Aspectos Históricos do Desenvolvimento da Piscicultura no Nordeste Paraense: Trajetória do Protagonismo à Estagnação

Marcos Ferreira Brabo, Leandro de Araújo Ferreira, Galileu Crovatto Veras

Resumo


Este estudo teve o objetivo de analisar os aspectos históricos do desenvolvimento da piscicultura na mesorregião Nordeste do Estado do Pará. Realizou-se um levantamento nos registros de instituições públicas e em acervos particulares de atores sociais que vivenciaram a trajetória da atividade, bem como foram efetuadas 30 entrevistas com profissionais e piscicultores no período de janeiro a dezembro de 2014. Constatou-se que as primeiras experiências ocorreram em Santa Izabel do Pará na década de 1970, município que atualmente compõe a região metropolitana de Belém, mas a atividade passou a ser exercida comercialmente apenas na década de 1980, com a capacitação de extensionistas rurais para orientar os produtores e a construção da Estação de Piscicultura Orion Nina Ribeiro, em Terra Alta, para incrementar a oferta de formas jovens. A década de 1990 foi marcada pelo início da utilização de rações específicas para peixes e pelo advento da piscicultura em tanques-rede, últimos fatos relevantes no contexto produtivo. Apesar de ter sido uma das regiões pioneiras na Amazônia, o Nordeste paraense perdeu a vanguarda produtiva e tecnológica da piscicultura, principalmente pela escassez ou ineficiência de políticas públicas capazes de fortalecer sua cadeia de produção.

Palavras-chave


Aquicultura; Avanços tecnológicos; Cadeia produtiva; Criação de peixes

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2016v9n3p595-615

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente


Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 2176-9168 On-line
ISSN 1981-9951 Versão impressa interrompida em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.