Efeitos Antimicrobianos de Algumas Plantas Medicinais Brasileiras em Disordens Intentinais

Airton Luiz Gonçalves, Antônio Alves Filho, Hercules Menezes

Resumo


Extratos hidroalcoólicos obtidos de 22 espécies de árvores medicinais brasileiras foram testados para a sua atividade antimicrobiana (AA), contra três diferentes microrganismos isolados de inoculi obtidos de fezes diarreicas (Escherichia coli enteropatogênica, Shigella sonnei e Salmonella spp). O método de difusão em ágar foi utilizado para os ensaios de antibiose. Dos 66 ensaios realizados, 8% apresentaram alta AA. Excepcional AA foi observada em Anacardium occidentale L. (Anacardiaceae), Ilex paraguariensis A.St.Hil. (Aquifoliacea), Myroxylon peruiferum L.f. (Fabaceae), Mimosa tenuiflora (Wild.) Poiret (Leguminosae), contra Shigella sonnei e Salmonella spp, bem como extrato de Eugenia uniflora L. (Myrtaceae) contra Escherichia coli enteropatogênica, Shigella sonnei e Salmonella spp. Ensaios de antibiose com antibióticos disponíveis comercialmente foram conduzidos simultaneamente contra as bactérias acima mencionadas, para comparar com o potencial AA dos extratos de árvores estudados. Os resultados obtidos até o momento indicam um excelente potencial terapêutico para essa planta.

Palavras-chave


Atividade Antimicrobiana; Árvores Medicinais Brasileiras; Antibiose.

Texto completo:

Artigo_Pdf

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.