Composição florística e fitossociológica de ecótono entre floresta ombrófila mista e floresta estacional semidecidual

  • Maurício Shoji Seki Universidade Federal do Paraná - UFPR https://orcid.org/0000-0001-7190-5075
  • Christopher Thomas Blum Universidade Federal do Paraná - UFPR
  • Román Carlos Ríos Universidade Federal do Paraná - UFPR
  • Murilo Lacerda Barddal Companhia Paranaense de Energia - COPEL
  • Edilaine Duarte Universidade Federal do Paraná - UFPR
  • Renann de Silos Vieira Universidade Federal do Paraná - UFPR https://orcid.org/0000-0002-9324-5394
Palavras-chave: Estrato arbóreo, Grupos ecológicos, Similaridade, Sub-bosque, Sucessão

Resumo

O objetivo do estudo foi caracterizar a florística, a estrutura e o estágio sucessional de um remanescente florestal secundário de 38 anos, ecótono entre FOM e FES, adjacente a reservatório hidrelétrico em Bituruna (PR). Foram instaladas 60 parcelas de 200 m² para o estrato arbóreo e 60 subparcelas de 10 m² para o sub-bosque. O estrato arbóreo apresentou densidade de 1.035 indiv.ha-1, área basal de 38,98 m².ha-1, 108 espécies nativas e diversidade de Shannon de 4,01. No sub-bosque foi registrada densidade de 11.000 indiv.ha-1, área basal de 8,65 m².ha-1, 96 espécies nativas e diversidade de Shannon de 3,67. A riqueza e diversidade encontradas foram expressivas em ambas as sinúsias. As espécies não pioneiras se destacaram, especialmente no sub-bosque. As espécies típicas de FES foram discretamente mais representativas do que as de FOM, com menor diferença no estrato arbóreo. Houve dissimilaridade significativa na composição florística entre o estrato arbóreo e o sub-bosque. A floresta mostrou bom estado de conservação e características de estágio sucessional intermediário a avançado, com potencial de amadurecimento. A proporção de espécies típicas de cada fitofisionomia correspondeu ao esperado para as condições altitudinais e topográficas do ecótono estudado.

Biografia do Autor

Maurício Shoji Seki, Universidade Federal do Paraná - UFPR
Mestrando em engenharia florestal pela Universidade Federal do Paraná, Curitiba (PR), Brasil.
Christopher Thomas Blum, Universidade Federal do Paraná - UFPR
Professor doutor no Programa de Pós-graduação em Engenharia Florestal da Universidade Federal do Paraná, Curitiba (PR), Brasil.
Román Carlos Ríos, Universidade Federal do Paraná - UFPR
Professor doutor no curso de graduação em engenharia florestal da Universidade Federal do Paraná, Curitiba (PR), Brasil.
Murilo Lacerda Barddal, Companhia Paranaense de Energia - COPEL
Engenheiro florestal doutor da Companhia Paranaense de Energia (COPEL), Curitiba (PR), Brasil.
Edilaine Duarte, Universidade Federal do Paraná - UFPR
Doutoranda em engenharia florestal pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba (PR), Brasil.
Renann de Silos Vieira, Universidade Federal do Paraná - UFPR
Biólogo, Mestre em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba (PR), Brasil.

Referências

ADENESKY-FILHO, E.; VALDRIS, D.; SCHORN, L. A.; BOTOSSO, P. C.; GALVÃO, F. Estrutura fitossociológica em uma zona de ecótono de floresta estacional semidecidual e floresta ombrófila mista. In: Seminário Sul-Brasileiro sobre a Sustentabilidade da Araucária, 3., 2018, Passo Fundo. Anais [...] Passo Fundo: Lew, 2018. p. 80-82.

AGUIAR, M. D.; SILVA, A. C.; HIGUCHI, P.; NEGRINI, M.; SCHOLLEMBERG, A. L. Similaridade entre adultos e regenerantes do componente arbóreo em Floresta com Araucária. Floresta e Ambiente, v. 24, n. e00083214, p. 1-10, 2017.

