FATORES MULTINÍVEIS DA TRAJETÓRIA INOVADORA DA VITIVINICULTURA NA CAMPANHA GAÚCHA

Luciana Rochedo Spencer dos Santos, Marcelo Fernandes Pacheco Dias

Resumo


O trabalho apresentado tem como objetivo analisar os fatores sociotécnicos que contribuem para a trajetória inovadora da produção vitivinícola na Campanha Gaúcha. Dentro de uma análise de transição utiliza-se a abordagem teórica da perspectiva multinível (PMN) para se compreender a adoção da vitivinicultura, através de um estudo de caso de uma região que tem recebido destaque pela produção de vitis viniferas. Para atender aos objetivos da pesquisa realizou-se a investigação em duas etapas. A etapa A definiu as três fases da vitivinicultura na região, a primeira de 1887 a 1969 (Experimentação), a segunda de 1970 a 1999 (Estabilização) e a terceira de 2000 aos dias atuais (Resistência). Na etapa B foram identificados os fatores sociotécnicos, suas combinações e como evoluem ao longo do tempo. No intuito de somar esforços à teoria já existente em estudos de transição foram feitas duas proposições. A primeira proposição refere-se à inclusão de fatores no nível do regime denominados de potencial estruturante, especificidades da demanda e dinamismo da produção do conhecimento; e a segunda proposição corresponde à inclusão de fatores no nível do nicho denominados de identificação de oportunidades e ameaças, aproveitamento das oportunidades, reconfiguração, condições promotoras e barreiras. Foram identificados novos fatores que foram associados à ideia de recursos, sendo incluídos no nível da paisagem e do nicho. Ambas as proposições foram confirmadas.

Palavras-chave


Campanha Gaúcha; Perspectiva Multinível; Transição; Vitivinicultura.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, G. M. A.; DIAS, M. F. P.; MAEHLER, A. E. Processo de inovação: estudo de caso da adoção do sistema de produção de arroz orgânico vinculada ao NEMA. Revista de Administração da UFSM, Santa Maria, v. 9, n. 02, p. 262-279, Abr./Jun. 2016.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 3ª ed. Lisboa: Edições 70, 2004.

BIJKER, W. E. Of Bicycles, Bakelites, and Bulbs: Toward a Theory of Sociotechnical Change. Cambridge, Mass: MIT Press, 1995.

BULHÕES, F. M. Conhecimento e inovação no manejo de sistemas agroflorestais por citricultores ecológicos no Vale do Caí. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural) - Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 2011.

DIAS, M. F. P.; PEDROZO, E. A.; SILVA, T. N. D. The innovation process as a complex structure with multilevel rules. Journal of Evolutionary Economics, v. 24, n. 5, p. 1067-1084, 2014.

ELZEN, B.; GEELS, F. W.; BARBARA, C. L.; MIERLO, V. Normative contestation in transitions ‘in the making’: Animal welfare concerns and system innovation in pig husbandry. Research Policy, v. 40, p. 263-275, 2011.

FALCADE, I. A paisagem como representação espacial: A paisagem vitícola como símbolo das indicações de procedência de vinhos das regiões Vale dos Vinhedos, Pinto bandeira e Monte Belo (Brasil). 2011. 309 f. Tese (Doutorado em Geografia). Programa de Pós-Graduação em Geografia. Porto Alegre: IGEO, UFRGS, 2011.

GEELS, F. W. Technological transitions as evolutionary reconfiguration processes: a multi-level perspective and a case-study. Research Policy, v. 31, n. 8-9, p. 1257-1274, 2002.

GEELS, F. W. The dynamics of transitions in socio-technical systems: a multi-level analysis of the transition pathway from horse-drawn carriages to automobiles (1860-1930). Technology Analysis & Strategic Management, v. 17, n. 4, p. 445-476, 2005.

GEELS, F. W. The multi-level perspective on sustainability transitions: responses to seven criticisms. Environmental Innovation and Societal Transitions, v. 1, n. 1, p. 24-40, 2011.

GEELS, F. W.; SCHOT, J. Typology of sociotechnical transition pathways. Research Policy, v. 36, n. 3, p. 399-417, 2007.

GENUS, A.; COLES, A. M. Rethinking the multi-level perspective of technological transitions. Research Policy, v. 37, p. 1436-1445, 2008.

