<b>Aspectos Ambientais do Agronegócio Flores e Plantas Ornamentais

  • Nadiane Conceição Mitsueda Centro Universitário de Maringá – CESUMAR
  • Eduardo Vicente da Costa Centro Universitário de Maringá – CESUMAR
  • Pérsio Sandir D´Oliveira Centro Universitário de Maringá – CESUMAR
Palavras-chave: Agricultura, Floricultura, Sustentabilidade.

Resumo

O cultivo de flores e plantas ornamentais no Brasil é uma atividade importante, pois gera empregos e renda em diversos estados brasileiros. Ocorre essa atividade principalmente em pequenas propriedades rurais, muitas delas com mão-de-obra familiar. A área plantada encontra-se em expansão, tanto em condições de campo como em ambiente protegido. As principais espécies cultivadas incluem: crisântemo, rosa, kalanchoe, violeta, begônia, gérbera, ficus e samambaia. As principais regiões produtoras de flores são Norte e Nordeste. O setor enfrenta problemas com a sazonalidade das vendas, e o baixo consumo per capita. Contudo, do ponto de vista ambiental, a floricultura apresenta muitas vantagens sobre outras culturas de importância econômica. A utilização de resíduos agroindustriais, como fertilizantes ou substratos; o uso eficiente da água e de nutrientes minerais, através da fertirrigação; e o cultivo em ambiente protegido resulta em menor impacto ambiental. O agronegócio de flores e plantas ornamentais se enquadra no contexto de desenvolvimento sustentável.

Biografia do Autor

Nadiane Conceição Mitsueda, Centro Universitário de Maringá – CESUMAR
Pós-Graduanda em Planejamento Ambiental no Centro Universitário de Maringá – CESUMAR. E-mail: namitsueda@yahoo.com.br
Eduardo Vicente da Costa, Centro Universitário de Maringá – CESUMAR
Pós-Graduando em Planejamento Ambiental no Centro Universitário de Maringá – CESUMAR. E-mail: eduardovicente@usacucar.com.br
Pérsio Sandir D´Oliveira, Centro Universitário de Maringá – CESUMAR
Engenheiro Agrônomo; Docente Doutor e Pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Planejamento Ambiental do Centro Universitário de Maringá – CESUMAR. E-mail: persio@wnet.com.br
Publicado
2010-08-31
Seção
Agronegócio