ALVARES, C. A.; STAPE, J. L.; SENTELHAS, P. C.; GONÇALVES, J. L. M.; SPAROVEK, G. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, v. 22, n. 6, p. 711-728, 2013.

ANDRADE, R. C. Avaliação do sub-bosque de matas ciliares em restauração no interior do estado de São Paulo, Brasil. 2018. Dissertação (Mestrado em Biologia Vegetal) - Instituto de Biologia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

APG IV. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG IV. Botanical Journal of the Linnean Society, v. 181, p. 1-20, 2016.

BERGAMIN, R. S. Variação espacial e temporal de espécies arbóreas em florestas da Mata Atlântica: perspectivas sobre o efeito de mudanças climáticas e planejamento de conservação. 2017. Tese (Doutorado em Ciências - Ênfase em Ecologia) - Instituto de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

CARMO, M. R. B.; ASSIS, M. A. Caracterização florística e estrutural das florestas naturalmente fragmentadas no Parque Estadual do Guartelá, município de Tibagi, estado do Paraná. Acta Botanica Brasilica, v. 26, n. 1, p. 133-145, 2012.

CHAZDON, R. L. Renascimento de florestas: regeneração na era do desmatamento. São Paulo: Oficina de Textos, 2016.

CNCFLORA. Núcleo Lista Vermelha, 2019. Disponível em: http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/projetos/lista-vermelha. Acesso em: 4 dez. 2019.

FELFILI, J. M.; EISENLOHR, P. V.; MELO, M. M. R. F.; ANDRADE, L. A.; MEIRA-NETO, J. A. A. Fitossociologia no Brasil. Viçosa: UFV, 2011. v. 1.

FINOL, H. U. Nuevos parámetros a considerarse en el análisis estructural de las selvas vírgenes tropicales. Revista Forestal Venezolana, v. 14, n. 21, p. 29-42, 1971.

GOMES, J. S.; GOMES, J. S.; SILVA, A. C. B. L.; RODAL, M. J. N.; SILVA, H. C. H. Estrutura do sub-bosque lenhoso em ambientes de borda e interior de dois fragmentos de floresta atlântica em Igarassu, Pernambuco, Brasil. Rodriguésia, v. 60, n. 2, p. 295-310, 2009.

GOOGLE LLC. Google Earth Pro. Versão 7.3. Mountain View: Google, 2019. Disponível em: https://www.google.com.br/earth/download/gep/agree.html. Acesso em: 9 dez. 2020.

GROSS, A.; CABRAL, S. L.; MACHADO, F. D.; BONAZZA, M.; SILVESTRE, R.; HOFF, R. Composição florística e estrutura horizontal de um ecótono de floresta ombrófila mista e floresta estacional semidecidual em Bento Gonçalves, RS. In: CORTE, A. P. D.; SANQUETTA, C. R.; RODRIGUES, A. L.; MACHADO, S. A.; PÉLLICO-NETTO, S.; FIGUEIREDO-FILHO, A.; NOGUEIRA, G. S. (org.). Atualidades em mensuração florestal. Curitiba: UFPR, 2014. p. 163-166.

IBGE. Manual técnico da vegetação brasileira. 2ª ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

INCT/HVFF. Rede speciesLink, 2012. Disponível em: http://www.splink.org.br/index?lang=pt. Acesso em: 5 dez. 2019.

IPARDES. Estado do Paraná - declividade. Curitiba: Governo do Estado do Paraná, 1995. 1 mapa. Escala gráfica.

ITCG. Produtos cartográficos: Dados geoespaciais de referência / Dados e informações geoespaciais temáticos, 2019. Disponível em: http://www.itcg.pr.gov.br/. Acesso em: 7 dez. 2019.

IUCN. The IUCN Red List of threatened species, 2019. Disponível em: https://www.iucnredlist.org. Acesso em: 5 dez. 2019.

LACTEC. Plano ambiental de conservação e uso do entorno de reservatório artificial: UHE Governador Bento Munhoz da Rocha Netto. Curitiba: IAP, 2009. v. 1.

