PATRIMÔNIO RURAL, PAISAGENS AGRÍCOLAS E CONSTRUÇÃO DA SUSTENTABILIDADE EM RIBEIRÃO DO EIXO (MG): A NECESSIDADE DA EDUCAÇÃO VOLTADA À REALIDADE CULTURAL DOS ESTUDANTES CAMPONESES

Vagner Luciano de Andrade, Veroni Friedrich

Resumo


No contexto sociopolítico brasileiro atual, é cada vez mais comum a submissão de comunidades e populações camponesas à realidade dos grandes centros urbanos. Esta é também a realidade de Ribeirão do Eixo, localidade rural do município de Itabirito, eixo sul de expansão urbana da Grande BH. Esta proximidade dos dois importantes polos urbanos é ampliada pela pressão do tráfego rodoviário da BR-040, por empreendimentos imobiliários, industriais e minerários, que contribuem demasiadamente para a perda da identidade local e descaracterização da paisagem natural, gerando expectativas fora daquela realidade, desvalorizando-a. A região espera pela definitiva preservação das Serras da Moeda e das Serrinhas, implantação de uma estrada parque entre as regiões do Pico e da Fábrica e um posto de fiscalização da Polícia Ambiental em conjunto com IEF, gestor de duas unidades de conservação na área. Além da importância ambiental, a região é detentora de paisagens culturais singulares ligadas à época do Brasil Colônia, principalmente aos primórdios auríferos. Neste sentido, o presente estudo propõe intervenções pautadas em princípios de identidade, sustentabilidade, agroecologia, ecoturismo, ruralidade e cultura que contribuam para a ressignificação e devida valorização ambiental e cultural da localidade por todos que nela vivem, trabalham, ou apenas passam períodos.

Palavras-chave


Campesinato; Educação do Campo; Escola Camponesa

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, V.L. A Educação do Campo nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental na Escola Municipal de Ribeirão do Eixo, Zona Rural de Itabirito, Minas Gerais: 1º relatório de observações. Universidade Federal de Minas Gerais - Faculdade de Educação - FAE/UFMG (Curso de Licenciatura em Educação do Campo - Habilitação Ciências Sociais e Humanidades). Belo Horizonte, 2012. 23p.

ANDRADE, V.L. Patrimônio Cultural, Paisagens Ecológicas e Desenvolvimento Rural: potencial agroturístico na escola da comunidade de Ribeirão do Eixo, município de Itabirito, região sudoeste do Quadrilátero Ferrífero, MG. Universidade do Sul de Santa Catarina Palhoça, 2016. 150p. (Estudo de Caso Agronegócio).

ANDRADE, V. L. A educação como valorização do espaço rural. Boletim da UFMG nº 1778 - Ano 38, 04.06.2012, p. 02

BARREIRO, I. M. F. Política de educação no campo: para além da alfabetização (1952-1963). São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

COSTA, L.; ANDRADE, V.L. Cultura, identidade e territorialidade camponesa. Boletim da UFMG, nº 1897 - Ano 41, 30.03.2015, p. 02.

FARIA FILHO, L. M. Cultura Escolar e Cultura Urbana no Brasil. Revista Presença Pedagógica, v. 11, n. 66, nov./dez 2005. p. 41.

OLIVEIRA, A.M.S. A relação homem/natureza no modo de produção capitalista. Revista Pegada, Presidente Prudente, v. 3, n. Especial, ago. 2002

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. Lei Federal nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: . Acesso em: 01 ago. 2017.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei federal nº 12.960, de 27 de março de 2014. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para fazer constar a exigência de manifestação de órgão normativo do sistema de ensino para o fechamento de escolas do campo, indígenas e quilombolas. Disponível em: . Acesso em: 01 ago. 2017.




Revista Cesumar – Ciências Humanas e Sociais Aplicadas
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9176 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1516-2664 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.