SINTOMAS DE ESTRESSE EM FAMILIARES DE PACIENTES ADULTOS EM TERAPIA INTENSIVA

Tatiele Galli Zanetti, Sandra Leontina Graube, Cátia Cristiane Matte Dezordi, Vivian Lemes Lobo Bittencourt, Roberta Cattaneo Horn, Eniva Miladi Fernandes Stumm

Resumo


Correlacionar sintomas físicos e psicológicos das fases de estresse identificadas em familiares de pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva Adulto. Estudo quantitativo, transversal, analítico, realizado em um hospital geral do Rio Grande do Sul. A amostra foi composta por 22 familiares e para coleta de dados foi utilizado formulário sociodemográfico e Inventário de Sintomas de Estresse. Constatou-se que 45,5% dos participantes da pesquisa encontravam-se na fase final e 40,9% na intermediária. Houve correlação estatisticamente significante entre número de sintomas fisiológicos e psicológicos presentes nas diferentes fases. O reconhecimento de sintomas de exaustão em familiares de pacientes em terapia intensiva pelo enfermeiro é importante aliado às estratégias de enfrentamento adequadas, que incluem acolhimento, instrumentalização, orientação e apoio aos familiares neste período.

Palavras-chave


Unidade de terapia intensiva; Família; Estresse psicológico; Enfermagem

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, T.G.T.; SENA, L.B.; OLIVEIRA, A.S.; LOPES, M.L.H.; SARDINHA, A.H.L. Cuidadores familiares de idosos portadores de condição crônica. Rev PesqSaúde, v. 14, n.3, p.145-9, 2013.

BAPTISTA, B.O.; BEUTER, M.; PERLINI, N. M. G. O.; BRONDANI, C.M., BUDÓ, M. D.L.D.; SANTOS, N. A sobrecarga do familiar cuidador no âmbito domiciliar: uma revisão integrativa da literatura.Rer.gaúch.enferm, v.33, n.1, p 147-56, 2012.

BARBOSA, M. R.; SANTOS, F. U.; BARBOSA, M. R. Sourcesof stress Patient with diagnosi sofbre ast malignant neoplasia. Rev. bras.ter. cogn., v.8, n.1, p. 10-18, 2012.

BOUSSO, R. S.; POLES, K. S. T. S.; MIRANDA, M. G. Crenças religiosas, doença e morte: perspectiva da família na experiência de doença. Rev. Esc. Enferm. USP, v.45, n.2, p. 397-403, 2011.

CANICALI, P. C.; COSTA, A. M. H.; SILVEIRA, C. D.; CORDEIRO, P. T.; NOGUEIRA, T. P.; MARTINS B. G. B.; COSTA, L. F. M. Estresse em mulheres mastectomizadas. Investigación y Educación en Enfermería, v. 31n. 3, p. 385-394, 2013.

CAVALCANTE, E. S.; SILVA, R. A. R.; MENDONÇA, A. E. O.; COSTA, M. M. N.; MIRANDA, F.A. N. Evaluation of the stress level of chronic kidney disease patients undergoing hemodialysis treatment. Journal of Nursing UFPE on line, v. 7, n. 5, p. 1264-1270, 2013.

NASCIMENTO, E. R. P., GULINI, J. E. H. M. B., MINUZZI, A. P., RASIA, M.A., DANCZUK, R. F. T., SOUZA, B.C. As relações da enfermagem na unidade de terapia intensiva no olhar de Paterson e Zderad. Revista Enfermagem UERJ, v. 24, n. 2, p. 5817, 2016.

DREFFS, F.M.L.; STUMM, E.M.F.; WINKELMANN, E.R.; UBESSI, L.D. Mecanismos de coping utilizados por familiares de pacientes em terapia intensiva. Revista Ciência & Saúde, Porto Alegre, v. 6, n. 1, p. 52-58, jan./abr, 2013.

FERREIRA, P.D.; MENDES, T N.; Família em UTI:: importância do suporte Psicológico diante da iminência de morte. Rev. SBPH, v. 16, n. 1, p. 88-112, 2013.

GOMES, C.M.; CAPELLARI, C.; PEREIRA, D. S.; VOLKART, P.R.; MORAES, A.P.; JARDIM, V. Estresse e risco cardiovascular: intervenção multiprofissional de educação em saúde. Rev. Bras. Enferm, v. 69, n. 2, p. 351-359, 2016.

LIPP, M. E. N. Manual do inventário de sintomas de stress para adultos de Lipp (ISSL). São Paulo: Casa do Psicólogo, v. 76, 2000.

MOMBELLI, M. A.; COSTA, J. B. D.; MOURA, C. .D.; MARCON, S. S. Estrutura e suporte familiar como fatores de risco de stress infantil. Estudos de Psicologia, v. 28, n. 3, p. 327-335, 2011.

PRATO, S.C.F.; SANTOS F.C.; TREVISANI, V. F. M. Pé doloroso do idoso associado à incapacidade funcional. Rev. Dor, v. 13, n. 1, p. 18-24, 2012.

RODRIGUES, M .P. R.; SCHIAVO R. A. Stress na gestação e no puerpério: uma correlação com a depressão pós-parto. Rev. Bras. Ginecol.Obstet., v. 33, n. 9, p. 252-257, 2011.

SELL, C.T.; BETELL, B.T.; NASCIMENTO, E.R.P.; PADILHA M.I.; CARVALHO J.B. Cuidados intensivos: alterações na dinâmicafamiliar Rev. enferm. UERJ, v. 20, n. 4, p. 488-92, 2012.

SIMÕES, J.; BIANCHI, L. R. O. Prevalência da síndrome de Burnout e qualidade do sono em trabalhadores técnicos de enfermagem. Revista Saúde e Pesquisa, v. 9, n. 3, p. 473-481, 2016.

SIMONI, R.C.M.; SILVA, M.J.P. O impacto da visita de enfermagem sobre as necessidades dos familiares de pacientes de UTI. Rev. Esc. enferm. USP, v.46, p. 65-70, 2012.

ZANETTI, T.G.; STUMM, E.M.F.; UBESSI, L. Stress and coping in families of patients in an intensive care unit. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, v. 5, n. 2, p. 3608-3619, 2013.

WACHTER, L. G.; BENETTI, P. E.; BENETTI, E. R. R.; CARLI, L. C.; GOMES, J. S.; STUMM, E. M. F. Percebido estresse de membros da família de pacientes renais crônicos em tratamento de hemodiálise. Revista de enfermagem UFPE on-line, v. 10, n. 5, p. 1756-1762, 2016.

WOTTRICH, S. H.; ÁVILA, C. D. M.; MACHADO, C. C.; GOLDMEIER, S.; DILLENBURG, D.; KUHL, C. P.; RUSCHEL, P. P. Gênero e manifestação de stress em hipertensos. Estudos de Psicologia, v. 28, n. 1, p. 27-34, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/1983-1870.2017v10n3p549-555


Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1983-1870 Impressa
ISSN 2176-9206 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.