<b>Visões de Família e Tradição na Escrita de Dionne Brand

  • Alita Fonseca Balbi UFMG
  • Sandra Regina Goulart Almeida UFMG
Palavras-chave: Diáspora, Família, Modernidade, Tradição, Diaspora, Family, Tradition, Modernity.

Resumo

O artigo tem como objetivo discutir as visões de família e tradição nas obras da escritora canadense, nascida no Caribe, Dionne Brand. São duas as principais obras analisadas: At the Full and Change of the Moon e What We All Long For. O enfoque teórico consiste de artigos e livros das áreas da crítica pós-colonial e da teoria da diáspora contemporânea, levando em consideração o fato de Dionne Brand ser uma escritora imigrante e de essa característica influenciar profundamente a sua escrita. A análise das obras será feita com um enfoque comparativo e contrastivo, estudando assim as diferenças e as semelhanças entre as duas obras e, ao mesmo tempo, estabelecendo uma conexão entre ambas. Na posição de sujeito diaspórico, Brand oferece perspectivas a respeito das duas culturas nas e entre as quais transita, colocando-as lado a lado e possibilitando, assim, uma reflexão e um questionamento a respeito do que as une e do que as separa. Analisando os conceitos de família e tradição presentes nas obras é possível ver o papel dos valores tradicionais e familiares caribenhos e como eles são diferentes, não apenas no Canadá, mas no modo de viver da sociedade moderna. As exigências modernas e capitalistas acabam por dar grande ênfase no indivíduo, o que rompe laços familiares e distancia as pessoas de alguma idéia de tradição.

Biografia do Autor

Alita Fonseca Balbi, UFMG
Graduanda em Letras da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG; Bolsista de Iniciação Científica da Fapemig / UFMG. E-mail: alitafbalbi@yahoo.com.br
Sandra Regina Goulart Almeida, UFMG
Orientadora e Docente Associada da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG. E-mail: srga@ufmg.br
Publicado
2008-10-27
Seção
Artigos de Iniciação Científica