<b>Importância da Luz na Aplicação de Indutor de Resistência em Plantas de Cevada contra Bipolaris sorokiniana

  • Fernando Siqueira Martins Universidade Nove de Julho – UNINOVE
  • Giancarlo Patricio Universidade Nove de Julho – UNINOVE
  • Erna Elisabeth Bach Universidade Nove de Julho – UNINOVE
Palavras-chave: Cevada, Bipolaris sorokiniana, Comprimento de Luz, Goma Xantana.

Resumo

A cevada (Hordeum vulgare) tem sido utilizada como alimentos e na produção de malte para indústria cervejeira. A doença mais comum que ataca as plantas no campo tem sido a mancha foliar causada por Bipolaris sorokiniana, causando prejuízos ao agricultor. Para o controle destas doenças, o mais utilizado é o tratamento com fungicidas, podendo provocar riscos para o meio ambiente e para a saúde do homem. Visando eliminar estes inconvenientes, um dos métodos preconizados é o da utilização de indutores de resistência. A goma xantana foi demonstrada ser um indutor de resistência perante plantas de trigo, café e cevada. O objetivo do presente trabalho foi avaliar o seu efeito em diferentes comprimentos de onda de luz sobre plantas de cevada. Isto porque, no campo, nem sempre existe a luz total sobre a planta, podendo haver dias nublados ou com pouca luz. Assim, foram preparados grupos de plantas submetidas à pulverização com conídios do fungo, outro grupo com goma xantana e conídios do fungo e outro grupo somente plantas sadias. Após 4 dias foi avaliada a proteção nas plantas e, as folhas submetidas a extração e análise de proteínas, fenóis e clorofila. Os resultados demonstraram proteção, variando de 93 a 99,5% e com aumento de proteínas e diminuição de fenóis nas plantas tratadas com GX-conídios. Ao correlacionar a proteção induzida com a clorofila total, foi possível observar que, em todos os comprimentos de onda de luz, a goma xantana demonstrou ação. Isto veio demonstrar que a goma xantana possui ação como indutor em qualquer comprimento de onda de luz.

Biografia do Autor

Fernando Siqueira Martins, Universidade Nove de Julho – UNINOVE
Discente do Curso de Biologia e Bolsista de Iniciação Científica na Universidade Nove de Julho – UNINOVE. E-mail: fesmartins@gmail.com
Giancarlo Patricio, Universidade Nove de Julho – UNINOVE
Discente do Curso de Biomedicina da Universidade Nove de Julho – UNINOVE. E-mail: trombongian@hotmail.com
Erna Elisabeth Bach, Universidade Nove de Julho – UNINOVE
Docente Doutora e Pesquisadora do Núcleo de Biotecnologia na Universidade Nove de Julho – UNINOVE. E-mail: ebach@uninove.br
Publicado
2010-07-06
Seção
Meio Ambiente