<b>Comparação Entre Eletroforese em Gel de Agarose e Capilar Automatizada na Detecção de Amplificação das Repetições CAG no Gene HTT

  • Iane dos Santos da Silva Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)
  • Luciana de Andrade Agostinho Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/ FAMINAS - Muriaé
  • Carmen Lúcia Antão Paiva Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Doença de Huntington, Repetições CAG, Eletroforese em Gel de Agarose, Eletroforese Capilar

Resumo

A Doença de Huntington é uma doença genética rara, neurodegenerativa, progressiva e fatal. Possui herança autossômica dominante e é ocasionada pelo número de repetições CAG anormais no éxon 1 do gene HTT, localizado em 4p16.3. O teste molecular é de grande importância para confirmação do diagnóstico clínico da DH. A testagem molecular envolve amplificação da região de interesse pela técnica de PCR e posterior análise dos fragmentos gerados (amplicons). Este trabalho visa comparar duas técnicas de análise dos amplicons: a eletroforese em gel de agarose (2,5%) e a capilar automatizada na determinação do número de unidades de repetições CAG do gene HTT. Os resultados da eletroforese em gel de agarose mostram existir uma correlação negativa entre idade de início e repetições CAG (r = -0,63; p < 0,05). Entretanto, os resultados da eletroforese capilar mostram uma mais forte correlação negativa entre idade de início da DH e o número de repetições CAG (r = -0,89; p < 0,0001). A variação de repetições CAG entre as técnicas está entre -23 e +48 repetições CAG. Dos 26 indivíduos investigados, 20 tiveram o mesmo diagnóstico independente da técnica utilizada e 6 teriam diagnóstico diferente dependendo da técnica utilizada. A sensibilidade da eletroforese em gel de agarose em relação à eletroforese capilar foi de 83%. A especificidade foi de 62,5%. Tais resultados indicam que a eletroforese em gel de agarose superestima o número de repetições CAG do gene HTT, sendo um teste de baixa precisão para o diagnóstico da DH.

Biografia do Autor

Iane dos Santos da Silva, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)
Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Genética e Biologia Molecular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO
Luciana de Andrade Agostinho, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/ FAMINAS - Muriaé
Biomédica; Mestre e Doutoranda em Neurologia na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO
Carmen Lúcia Antão Paiva, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Doutora (Ph.D.) em Genética pela Faculty of Science da University of Liverpool e Pós-Doutora em Bioquímica do Instituto de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ; Docente associada IV da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO
Publicado
2013-11-26
Seção
Publicações Temáticas