paisagem urbana, entre outros. Em vista da importância do tema, objetivou-se desenvolver um Indicador de Qualidade de Áreas Verdes Urbanas (IQAVU) com base nos dados do ICMS Ecológico e aplicá-lo a 16 cidades do Paraná, de 2000 a 2008. O IQAVU foi composto por três subindicadores: Indicador de Áreas Verdes (IAV), Indicador de Porcentagem de Área Verde (IPAV), e Indicador de Arrecadação com ICMS Ecológico (IAIE). Entre 2000 e 2008, apenas Pinhais manteve uma excelente qualidade de áreas verdes e Curitiba apresentou uma boa qualidade. Na maior parte do período, Araucária e Apucarana tiveram como resultado uma qualidade ruim de áreas verdes e as demais cidades se mantiveram com péssima qualidade de áreas verdes. Os resultados podem indicar que, em geral, as áreas verdes urbanas são tratadas com descaso na gestão pública, pois não são cadastradas no órgão ambiental e isso faz com que as cidades obtenham índices menores com a metodologia.

Biografia do Autor

Máriam Trierveiler Pereira, Instituto Federal do Paraná - IFPR Câmpus Umuarama
Mestre em Engenharia Ambiental e Doutoranda em Engenharia Química pela Universidade Estadual de Maringá – UEM/PR; Curso técnico em Controle Ambiental do Instituto Federal do Paraná – IFPR, Campus de Umuarama/PR; Engenheira Civil; E-mail: mariam.pereira@ifpr.edu.br.
Marcelino Luiz Gimenes, Universidade Estadual de Maringá - UEM
Pós-doutor em Engenharia Química pelo Departamento de Engenharia Química da Universidade Estadual de Maringá - UEM/PR;. Engenheiro Químico; E-mail: marcelino@uem.deq.br.
Frederico Fonseca da Silva, Instituto Federal do Paraná - IFPR Câmpus Curitiba
Doutor em Irrigação e Meio Ambiente, Curso técnico em Agroecologia do Instituto Federal do Paraná – IFPR, campus Curitiba/PR; Engenheiro Agrônomo; E-mail: frederico.silva@ifpr.edu.br.
Odacir Antonio Zanatta, Instituto Federal do Paraná - IFPR CÂmpus Umuarama
Doutor em Agronomia; Diretor de Ensino no Instituto Federal do Paraná IFPR, campus Umuarama/PR; Engenheiro Agrônomo; E-mail: odacir.zanatta@ifpr.edu.br.
Publicado
2011-10-31
Seção
Meio Ambiente