<b>Redução da Hiperglicemia pela Atividade Física: Mecanismos Moleculares

  • Maynara Katieli Gonçalves Prieto
  • Célia Regina Godoy Gomes UEM
Palavras-chave: Exercício Físico, Músculo Esquelético, Hiperglicemia, Resistência À Insulina

Resumo

O exercício físico é considerado fator terapêutico para a prevenção e/ou atenuação no desenvolvimento de diferentes patologias, principalmente aquelas ligadas ao metabolismo energético. A proposta do estudo foi voltada à funcionalidade do exercício como possível meio de atenuar os efeitos de disfunções metabólicas que levam o organismo à intolerância a glicose e, consequentemente, à hiperglicemia. A captação de glicose pelo músculo ocorre pelos transportadores de membrana GLUT-4, cuja externalização na célula é estimulada pela insulina; a ausência desse hormônio provoca retenção da glicose no plasma levando a um quadro de hiperglicemia. Estudos evidenciam que a fibra muscular durante o exercício físico aciona mecanismo independente da insulina para a captação da glicose; outros fatores, como melhora na sensibilidade do sinal da insulina sobre os receptores de insulina e redução na expressão de citocinas pró-inflamatórias pela melhor oxidação de ácidos graxos durante o exercício físico parecem estar envolvidos na diminuição da resistência à insulina e melhora na homeostasia de glicose. O estudo buscou investigar os principais mecanismos fisiológicos que capacita o músculo esquelético em atividade na captação da glicose e na melhora da resistência à insulina e demonstrar os benefícios que o exercício físico programado pode trazer aos indivíduos com intolerância a glicose e/ou diabetes mellitus particularmente do tipo 2.

Biografia do Autor

Maynara Katieli Gonçalves Prieto
Educadora física e especialista em fisiologia humana pela Universidade Estadual de Maringá – UEM, Maringá, PR
Célia Regina Godoy Gomes, UEM
Departamento de Ciências Morfológicas, área Anatomia
Publicado
2013-08-01
Seção
Artigos de Revisão