<b>Estudo sobre o Reaproveitamento dos Dejetos de Suínos na Bacia do Rio Sangão - Santa Catarina

  • Serafim Bitencourt Gustavo UNESC
  • Leopoldo Pedro Guimarães Filho UNESC - Universidade do Extremo Sul Catarinense
Palavras-chave: Suinocultura, Dejetos de Suínos, Tratamento, Reaproveitamento dos Dejetos

Resumo

Esse trabalho tem o objetivo estudar a situação dos suinocultores na região da Bacia do Rio Sangão, nos municípios de Jaguaruna e Sangão, perante a legislação ambiental. Além disso, o estudo busca identificar as maneiras como os produtores armazenam, tratam e disponibilizam os seus dejetos. Para isso foram entrevistados sete produtores de suínos da região. Com essa pesquisa verificou-se que a maioria não tem licença ambiental e que destina os dejetos em pastagens e lavouras em sua propriedade ou vizinhas. Um dos fatores que dificulta a produção de suínos, além das Áreas de Preservação Permanentes (APP), é o descarte de dejetos e o consumo excessivo de água e energia. Observou-se que os produtores sem licença ambiental querem obtê-la, mas a principal dificuldade encontrada não é a licença propriamente dita e, sim, investimento em infraestrutura que a legislação exige. O estudo propõe a coleta dos dejetos para um só lugar, para que os dejetos possam ser tratados e transformados em outros produtos como energia, biogás, ou até mesmo constituir um projeto de Credito de Carbono. Deste modo os subprodutos originados dos dejetos, além de aumentar rentabilidade da atividade, diminuirão os impactos ao meio ambiente.

Biografia do Autor

Serafim Bitencourt Gustavo, UNESC
Bacharel em Administração de Empresas pela Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC; E-mail: gustavoserafim89@hotmail.com
Leopoldo Pedro Guimarães Filho, UNESC - Universidade do Extremo Sul Catarinense
Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC; Docente da Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC; E-mail: lpg@unesc.net
Publicado
2012-07-12
Seção
Meio Ambiente