Origem e prevalência dos bovinos parasitados por cysticercus bovis na região de Maringá-PR

Thiago Ramalho Borba, Renate Cristiane Mannigel, Adriana Werlang Barbieri, Adriana Zacarelli Agulhon, Daniella Cristina Lanfranchi de Oliveira, Jefferson Ruela de Azevedo, Sewyn Arlington Headley

Resumo


Descreve-se a prevalência de cisticercose bovina causada pela forma larval de Taenia saginata nos animais parasitados durante o ano de 2000, a partir de um estudo retrospectivo realizado na região de Maringá, Paraná. Todos os dados foram obtidos dos arquivos do Serviço de Inspeção Federal (SIF). Estes dados foram analisados e a prevalência determinada nas 22 regiões geográficas pré-estbelecidas. Animais submetidos a abate foram provenientes de quase todas as regiões geográficas do Estado. Havia poucos animais dos Estados vizinhos. Cistos calcificados (7%; 6236/103411) foram predominantes em relação aos vivos (1,7%; 1805/103411). A prevalência cisticercos vivos variou entre 0,9% e 3,1%; a prevalência de cistos calcificados foi entre 4,7% e 11,5%. Cistos calcificados e vivos foram predominantes na região R (Ponta Grossa). A relativamente baixa ou inexistente prevalência de cisticercose em bovinos abatidos sugere que esta doença não traz prejuízos econômicos significantes à agropecuária regional. Adicionalmente, estes dados sugerem que zoonose, associada à cisticercose bovina, está sendo controlada pela Vigilância Sanitária.

Palavras-chave


cistercose; Taenia ssp; prevalência; bovinos; inspeção

Texto completo:

Artigo_pdf


Iniciação Científica Cesumar
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9192 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1518-1243 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.