INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NO TRATAMENTO DE PACIENTE COM PARALISIA FACIAL PERIFÉRICA: ESTUDO DE CASO

Alex Douglas Conceição Tavares, Wesley Pereira de Souza, Elaine Andrade de Jesus

Resumo


Buscou-se no trabalho realizar um protocolo de intervenção fisioterapêutica no tratamento de paciente acometida pela Paralisia Facial Periférica (PFP) e verificar seus resultados, relacionando-o com a funcionalidade e influenciando na qualidade de vida, enquanto estudo de caso, realizado no Ambulatório de Neurologia da Faculdade Estácio Sergipe – Aracaju-SE. Como método avaliativo, foram utilizadas escalas de House-Brackmann e Visual Analógica para coleta de dados. Os atendimentos duraram oito semanas com seções de 50 minutos cada (total de 16 atendimentos) utilizando-se os seguintes recursos: crioestimulação, massagem excitatória, estimulação elétrica funcional (FES), facilitação neuromuscular proprioceptiva e mímica facial. Como resultados foi observada a redução de grau de disfunção na escala de House-Brackmann e de escore de dor na escala visual analógica (EVA). Houve reestabelecimento da simetria, propagação excitatória nervosa e efetiva contração muscular de face, sendo observados reintegração social e melhora da qualidade de vida da paciente. Contudo, faz-se necessária a produção de novos estudos, com maior aprofundamento e número de pacientes, para fundamentação e afirmação de futuros protocolos de intervenção fisioterapêutica no tratamento da PFP.

Palavras-chave


Fisioterapia; Nervo facial; Paralisia de Bell; Reabilitação

Texto completo:

PDF

Referências


Januário PO, Cruz AT, Garcez AG, Junior ARP, Nicolau RA, Lima MO. Efeitos terapêuticos do biofeedback e do laser de baixa intensidade na função física e social em pacientes com paralisia facial periférica. Ter Man., 2012;10(47):34-9. Disponível em: http://dx.doi.org/10.9736/TerMan.v10.n47.62

Souza IF, Dias ANM, Fontes FP, Melo LP. Métodos Fisioterapêuticos utilizados no tratamento da Paralisia Facial Periférica: uma revisão. Rev Bras de Ciências da Saúde, 2015;19(4):315-20. DOI:10.4034/RBCS.2015.19.04.10

Giln J.V. Charles Bell (1774–1842). J Neurol, 2011;87(258):1189-90. DOI: 10.1007/s00415-011-5912-5

Ferreira MAA, Lavor M, Carvalho GM, Guimarães AC, Silva VG, Paschoal JR. Paralisia Facial Periférica e Gestação: abordagem e tratamento. Rev. Bras. Ginecol. Obstet, Rio de Janeiro, 2013 Aug; 35(8):368-72; Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032013000800006

Silva MFF, Peres SV, Tessitore A, Paschoal JR, Cunha MC. Aplicação da escala psicossocial de aparência facial na avaliação da paralisia facial periférica: estudo piloto. Audiol Commum Res, São Paulo, 2016 Jun;21:e1618. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/2317-6431-2015-1618

Silva MFF, Brito AF, Campos MF, Cunha MC. Atendimento multiprofissional da paralisia facial periférica: estudo de caso clínico. Distúrbios Comuns, São Paulo, 2015 Jun; 27(2):364-8; Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/dic/article/view/21157

Jesus LB, Bernardes DFF. Caracterização funcional da mímica facial na paralisia facial em trauma de face: relato de caso clínico. Rev. CEFAC; 2012 Set-Out; 14(5):971-6. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-18462012005000005

Lima FS, Fagundes DS, Lima RRO. Facilitação neuromuscular proprioceptiva na reabilitaçâo da paralisia facial periférica: um estudo de caso. Rev Cient FAEMA, 2016 Jan-Jun; 7(1):27-40.

Fonseca KMO, mourão AM, Motta AR, Vicente LCC. Scales of degree of facial paralysis. Braz J Otorhinolaryngol, 2015 May/Jun; 81(3):288-93. https://doi.org/10.1016/j.bjorl.2014.04.005

Martinez JE, Grassi DC, Marques LG. Análise da aplicabilidade de três instrumentos de avaliação de dor em distintas unidades de atendimento: ambulatório, enfermaria e urgência. Rev Bras Reumatol, 2011; 51(4):299-308. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0482-50042011000400002

Gregório AO, Cavalheiro R, Tirelli R, Fréz AR, Ruaro MB, Ruaro JA. Influência do tempo de aplicação da crioterapia na sensibilidade cutânea. Rev Dor. São Paulo; 2014Jan-Mar;15(1):9-12. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5935/1806-0013.20140003

Wenceslau LGC, Sassi FC, Magnani DM, Andrade CRF. Paralisia facial periférica: atividade muscular em diferentes momentos da doença. CoDAS, 2016; 28(1):3-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/codas/v28n1/2317-1782-codas-28-01-00003.pdf

