As Tecnologias Informacionais e os Excluídos Digitais da Amazônia: O Papel da Jurisdição na Consecução de Direitos

Bruno Mello Corrêa de Barros, Daniela Richter, Patrícia dos Reis

Resumo


O ensaio tem como viés principal analisar a interface existente entre as Tecnologias Informacionais e a sustentabilidade ambiental, os eixos tecnológicos que as conectam e que podem propiciar medidas necessárias para um desenvolvimento sustentável através do acesso à informação. Ademais, pretende-se explanar a respeito dos excluídos digitais, àqueles que não utilizam da Internet ou que a ela não possuem acesso, bem como questionar o papel da jurisdição na consecução de um meio ambiente ecologicamente equilibrado. Nesse ínterim, como aporte metodológico utilizou-se o método de abordagem dedutivo, propiciando uma visão ampla acerca da revolução informacional e das TICs como instrumentos necessários à efetivação da sustentabilidade através do amplo e irrestrito acesso à informação, ainda, da jurisdição na consecução do direito a um meio ambiente sustentável, já quanto ao método de procedimento, utilizou-se do procedimento monográfico ou de estudo de caso, vislumbrando os excluídos digitais, localizados no Norte e Nordeste do país.

Palavras-chave


Direitos; Excluídos Digitais; Jurisdição; Sustentabilidade; Tecnologias.

Texto completo:

PDF

Referências


AMAZÔNIA CONECTADA. Programa Amazônia conectada. Disponível em: http://www.amazoniaconectada.eb.mil.br/. Acesso em: 28 jun. 2015.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 05 de outubro de 1988. Brasília: Senado Federal. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 31 maio 2015.

AMAZÔNIA CONECTADA. Lei 12.527 de 18 de novembro de 2011. Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5o, no inciso II do § 3o do art. 37 e no § 2o do art. 216 da Constituição Federal; altera a Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990; revoga a Lei no 11.111, de 05 de maio de 2005, e dispositivos da Lei no 8.159, de 08 de janeiro de 1991; e dá outras providências. Disponível em:

BERNARDES, Marciele Berger. Democracia na sociedade informacional: o desenvolvimento da democracia digital nos municípios brasileiros. São Paulo: Saraiva, 2013.

CANCLINI, Nestor García. Leitores, espectadores e internautas. Tradução de Ana Goldberger. São Paulo: Iluminuras, 2008.

CARDOSO, Antônio Alexandre Isidio. Os migrantes cearenses e o horizonte amazônico no século XIX. Revista de História, v. 4, n. 1, p. 68-87, 2012. Disponível em: http://www.revistahistoria.ufba.br/2012_1/a04.pdf. Acesso em: 28 jun. 2015.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede - a era da informação: economia, sociedade e cultura. 5. ed. Traduzido por Klauss Brandini Gerhardt e Roneide Venancio Majer. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CASTELLS, Manuel. O poder da identidade. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CASTELLS, Manuel. A política da internet I: redes de computadores, sociedade civil e o Estado. In: A galáxia da internet. Trad. Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

CAVALCANTE, Rebeca Freitas. Ciberativismo: como as novas formas de comunicação estão a contribuir para a democratização da comunicação. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) - Especialização em estudo dos media e do jornalismo da Universidade Nova de Lisboa, 2010.

CETIC - Centro de Estudos sobre as Tecnologia da Informação e Comunicação. Pesquisa TIC domicílios, 2013. Disponível em: http://cetic.br/media/analises/tic-domicilios-2013.pdf. Acesso em: 28 jun. 2015.

CORRÊA, Roberto Lobato. A organização regional do espaço brasileiro: redes eletrônicas e novas dinâmicas do território brasileiro. In: Castro; Gomes; Corrêa, 1995.

DUPAS, Gilberto. Ética e poder na sociedade da informação: de como a autonomia das novas tecnologias obriga a rever o mito do progresso. 2ª ed. Ver. Ampliada. São Paulo: UNESP, 2011.

ESPÍNDOLA, Ângela Araujo da Silveira. A refundação da jurisdição e as multidimensões da sustentabilidade. In: TYBUSCH, Jerônimo Siqueira; ARAUJO, Luiz Ernani Bonesso de; SILVA, Rosane Leal da (Org.). Direitos emergentes na sociedade global: anuário do Programa de Pós-Graduação em Direito da UFSM. Ijuí: Unijuí, 2013, p. 49-74.

