<b>Aplicação de Efluente Líquido de Fecularia em Substratos e Solos para a Produção de Mudas de Eucalipto

  • Marcelo Aparecido Salvador Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Jefferson Vieira José Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Roberto Rezende Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Hudson do Vale de Oliveira Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Ricardo Gava Universidade Estadual de Maringá - UEM
Palavras-chave: Água residuária, Manipuiera, Eucaliptocultura

Resumo

Objetivou-se, neste trabalho, avaliar o efeito da aplicação de diferentes concentrações de água residuária de fecularia, na formação de mudas de eucalipto (Eucalyptus grandis) em tubetes e comparar com um fertilizante comercial (Yogen5®), utilizando-se como substrato o Plantimax®. O delineamento experimental foi em blocos completos casualizados, constituindo um experimento de 10 tratamentos, com 8 doses em concentrações crescentes de água residuária, sendo estas 12,5; 25,0; 38,0; 50,0; 63,0; 75,0; 88,0; e 100,0% de água residuária de fecularia diluída em água, ao longo do ciclo vegetativo das mudas de eucalipto. Utilizou-se ainda uma dose concentrada do fertilizante comercial na proporção de 0,2% e um tratamento testemunha, com apenas aplicação de água. O efeito biofertilizante da água residuária na produção de mudas de eucalipto foi avaliado pelos parâmetros fitotécnicos. Os tratamentos com o fertilizante comercial a 0,02%, a testemunha e a água residuária a 50 e 38%, apresentaram os melhores valores no que diz respeito ao desenvolvimento da altura da planta. No entanto, para a produção de matéria seca das raízes, além do uso do Yogen5®, destacaram-se as concentrações de água residuária de fecularia em 25 e 12,5%.

Biografia do Autor

Marcelo Aparecido Salvador, Universidade Estadual de Maringá - UEM
E
Jefferson Vieira José, Universidade Estadual de Maringá - UEM
Pós-Graduação em Agronomia pela Universidade Estadual de Maringá – UEM; E-mail: jfbudala@msn.com
Roberto Rezende, Universidade Estadual de Maringá - UEM
Docente do Departamento de Agronomia da Universidade Estadual de Maringá – UEM; E-mail:rrezende@uem.br
Hudson do Vale de Oliveira, Universidade Estadual de Maringá - UEM
Pós-Graduação em Agronomia pela Universidade Estadual de Maringá – UEM; E-mail: hudson_vale@yahoo.com.br
Ricardo Gava, Universidade Estadual de Maringá - UEM
Pós-Graduação em Agronomia pela Universidade Estadual de Maringá – UEM; E-mail: gava_ricardo@yahoo.com.br
Publicado
2011-12-08
Seção
Meio Ambiente