HOFMAN, P. S.; ELZEN, B. Exploring system innovation in the electricity system through sociotechnical scenarios. Technology Analysis & Strategic Management, v. 22, n. 6, 653-670, Aug. 2010.

LACHMAN, D. A. A survey and review of approaches to study transitions. Energy Policy, v. 58, p. 269-276, Jul. 2013.

LOORBACH, D. Transition Management: New Mode of Governance for Sustainable Development, International Books, Utrecht, 2007.

MARKARD, J.; RAVEN, R.; TRUFFER, B. Sustainability transitions: An emerging field of research and its prospects. Research Policy, v. 41, n. 6, p. 955-967, Jul. 2012.

MARQUES, F. C. Velhos conhecimentos, novos desenvolvimentos: transições no regime sociotécnico da agricultura: a produção de novidades entre agricultores produtores de plantas medicinais no sul do Brasil. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural) - Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 2009.

MENDONÇA, M. A. F. C. Sistemas agroalimentares e sustentabilidade: sistemas de certificação da produção orgânica no Sul do Brasil e na Holanda. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural) - Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 2015.

MILLER, R.; FLORICEL, S. Games of Innovation: a new theoretical perspective. International Journal of Innovation Management, v. 11, n. 1, p. 35, 2007.

NELSON, R. R.; WINTER, S. G. An evolutionary theory of economic change. Cambridge, M. A.: Harvard Univ. Press, 1982.

NICOLA, M. P. Espaço protegido e desenvolvimento rural: Práticas e trajetórias na pecuária familiar da Região Centro Sul do Rio Grande do Sul. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural) - Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 2015.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. The Knowledge Creating Company. New York: Oxford University Press, 1995.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookmann, 2008.

NYKVIST, B.; WHITMARSH, L. A multi-level analysis of sustainable mobility transitions: Niche development in the UK and Sweden. Technological Forecasting & Social Change. v. 75, p. 1373-1387 (2008).

OROSKI, F. de A. Espaço protegido e desenvolvimento rural: Práticas e trajetórias na pecuária familiar da Região Centro Sul do Rio Grande do Sul. Tese (Doutorado em Processos Químicos e Bioquímicos) - Escola de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: UFRJ, 2013.

RAVEN, R. P. J. M. Implementation of manure digestion and co-combustion in the Dutch electricity regime: a multi-level analysis of market implementation in the Netherlands. Energy Policy, n. 32, p. 29-39, 2004.

ROOTMANS, J.; KEMP, R.; ASSELT, M. More evolution than revolution: Transition management. Foresight. v. 3, n. 1, Feb. 2001.

SMITH, A. Translating Sustainabilities Between Green Niches and Socio-Technical Regimes. Technology Analysis & Strategic Management, v. 19, n. 4, p. 427-450, July 2007.

TEECE, D. J. Explicating dynamic capabilities: The nature and microfoundations of (sustainable) enterprise performance. Strategic Management Journal, v. 28, n. 13, p. 1319-1350, Dec. 2007.

TORRES, A. C.; MARTINS, J. V. B.; OROSKI, F. A.; ALVES, F. C. Transição de sistemas tecnológicos: o desafio da inclusão das matérias-primas renováveis na indústria química brasileira. In: Congresso Latino-Iberoamericano de Gestão da Tecnologia, 16., 2015. Anais [...]. Porto Alegre: ALTEC, 2015.

VAN DRIEL, H.; SCHOT, J. Adical Innovation as a Multilevel Process: Introducing froating grain elevators in the Porto of Rotterdam. Technology and Culture, v. 46, n. 1, January, 2005.

VERBONG, G. P. J.; GEELS, F. W. The ongoing energy transition: lessons from a sócio-technical, multi-level analysis of the Dutch electricity system (1960-2004). Energy Policy, v. 35 (2), p. 1025-1037, 2007.

VERBONG, G. P. J.; GEELS, F. W. Exploring sustainability transitions in the electricity sector with socio-technical pathways Technological. Forecasting & Social Change, v. 77, p. 1214-1221, 2010.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Tradução Cristina Matheus Herrera. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

ZAHRA, S. A.; GEORGE, G. A. Absorptive capacity: a review, reconceptualization, and extension. Academy of Management Review, New York, v. 27, n. 2, p. 185-203, apr. 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2019v12n2p409-434

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente


Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 2176-9168 On-line
ISSN 1981-9951 Versão impressa interrompida em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.