Aspectos Epidemiológicos e Diagnósticos do Carcinoma Prostático

Romir Rodrigues, Catarina Aparecida Sales

Resumo


O câncer de próstata (CaP) é a segunda neoplasia mais diagnosticada em homens adultos, sendo considerado problema de saúde pública no Brasil. Os androgênios e outros fatores são considerados ativadores de crescimento para células prostáticas normais e malignas. O Antígeno Prostático Específico (PSA) é considerado o mais importante marcador para detectar, estagiar e monitorar o CaP. Os níveis séricos de PSA aumentam com a idade. Desta forma, o PSA em associação com outros métodos diagnósticos, como por exemplo, o toque retal é essencial na detecção precoce do CaP. O presente estudo tem por objetivo identificar e discutir aspectos relacionados à incidência do CaP. Apresenta a conceituação, incidência, fatores predisponentes, diagnósticos, tratamentos e políticas preventivas no contexto da saúde pública. Trata-se de uma revisão de literatura integrativa, descritiva, com abordagem qualitativa. Conclui-se que apesar da controvérsia sobre e efetividade do toque retal e da dosagem do PSA para a detecção precoce do câncer de próstata, parcela significativa da população masculina vem realizando estes exames para os quais existem significativas desigualdades socioeconômicas quanto ao acesso. A não realização do exame está relacionada ao déficit de conhecimento, aos preconceitos e à ausência de sintomatologia.

Palavras-chave


Carcinoma Prostático; Antígeno Prostático; Toque Retal; Tratamento

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.