CARACTERIZAÇÃO DE BIOMASSA RESIDUAL DE FÁBRICA DE PAPEL-CARTÃO PARA APROVEITAMENTO ENERGÉTICO

Waldir Nagel Schirmer, Italo Tadeu Machado Ferreira, Camilo Bastos Ribeiro, Guilherme Pozzobom Pavanello, Gilmara de Oliveira Machado, Paulo Rogério Pinto Rodrigues

Resumo


Um dos problemas da indústria de papel e celulose é a disposição de resíduos sólidos em aterros industriais, pela escassez de áreas disponíveis para esta finalidade e ao impacto ambiental gerado. Uma das formas de avaliar o potencial energético de materiais celulósicos residuais é pela determinação do seu poder calorífico. Esta pesquisa teve como objetivo caracterizar os resíduos celulósicos de uma fábrica de papel-cartão por análise imediata e análise elementar, para estimar o poder calorífico e avaliar o potencial de aproveitamento energético na combustão misturada com cavacos na fornalha de caldeira. Foram analisados os combustíveis normalmente queimados na caldeira de biomassa para geração de vapor: cavacos de madeira de pinus, cascas de madeira de pinus e os resíduos gerados na fabricação de papel-cartão: fibras e fiapos de madeira da fabricação de pasta mecânica de madeira, fibras da estação de tratamento de efluentes - ETE e cinzas da caldeira. Os resíduos celulósicos fibras da ETE, fibras e fiapos de madeira apresentaram potencial para utilização energética, desde que submetidos a processo de secagem para redução da umidade e aumentar o poder calorífico. As cinzas da caldeira tem poder calorífico residual podendo ser reaproveitadas na combustão com cavacos de madeira.

Palavras-chave


Energia renovável; Secagem; Sustentabilidade

Texto completo:

PDF

Referências


ADEKIIGBE, A. Determination of Heating Value of Five Economic Trees Residue as a Fuel for Biomass Heating System. Nature and Science, v. 10, n. 10, p. 26 – 29, 2012. Nigeria. Disponível em: . Acesso em: 21 dez. 2015.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. NBR – 8112/86. Carvão Vegetal - Análise Imediata. Rio de Janeiro, Outubro 1986. 6 p.

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES (Coord). Bioetanol de cana-de-açuçar: energia para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: BNDES, 2008. 316 p.

BASU, P. Biomass gasification and pyrolysis: practical design and theory. USA: Elsevier: 364 p., 2010.

BRITO, J. O. Expressão da produção florestal em unidades energéticas. In: Congresso Florestal Panamericano, 1., Congresso Florestal Brasileiro, 7., 1993, Curitiba, Anais...Curitiba: Sociedade Brasileira de Silvicultura, 1993, p. 280-282.

CHEN Z.Y.; PERSSON D.; LEYGRAF, C. Initial NaCl-particle induced atmospheric corrosion of zinc—Effect of CO2 and SO2. Corrosion Science, v. 50, p. 111-123, 2008.

COUTO, L. C.; COUTO, L.; WATZLAWICK, L. F.; CÂMARA, D. Vias de valorização energética da biomassa. Biomassa e Energia, v.1, n. 1, p. 71-92, 2004.

DOAT, J. Le pouvoir calorifique des bois tropicaux. Revue Bois Forêsts des Tropiques, n. 172, p. 33-48, 1977.

GONÇALVES, J. E.; SARTORI, M. M. P; LEÃO, A. L Energia de briquetes produzidos com rejeitos de resíduos sólidos urbanos e madeira de Eucalyptus grandis. In: Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 13, n. 5, p. 657-661, 2009.

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE ÁRVORES - IBÁ. Resíduos sólidos. abr. 2015. Disponível em: . Acesso em: 07 set. 2016.

INTERNATIONAL RENEWABLE ENERGY AGENCY – IRENA. REMAP 2030. The importance of modern bioenergy. The importance of bioenergy for meeting global renewable energy targets. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2015.

ISMAILA, A.; ZAKARI, I.Y.; NASIRU, R.; TIJJANI, B.I.; ABDULLAHI, I.; GARBA, N.N. Investigation on biomass briquettes as energy source in relation to their calorific values and measurement of their total carbon and elemental contentsfor efficient biofuel utilization. Advances in Applied Science Research, v. 4, n. 4, p. 303-309, 2013. Pelagia Research Library. Disponível em: . Acesso em: 21 dez. 2015.

LORA, E. E. S.; ROCHA, M. H.; VENTURINI, O. J.; COBAS, V. R. M.; SOTOMONTE, C. R. Biomassa in natura: combustão e acionadores primários. In: LORA, E. E. S.; VENTURINI, O.J. Biocombustíveis. Rio de Janeiro: Interciência. , 2012. p. 48-172.

MANAHAN, S. E. Environmental Chemistry. 8. ed. Boca Raton: CRC Press LLC, 2005. 783p.

McKENDRY, P. Energy production from biomass (part 2): conversion technologies. Bioresource Tecnology, v. 83, p. 47-54, 2002.

MINISTÉRIO DAS MINAS E ENERGIA. Balanço energético nacional 2015: Ano base 2014. Empresa de pesquisa energética - EPE. Disponível em: . Acesso em: 11 out. 2015.

PARIKH, J.; CHANNIWALA, S. A.; GHOSAL, G. K. A correlation for calculating HHV from proximate analysis of solid fuels. Fuel, v. 84, n. 5, p. 487-494, 2005.

PANOUTSOU, C. Supply of solid biofuels: Potential feedstocks, cost and sustainability issues in EU27. In: GRAMMELIS, P. (Ed.) Solid biofuels for energy - a lower greenhouse gas alternative. Greece: Springer-Verlag London Limited, 2011. Cap. 01, p.1-20.

PHICHAI, K.; PRAGROBPONDEE, P.; KHUMPART, T.; HIRUNPRADITKOON, S. Prediction Heating Values of Lignocellulosics from Biomass Characteristics. International Journal of Chemical, Molecular, Nuclear, Materials and Metallurgical Engineering. v. 7, n. 7, 2013.

RAMOS E PAULA, L. E.; TRUGILHO, P. F.; NAPOLI, A.; BIANCHI, M. L. Characterization of residues from plant biomass for use in energy generation. Cerne, Lavras, v. 17, n. 2, p. 237-246, 2011.

ROOS, C. J. Biomass drying and dewatering for clean heat and power. Northwest Combined Heat and Power Application Center. U.S. Department of Energy. Washington, USA, p. 35., 2008.

ROSILLO-CALLE, F. A brief account of Brazil´s biomass energy potential. Biomassa & Energia, v.1, n. 3, p. 225 -236, 2004.

SOLER, P. B.; LORA, E. E. S. Pruebas de balance térmico em calderas para bagazo. Santiago de Cuba: Departamento de Termoenergética, Faculdad de Ingenieria Mecánica, ISPJAM - Instituto Superior Politécnico Julio Antonio Mella, 1991.

ZHAO, B.; SU, Y; LIU, D. ; ZHANG H.; LIU, W. ; CUI, G. SO2/NOx emissions and ash formation from algae biomass combustion: Process characteristics and mechanisms. Energy, 113, p. 821-830, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2017v10n4p1113-1132

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1981-9951 Impressa
ISSN 2176-9168 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.