Prevalência dos Genótipos do Vírus da Hepatite C na Macrorregião Noroeste do Estado do Paraná, Brasil

Amanda Milene Malacrida, Sonia Kaori Miyamoto, Hellen Capellari Menezes, Maria Ferreira dos Santos Neta, Dennis Armando Bertolini

Resumo


A prevalência da hepatite C apresenta elevada amplitude devido a grande diferenciação genotípica. Neste estudo, foi possível verificar os genótipos do HCV em portadores de hepatite C crônica na macrorregião noroeste do Paraná. Trata-se de um estudo de corte transversal, no qual foram levantados os dados laboratoriais dos pacientes atendidos em um laboratório de análises clínicas de agosto de 2013 a outubro de 2015. Além de verificar a distribuição dos pacientes portadores crônicos do HCV quanto ao sexo e faixa etária, também a distribuição geográfica dos genótipos do HCV de acordo com a área de abrangência de atendimento do laboratório; os resultados foram comparados aos da literatura. Das 348 amostras, 210 (60,3%) eram do genótipo 1 (p < 0,05), 101 (29,0%) do 3 (p < 0,05), 21 (6,0%) do 2, 1 (0,3%) do 4, 1 (0,3%) do 5 e 12 (3,4%) de indeterminados. Das cidades estudadas, as que apresentaram maior detecção de hepatite C foram: Maringá (112 casos/32,2%), Cascavel (59 casos/17,0%), Paranavaí (37 casos/10,6%) e Umuarama (22 casos /6,3%). Sendo assim, os genótipos mais prevalentes foram 1, 3 e 2. Os homens foram os mais afetados e a faixa etária de maior detecção foi entre 40 a 50 anos.

Palavras-chave


Distribuição geográfica; Epidemiologia; Genótipo; Hepatite C.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9206.2016v9n2p381-388

Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.