<b>Condições para Uma Grande Obra de Arte: O Realismo Estético em Georg Lukács

  • Anderson David Gomes dos Santos Universidade Federal de Alagoas – UFAL
  • Artur Bispo dos Santos Neto Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Palavras-chave: Estética, Obra-de-arte, Categorias Lukácsianas, Realismo Estético.

Resumo

Dentro do seu caminho teórico que teve como finalidade a definição de uma ontologia do ser social, o filósofo húngaro Georg Lukács chegou a definições de uma teoria estética com base marxista. Tendo como base os materialismos histórico e dialético para analisar a produção artística, grandes contribuições do socialismo científico, Lukács estudou a evolução da arte desde o momento em que a mesma atingiu sua autoconsciência, ou seja, o homem produziu arte com consciência disso, e não como algo apenas utilitário. O autor diferenciou a forma de refletir o cotidiano através do estético em relação às reflexões realizadas por ciência e, como resultado desse processo, definiu categorias como particularidade e tipicidade. Principalmente através da sua teoria do espelhamento estético do cotidiano, formou a teoria do realismo estético, cujas obras de autores como Honoré de Balzac e Stendhal são identificadas e analisadas como grandes obras de arte, mesmo que a época não fosse propícia para isso.

Biografia do Autor

Anderson David Gomes dos Santos, Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Discente de Jornalismo do curso de Comunicação Social da Universidade Federal de Alagoas – UFAL; Colaborador no projeto de pesquisa de Iniciação Científica "Nas veredas de uma estética marxista". E-mail: andderson.santos@gmail.com
Artur Bispo dos Santos Neto, Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Docente Doutor do curso de Filosofia da Universidade Federal de Alagoas – UFAL. E-mail: arturbisponeto@gmail.com
Publicado
2010-08-12
Seção
Artigos de Iniciação Científica