FREITAS, Marilene Côrrea da Silva. Políticas públicas, territórios, populações tradicionais e ambiente na Amazônia. In: OLIVEIRA, José Admir de; SCHERER, Elenice (Org.). Amazônia: territórios, povos tradicionais e ambiente. Manaus: Adua, 2009, p. 23-24.

FONSECA, Luca Milhomens. Ciberativismo na Amazônia: os desafios da militância digital na floresta (2012). In: SILVEIRA, Sérgio Amadeu da; BRAGA, Sérgio; PENTEADO, Cláudio. Cultura, política e ativismo nas redes digitais. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2014.

GONÇALVES, Maria Eduarda. Direito da informação: novos direitos e formas de regulação na sociedade da informação. Coimbra: Almedina, 2003.

GREENPEACE BRASIL. Amazônia: patrimônio brasileiro futuro da humanidade. Disponível em: http://www.greenpeace.org/brasil/pt/O-que-fazemos/Amazonia/. Acesso em: 28 jun. 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. IBGE. Mapa integrado dos zoneamentos ecológico-econômicos dos estados da Amazônia Legal. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/geografia/mapas_doc5.shtm. Acesso em: 28 jun. 2015.

LÉVY, Pierre. Ciberdemocracia. Lisboa: Instituto Piaget, 2002.

LÉVY, Pierre. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Record, 1998.

LUÑO, Peres. Ciberciudadaní@ o ciudadaní@.com? Barcelona: Gedisa, 2004.

MATTELART, Armand. La Mundializacíon de la comunicacíon. Tradução de Orlando Carreño. Barcelona: Paidós, 1998.

MILHOMENS, Lucas. Entendendo o ciberativismo sem terra na nova esfera pública interconectada. 2009. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal da Paraíba, 2009.

MOURA, Ricardo Damasceno. Múltiplos saberes da diversidade em rede: conexões interculturais no debate da inclusão digital. Inc. Soc., Brasília, v. 5, n. 2, p. 62-72, jan./jun. 2012.

MOURA, Ricardo Damasceno. Inclusão digital e a busca por um acesso tecnológico respaldado nos reais interesses dos povos da Amazônia. Revista de ciência, tecnologia e inovação do estado do Pará. 2012, p. 50. Disponível em: http://veraciencia.pa.gov.br/upload/arq_arquivo/83.pdf. Acesso em: 20 jun. 2015.

FERNANDES NETO, Guilherme. Direito da Comunicação Social. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2004.

NUNES, Denise Silva; DAVIES, Lorenice Freire. A imprescindibilidade de ressignificar a jurisdição em prol da sustentabilidade: estratégias contra a racionalidade. Revista Eletrônica Direito e Política, Itajaí, v.10, n. 1, edição especial de 2015. Disponível em: http://www.univali.br/direito e política. Acesso em: 30 mai. 2015.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS . ONU. Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Publicada em 1992. Disponível em: http://www.onu.org.br/rio20/img/2012/01/rio92.pdf. Acesso em: 30 mai. 2015.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). Agenda 21 Global. Publicada em 1992. Disponível em: http://www.meioambiente.pr.gov.br/arquivos/File/agenda_21_Global_Integra.pdf. Acesso em: 30 mai. 2015.

RECUERO, Raquel. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

REDE POVOS DA FLORESTA. Disponível em: https://www.facebook.com/pages/Rede-Povos-da-Floresta/224531120943649?sk=timeline. Acesso em: 28 jun. 2015.

SANCHES, Oscar Adolfo. Governo Eletrônico no Estado de São Paulo. São Paulo, 2003. (Série didática n. 7).

TOURAINE, Alain. Podemos viver juntos?: iguais e diferentes. Petrópolis: Vozes, 2003.

VÍDEO NAS ALDEIAS. Carta Kisêdjê para a RIO+20 Amne Adji papere mba. Disponível em: http://www.videonasaldeias.org.br/2009/video.php?c=103. Acesso em: 28 jun. 2015.

VOLKMER, André. A democracia na era digital. In: INSTITUTO DE ESTUDOS EMPRESARIAIS. Liberdade na era digital. Porto Alegre: IEE, 2011, p. 90-109.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9184.2016v16n3p657-682

Indexado
REDIB; Sumários.Org; DOAJ; Ulrich’s International Periodicals Directory; Latindex; RVBI

Revista Jurídica Cesumar - Mestrado
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1677-6402 Impressa
ISSN 2176-9184 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.