Prevalência de quedas em idosos na comunidade

Heloísa Silva Guerra, Renata Alves e Sousa, Daniela Cristina Ferreira Bernardes, Juliana Alves Santana, Luana Marchese Barreira

Resumo


A ocorrência de quedas constitui uma das principais causas de morbidade e mortalidade na população idosa, tendo se tornado um problema importante de saúde pública devido aos altos custos sociais e financeiros que acarreta. O objetivo deste estudo foi determinar a prevalência de quedas em idosos vinculados a uma unidade básica de saúde. Trata-se de estudo descritivo transversal com a avaliação de idosos a partir de dois instrumentos: um relacionado aos dados sóciodemográficos e outro sobre a ocorrência de quedas nos últimos 12 meses. Os dados foram processados e analisados por meio do SPSS® versão 20.0 para Windows. No total, 97 idosos com média de idade de 70,5 anos (+ 8 anos) participaram do estudo 32 idosos referiram ter caído pelo menos uma vez nos últimos 12 meses, estimando prevalência de 33% (32/97; IC 95%: 24,2% - 42,8%) de quedas entre os participantes. O número de quedas variou de uma a 10 vezes no último ano, com média de duas quedas por idoso (+ 2 quedas). A queda da própria altura (87,5%) e ocorrida fora do domicílio (31,3%), foi a mais referida. O medo de cair novamente foi a consequência permanente da queda mais apontada pelos idosos. A prevalência de quedas neste estudo apresentou índices importantes, trazendo repercussões negativas para a saúde dos indivíduos.

Palavras-chave


Acidentes por quedas; Idoso, Atenção primária à saúde

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/1983-1870.2016v9n3p547-555

Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1983-1870 Impressa
ISSN 2176-9206 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.