Santos LST. Uso da Estimulação Elétrica Funcional – FES em pacientes neurológicos. FUFS, Feira de Santana/BA, 2013. Disponível em: http://www.fufs.edu.br/admin/anexos/09-08-2013_17_19_54_.pdf

Guimarães AC, Carvalho GM, Voltolini MM, Zappelini CE, Mezzalira R, Stoler G. Study of the relationship between the degree of tinnitus annoyance and the presence of hyperacusis. Braz J Otorhinolaryngol, 2014; 80(1):24-8. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5935/1808-8694.20140007

Furlan, RMMM. Uso da crioterapia no tratamento de disfunções temporomandibulares. Rev. CEFAC. 2015 Mar-Abr; 17(2):648-55. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1982-021620156914

Tomadon A, Ferreira AJM, Liberari M, Matera NF, Portolez JLM, Bertolini GRF. Crioterapia como fator interveniente na dor muscular de início tardio. Rev. Bras. de Fisiol. do Exerc, 2014 Jul-Ago; 13(4)

Santos TS. Quantificação do uso da crioterapia no desempenho físico e tratamento de lesões na base de dados Scielo.org. RBPFEX, São Paulo. 2014 Jan-Fev; 8(43):44-9. Disponível em: http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/582

Guimarães SSF, Coelho C F, Carruba LB. Efeitos da crioterapia na adequação tônica do membro superior hemiparético pós acidente vascular encefálico. MTP&Rehab Journal, 2014; 12:08-16. Disponível em: doi: http://dx.doi.org/10.17784/mtprehabjournal.2014.12.159.

Martins FL, Carvalho LC, Silva CC, Brasileiro JS, Souza TO, Lindquist ARR. Efeitos imediatos da TENS e crioterapia na excitabilidade reflexa e atividade voluntária de sujeitos hemiparéticos: um estudo controlado aleatorizado cruzado. Rev Bras Fisioter. 2012; 16(4):337-44. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-35552012005000032

Watson GJ, Glover S, Allen S, Irving RM. Outcome of facial physiotherapy in patients with prolonged idiopathic facial palsy. J Laryngol Otol. 2015 Apr; 129(4):348-52. Doi: 10.1017/S0022215115000675

Alves MLSD, Jardins MHAG, Gomes BP, Freitas OMS. Efeito da massagem terapêutica na saúde mental das pessoas com patologia oncológica. Rev Portug de Enfermagem de Saúde, 2015 Fev; 2(Ed Esp):119-22. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/rpesm/nspe2/nspe2a20.pdf

Abreu MF, Souza TF, Fagundes DS. Os efeitos da massoterapia sobre o estresse físico e psicológico. Rev Cient da Fac de Educ e Meio Ambiente, 2012 Jun; ed.3(1):101-5. Disponível em: http://www.faema.edu.br/revistas/index.php/Revista-FAEMA/article/view/119

Silva DD, Borges ACL, Lima MO, Lima FPS, Freitas STT, Noqueira DV, et al. Resistência ao movimento e atividade eletromiográfica dos músculos flexores e extensores de cotovelo em pacientes hemiparéticos espásticos submetidos à crioterapia e estimulação elétrica neuromuscular. Braz. J. Biom. Eng. 2012; 28(3): 248-60. Disponível em: http://dx.doi.org/10.4322/rbeb.2012.025

Paula CAS, Nader BB, Neto JFMA. Paralisia facial de Bell e estratégias de intervenção fisioterápica preventiva ao acometimento da sincinesia. Rev Dig Buenos Aires, 2014 Dez;19(199)

Hindle BK, Whitcomb TJ, Briggs WO, Hong J. Proprioceptive Neuromuscular Facilitation (PNF): Its Mechanisms and Effects on Range of Motion and Muscular Function. Journal of Human Kinetics, 2012; 31:105-113; Doi: 10.2478/v10078-012-0011-y

Franca HS, Volpato CP, Fernandes SW, Carvalho NAA, Freitas DG. Abordagem fisioterapêutica em paralisia facial após carcinoma adenoide cístico. Relato de caso. Rev Bras Clin Med. São Paulo; 2012 Set-Out; 10(5):446-9. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/1679-1010/2012/v10n5/a3145.pdf

Jayatilake D, Isezaki T, Teramoto Y, Equchi K, Suzuki K. Robot assisted physiotherapy to support rehabilitation of facial paralysis. IEEE Trans Neural Syst Rehabil Eng; 2014 May; 22(3):644-53. DOI:10.1109/TNSRE.2013.2279169

Santos JKO, Gama ACC, Silvério KCA, Oliveira NFCD. Uso da eletroestimulação na clínica fonoaudiológica: uma revisão integrativa da literatura. Rev. CEFAC; 2015 Set-Out; 17(5):1620-32; Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1982-02162015175118114




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/1983-1870.2018v11n1p179-189

Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1983-1870 Impressa
ISSN 2176-9206 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.