<b>Quando a Arte e a Loucura se Encontram

  • Laylla Zanin Baumgarten UEL
  • Patrícia Fabiana da Silva UEL
  • Marta Dantas UEL
Palavras-chave: Arte, Loucura, Modernismo Brasileiro, Vanguardas, Madness, Art, Brazilian Modernism, Vanguards

Resumo

O presente estudo trata da relação entre arte e loucura e tem por objetivo refletir sobre como e por que surgiu o debate acerca desta relação e o interesse de artistas e pensadores do início do século XX pela produção artística de pessoas tidas como “doentes mentais”. Através de um breve histórico mostramos como a loucura foi transformada em doença mental, em objeto de estudo da psiquiatria e em fonte de estudo e renovação estética das vanguardas e do modernismo brasileiro. Enfatizamos como o debate sobre arte e loucura ocorreu simultaneamente no Brasil e na Europa e priorizamos as contribuições de Osório Cesar e Flávio de Carvalho neste debate e na divulgação e legitimação da criação artística dos “doentes mentais”. O texto também aborda os principais períodos de efervescência do debate sobre arte e loucura, ao longo dos anos 20 a 40, e destaca a contribuição de pensadores como Jean Dubuffet, criador da noção de arte bruta.

Biografia do Autor

Laylla Zanin Baumgarten, UEL
Discente do curso de Arte Visual da Universidade Estadual de Londrina – UEL; Bolsista do PROIC/UEL. E-mail: layllazanin@hotmail.com
Patrícia Fabiana da Silva, UEL
Discente do curso de Arte Visual da Universidade Estadual de Londrina – UEL; Bolsista do PROIC/UEL. E-mail: paty_faby_arty@hotmail.com
Marta Dantas, UEL
Docente Doutora de História e Teorias da Arte do Departamento de Arte Visual e do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina - UEL. E-mail: marta_dantas@hotmail.com
Publicado
2008-10-27
Seção
Artigos de Iniciação Científica