<b>A Colheita da Cana Queimada e Relação com o Meio Ambiente

  • Tadeu Alcides Marques Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE
  • Carlos Guilherme Sasso Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE
Palavras-chave: Cana-de-Açúcar, Queimada, CO2, Saccharum.

Resumo

A queima do canavial promove alterações no solo, nas plantas e na atmosfera. A quantificação destas mudanças é de extrema importância ambiental e torna-se objeto principal do estudo. Amostras do solo e da planta foram realizadas antes e após a queima, para áreas padronizadas. Foi estimada a emissão de CO2 emitido pela queima. Os dados foram submetidos à uma análise multivariada e ANOVA, (p<0,05) e ao teste de Tukey (p<0,05). A análise multivariada mostrou uma separação entre as variáveis obtidas antes e após a queima. Com relação à comparação da pré e da pós-queima, as variáveis de biomassa apresentaram diferenças estatísticas. O CO2 emitido pela queima das folhas foi de 3,89 Mg ha-1 e devido a queima dos ponteiros mais 0,92 Mg ha-1 de CO2 foram lançadas na atmosfera, totalizando 4,81 Mg ha-1 de CO2 totais. Nos dados de matéria orgânica (MO), Mn, Cu e B do solo apresentaram alterações devido a queima. Conclui-se que a queimada promove redução de folhas, ponteiros e colmos em 92,48%, 33,52% e 30,70%, respectivamente. No solo ocorreu alteração da matéria orgânica (16,19%), Mn em 21,04%, de Cu 19,32% e B 30,56%.

Biografia do Autor

Tadeu Alcides Marques, Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE
Engenheiro Agrônomo; Doutor em Tecnologia de Alimentos; Docente do curso de Agronomia da Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE. E-mail: tmarques@unoeste.br; tmarques@uol.com.br
Carlos Guilherme Sasso, Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE
Biólogo; Mestre em Agronomia pela Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE. E-mail:
Publicado
2010-07-14
Seção
Meio Ambiente