APOIO MATRICIAL NA ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL EM UMA REGIONAL DE SAÚDE, PARANÁ, BRASIL

Georgia Dalla Valle Garcia, Isabella Fernanda da Silva, Marília Cavalcante, Michele da Rocha Cervo, Gustavo Zambenedetti, Daniela Viganó Zanoti-Jeronymo

Resumo


Este estudo objetivou analisar os limites e possibilidades do apoio matricial em saúde mental na Atenção Básica, segundo a percepção de gestores e profissionais de saúde em uma regional de saúde, Paraná, Brasil. Trata-se de um recorte da pesquisa intitulada Componentes da Rede de Atenção à Saúde Mental: realidade da 4ª e 5ª Regional de Saúde do Estado do Paraná. Os dados foram coletados por grupo focal e submetido à análise de conteúdo, da qual emergiram duas categorias. Na primeira categoria discute-se a não realização do matriciamento por parte do NASF e CAPS e as contradições entre as políticas de saúde e sua efetivação. Na segunda, pontua-se a realização e as potencialidades do matriciamento em saúde mental. Ficou evidente que as equipes de apoio matricial precisam assumir a responsabilidade de suporte técnico à atenção básica principalmente no acolhimento às necessidades de saúde mental.

Palavras-chave


Saúde mental; Sistemas de apoio psicossocial; Serviços de saúde mental; Atenção primária em saúde

Texto completo:

PDF

Referências


ATHIÉ, K; FORTES, S; DELGADO, P. G. G.. Matriciamento em saúde mental na Atenção Primária: uma revisão crítica (2000-2010). Rev Bras Med Fam Comunidade. Rio de Janeiro, p. 64-74, 2013.

BAREMBLITT, G. Compêndio de analise institucional e outras correntes. Rio de Janeiro: Rosa dos tempos, 1996.

BEZERRA, E; DIMENSTEIN, M. Os Caps e o trabalho em rede: tecendo o apoio matricial na Atenção Básica. Psicologia Ciência e Profissão, v. 28, n. 3, p. 632-645, 2008.

BRASIL. Adoecimento mental e trabalho: A concessão de benefícios por incapacidade relacionados a transtornos mentais e comportamentais entre 2012 e 2016. 1º Boletim Quadrimestral sobre benefícios por incapacidade, 2017. Brasília: Ministério da Fazenda, 2017. Disponível em: . Acesso em: 11 ago. 2017.

BRASIL. Saúde Mental. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. (Cadernos de Atenção Básica, n. 34).

BRASIL. Portaria nº 3.124, de 28 de dezembro de 2012. Redefine os parâmetros de vinculação dos Núcleos de Apoio à saúde da Família (NASF) modalidades 1 e 2 às equipes Saúde da Família e/ou Equipes de Atenção Básica para populações específicas, cria a modalidade Nasf 3. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2012.

BRASIL. Portaria nº 154, de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família - NASF. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2008.

BRASIL. Saúde mental no SUS: os Centros de Atenção Psicossocial. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

CAMPOS, G. V. S; DOMITTI, A. C. Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para gestão do trabalho interdisciplinar em saúde. Cad de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 23, n. 2, p. 399-407, 2007.

CHIAVERINI, D. H. Guia prático de matriciamento em saúde mental. Brasília: Ministério da Saúde: Centro de Estudo e Pesquisa em Saúde Coletiva, 2011. p. 236.

FRANCO, T.B. As Redes na Micropolítica do Processo de Trabalho em Saúde. In: Pinheiro, R.; Matos, R.A. Gestão em Redes: práticas de avaliação, formação e participação na saúde. Rio de Janeiro: LAPPIS-IMS/UERJ-ABRASCO, 2006. p. 159-173.

LANCETTI, A.; AMARANTE, P. Saúde mental e saúde coletiva. In: CAMPOS, G.W.S et al. (Org.). Tratado de saúde coletiva. São Paulo: Hucitec, 2009. P. 615 -634.

MINOZZO, F.; COSTA, I.I. Integrando Caps e Saúde da Família: apoio matricial em saúde mental. In: NEVES, R.; PAULON, S. Saúde mental na Atenção Básica: a territorialização do cuidado. Porto Alegre: Sulina, 2013. p. 61-82.

PENIDO, C.M.F. Apoio matricial em saúde mental no contexto da saúde coletiva. In: NEVES, R.; PAULON, S. Saúde mental na Atenção Básica: a territorialização do cuidado. Porto Alegre: Sulina, 2013. p. 17-38.

ROCHA, M; FONSECA, D. R. Matriciamento em Saúde Mental. Florianópolis, 2016. Disponível em: . Acesso em: 8 jul. 2016.

WHO. Mental Health Atlas 2014. World Health Organization: Geneva, 2014. Disponível em: . Acesso em: 11 ago. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/1983-1870.2017v10n3p423-432

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1983-1870 Impressa
ISSN 2176-9206 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.