<b>Mecanismos e Aspectos Anatômicos da Dor

  • Bruno Henrique Pinheiro Fernandes Universidade Estadual de Maringá – UEM
  • Célia Regina de Godoy Gomes Universidade Estadual de Maringá – UEM
Palavras-chave: Dor, Anatomia, Mecanismos.

Resumo

A IASP (Associação Internacional para o Estudo da dor, em inglês) define a dor como uma “experiência sensitiva e emocional desagradável associada ou relacionada à lesão real ou potencial dos tecidos, ou relatada como se uma lesão existisse, e cada indivíduo aprende a utilizar esse termo através das suas experiências anteriores”. Clinicamente, a dor é classificada em dois tipos: a aguda e a crônica. A dor aguda é a queixa mais frequente dos indivíduos que procuram assistência médica (principalmente de urgência), enquanto a dor crônica constitui um problema de saúde de maior gravidade devido a sua alta prevalência na sociedade e na sua dificuldade em tratá-la. Conhecer as estruturas e os mecanismos relacionados ao processo doloroso é fundamental para profissionais da área da saúde na abordagem do paciente com a queixa. Nesse artigo, o objetivo é revisar os mecanismos relacionados à dor (transdução, transmissão e modulação), com enfoque principal nas estruturas anatômicas responsáveis por esse processo.

Biografia do Autor

Bruno Henrique Pinheiro Fernandes, Universidade Estadual de Maringá – UEM
Discente de Medicina da Universidade Estadual de Maringá – UEM. E-mail: brunohpfernandes@gmail.com
Célia Regina de Godoy Gomes, Universidade Estadual de Maringá – UEM
Departamento de Ciências Morfológicas, área Anatomia
Publicado
2011-07-08
Seção
Artigos de Revisão