COISAS DO OUTRO MUNDO: UMA LEITURA DO CONTO “O ESPELHO”, DE GASTÃO CRULS

  • Dayna Suzelli Lins da Silva Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Sérgio da Fonseca Amaral Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
Palavras-chave: Literatura brasileira, Gastão Cruls, “O Espelho”, Coisas, Fantástico

Resumo

Os signos das coisas são alusões a seres imprescindíveis e secundários do mundo que, com elas, se torna humano. Em literatura, por exemplo, demarcam ou tempo, ou lugar, ou cultura, ou ambiente ou ação. Logo, o signo do objeto intensifica o referente em sua ação cotidiana. Referente e referido se entreolham. Nessa complexa relação, há um artefato predileto como signo de ruptura entre a realidade e a irrealidade: trata-se do espelho. Personagens errantes se defrontam com imagens fantasmáticas de outros mundos possíveis. Com este trabalho, propomos verificar no conto “O espelho”, de Gastão Cruls, a atuação dessa coisa na construção de uma história fantástica e de seu efeito na ruptura da realidade ordinária.

Biografia do Autor

Dayna Suzelli Lins da Silva, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
Graduada em Letras – Língua portuguesa e suas literaturas pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil
Sérgio da Fonseca Amaral, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
Doutor pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Pós-Doutor pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ). Docente Titular de Literatura Brasileira e Estudos Literários no Departamento de Línguas e Letras da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil

Referências

Assis, m. de. O espelho. In: Assis, m. de. Contos: uma antologia. Seleção, introdução e notas John Gledson. São Paulo: Companhia das Letras, 2001. Vol. I, p. 401-410.

CRULS, G. O espelho. In: CRULS, G. Contos reunidos. Rio de Janeiro: José Olympio, 1951, p. 339-348.

ECO, U. Sobre espelhos e outros ensaios. Tradução Beatriz Borges. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1989.

HEIDEGGER, M. A coisa. In: HEIDEGGER, M. Ensaios e conferências. 8. ed. Tradução Emmanuel Carneiro Leão. Petrópolis, RJ: Vozes, p. 143-160.

INGOLD, T. Trazendo as coisas de volta à vida: emaranhados criativos num mundo de materiais. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v.18, n. 37, p. 25-44, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832012000100002>. Acesso em: 03 jan. 2016.

Maia, C. S. Gastão Luis Cruls: uma nova recepção. 2005. Dissertação (Mestrado em Estudos Literários) - Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Araraquara, São Paulo, 2005. Disponível em: <https://pt.scribd.com/document/38596057/Tese-de-Mestrado> Acesso em 12/12/2016.

ROAS, D. A ameaça do fantástico: aproximações teóricas. Tradução Julián Fucks. São Paulo: Ed. da Unesp, 2014.

ROSA, G. O espelho. In: ROSA, G. Primeiras estórias. 15. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

Publicado
2018-12-11
Seção
Artigos Originais