<b>Efeitos da Aplicação de Água Residuária de Fecularia de Mandioca no Solo e na Cultura do Sorgo

  • Frederico Fonseca da Silva Cesumar
  • Paulo Sérgio Lourenço Freitas UEM
  • Altair Bertonha UEM
  • Antônio Saraiva Muniz UEM
Palavras-chave: Impacto ambiental, Nutrientes, Fertirrigação, Environmental Impact, Nutrients, Fertirrigation.

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo avaliar o comportamento da cultura do sorgo submetida a doses de águas residuárias de fecularia de mandioca. Realizou-se o presente trabalho no Centro Técnico de Irrigação da Universidade Estadual de Maringá. As amostras da água residuária foram coletadas na última lagoa, a uma profundidade não superior a 0,50m. Utilizaram-se lisímetros de 1,0m3 de volume e 2,0m2 de área, aplicados em uma cultura de sorgo. O experimento constou de três tratamentos, em seis repetições, utilizando o delineamento blocos ao acaso. Os tratamentos consistiram na aplicação de doses de 150, 450 e 900m3 ha-1 por ano de águas residuárias. A água residuária de fecularia de mandioca supriu as necessidades nutricionais exigidas pelo sorgo para o seu pleno desenvolvimento e produção de massa verde (ou massa seca), com resposta positiva em crescimento até a dose máxima adicionada de 450m3 ha-1, e com exceção para a variável folhas senescentes, elemento que, quando analisado em comparação com os demais, apresentou correlação negativa. Houve um efeito fertilizante da água residuária, avaliado pelo crescimento da cultura do sorgo em relação aos macronutrientes pelo aumento do potássio.

Biografia do Autor

Frederico Fonseca da Silva, Cesumar
Docente Doutor e Coordenador de Cursos de Pós-Graduação no Centro Universitário de Maringá – CESUMAR, Engenheiro Agrônomo.
Paulo Sérgio Lourenço Freitas, UEM
Docente do Departamento de Agronomia da Universidade Estadual de Maringá - UEM.
Altair Bertonha, UEM
Docente do Departamento de Agronomia da Universidade Estadual de Maringá - UEM.
Antônio Saraiva Muniz, UEM
Docente do Departamento de Agronomia da Universidade Estadual de Maringá - UEM.
Publicado
2008-08-13
Seção
Meio Ambiente