<b>Relações Genéticas e Medidas Socioeducativas para a Prevenção dos Carcinomas Mamários

  • Mônica Marin Zeitune Universidade Federal de Goiás
  • Joana Cristina Neves de Menezes Faria Universidade Federal de Goiás
  • Aline Helena da Silva Cruz Universidade de São Paulo
  • Angela Adamski da Silva Reis Universidade Federal de Goiás
  • Rodrigo da Silva Santos Universidade de São Paulo - USP
Palavras-chave: Mutação, Câncer de Mama, Genes BRCA, Prevenção

Resumo

O câncer é uma enfermidade de caráter genético que pode ser hereditária ou adquirida. O carcinoma de mama provoca alta morbidade e mortalidade, sendo o segundo tipo de câncer que mais acomete mulheres no Brasil. As lesões de mama predominam no sexo feminino e, apesar do câncer de mama no homem ser de ocorrência rara, estima-se que 1,0% do total dos casos de câncer mamário sejam diagnosticados em homens. Os fatores de risco para o carcinoma de mama envolvem histórico familiar, fatores hormonais e reprodutivos, estilo de vida e fatores ambientais. A história familiar pode ser encontrada em 5 - 10% dos casos de câncer de mama e mutações em genes como o BRCA1 e BRCA2 apresentam alta penetrância. Mutações nesses genes seriam responsáveis por parte dos casos familiares precoces de câncer de mama em mulheres, além de estarem associados a um risco aumentado do câncer de mama e de próstata em homens e de câncer ovariano e pancreático. Diante do exposto, o presente trabalho faz uma revisão da literatura e apresenta recomendações técnicas referentes à prevenção primária, à detecção precoce e ao diagnóstico do carcinoma mamário. Complementada por uma cartilha desenvolvida exclusivamente com informações atuais e relevantes, ou seja, medidas socioeducativas para a conscientização das mulheres quanto à necessidade da realização do autoexame da mama, à prevenção do câncer de mama e ao diagnóstico precoce desta doença.

Biografia do Autor

Mônica Marin Zeitune, Universidade Federal de Goiás
Biomédica, Pedagoga e Especialista em Biologia. Programa de Pós-graduação em Tecnologias Aplicadas ao Ensino de Biologia, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG
Joana Cristina Neves de Menezes Faria, Universidade Federal de Goiás
Bióloga e Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás - IFG, Campus: Aparecida de Goiânia - GO
Aline Helena da Silva Cruz, Universidade de São Paulo
Bióloga Geneticista. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo - USP
Angela Adamski da Silva Reis, Universidade Federal de Goiás
Biomédica e Docente do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG
Rodrigo da Silva Santos, Universidade de São Paulo - USP
Biólogo e Docente Orientador do Programa de Pós-graduação em Tecnologias Aplicadas ao Ensino de Biologia do Instituto de Ciências Biológicas e da Universidade Federal de Goiás - UFG e Biólogo Geneticista da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo - USP.
Publicado
2013-03-18
Seção
Promoção da Saúde