Influência do Diagnóstico de Diabetes Mellitus Gestacional na Qualidade de Vida da Gestante

Luciana Ferreira Karsten, Deisi Luciene de Souza, Mariana Ramos Vieira, Jean Carl Silva

Resumo


O diagnóstico de Diabetes mellitus Gestacional proporciona alterações na rotina da gestante. Por conta disso, o objetivo deste trabalho foi comparar a qualidade de vida das gestantes antes e após o diagnóstico de Diabetes mellitus Gestacional e traçar o perfil das gestantes portadoras desse diagnóstico acompanhadas em um ambulatório de alto risco de maternidade pública. Trata-se de estudo observacional com 127 gestantes portadoras de Diabetes mellitus Gestacional (DMG), realizado de março a julho de 2014. Utilizou-se o questionário de Ferrans e Powers. Observou-se queda no grau de satisfação da QV no escore total (26,7 vs 25,3; DP: 2,0 vs 2,3; p < 0,01) e no IQV saúde/funcionamento (26,8 vs 24,1; DP: 2,4 vs 3,4; p < 0,01) antes e após o diagnóstico. Nos outros itens avaliados não encontramos queda na QV (IQV família: 28,1 vs 28,1; DP: 2,4 vs 2,4; p = 0,986; IQV socioeconômico: 26,8 vs 26,1; DP: 2,9 vs 3,0; p = 0,078; IQV psicológico/espiritual: 27,5 vs 27,0; DP: 2,9 vs 3,0; p = 0,196). O DMG tem um impacto negativo na QV da gestante.

Palavras-chave


Diabetes mellitus; Gravidez; Qualidade de Vida

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9206.2016v9n1p7-14

Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.