LIMA, C. L. Impacto do reservatório de uma hidrelétrica sobre a vegetação arbórea em ecótono entre floresta ombrófila mista e floresta estacional decidual em Santa Catarina. 2016. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Centro de Ciências Agroveterinárias, Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages.

MAGURRAN, A. E. Diversidad ecológica y su medición. Barcelona: Vedra, 1989.

MARCON, A. K. Reservatório de hidrelétrica e o clima local: estudo dendroecológico e da dinâmica da paisagem. 2019. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) - Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

MINEROPAR. Mapa geológico do Paraná. Curitiba: Governo do Estado do Paraná, 2006. 1 mapa. Escala 1:650.000.

OKSANEN, J.; BLANCHET, F. G.; FRIENDLY, M.; KINDT, R.; LEGENDRE, P.; MCGLINN, D.; MINCHIN, P. R.; O'HARA, R. B.; SIMPSON, G. L.; SOLYMOS, P.; STEVENS, M. H. H.; SZOECS, E.; WAGNER, H. Vegan: community ecology package. versão 2.5-6. Online: CRAN R-project, 2019.

OLIVA, E. V.; REISSMANN, C. B.; MARQUES, R.; BIANCHIN, J. E.; DALMASO, C. A.; WINAGRASKI, E. Florística e estrutura de duas comunidades arbóreas secundárias com diferentes graus de distúrbio em processo de recuperação. Ciência Florestal, v. 28, n. 3, p. 1088-1103, 2018.

OLIVEIRA, R. E. DE; ENGEL, V. L. A restauração florestal na Mata Atlântica: três décadas em revisão. Ciência, Tecnologia e Ambiente, v. 5, n. 1, p. 40-48, 2017.

PPG. The Pteridophyte Phylogeny Group: a community-derived classification for extant lycophytes and ferns. Journal of Systematics and Evolution, v. 54, n. 6, p. 563-603, 2016.

R CORE TEAM. R: a language and environment for statistical computing. Versão 4.0.2. Vienna: R Foundation for Statistical Computing, 2020.

REFLORA. Flora do Brasil 2020 em construção, 2019. Disponível em: http://floradobrasil.jbrj.gov.br. Acesso em: 4 out. 2019.

RODERJAN, C. V.; GALVÃO, F.; KUNIYOSHI, Y. S.; HATSCHBACH, G. G. As unidades fitogeográficas do estado do Paraná, Brasil. Ciência & Ambiente, v. 13, n. 24, p. 75-92, 2002.

RODRIGUES, R. M. M.; MAGALHÃES, L. M. S. Estrutura e florística de fragmento de floresta secundária na planície aluvionar do rio Guandu, em Seropédica-RJ. Floresta e Ambiente, v. 18, n. 3, p. 324-333, 2011.

SANQUETTA, C. R.; CORTE, A. P. D.; RODRIGUES, A. L.; WATZLAWICK, L. F. Inventários florestais: planejamento e execução. 3ª ed. Curitiba: Multi-Graphic Gráfica e Editora, 2014.

SCHORN, L. A.; GALVÃO, F. Dinâmica da regeneração natural em três estágios sucessionais de uma floresta ombrófila densa em Blumenau, SC. Floresta, v. 36, n. 1, p. 59-74, 2006.

SECCO, R. T. Florística e ecologia de dois bancos de sementes em região de floresta ombrófila mista no município de Campo do Tenente, PR. 2017. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

SHEPHERD, G. J. FITOPAC. Versão 2.1. Campinas: Departamento de Botânica da UNICAMP, 2010. Disponível em: https://pedroeisenlohr.webnode.com.br/fitopac/. Acesso em: 9 dez. 2020.

SOUZA, R. F.; MACHADO, S. A.; GALVÃO, F.; FIGUEIREDO-FILHO, A. Fitossociologia da vegetação arbórea do Parque Nacional do Iguaçu. Ciência Florestal, v. 27, n. 3, p. 853-869, 2017.

TPL. The Plant List: a working list of all plant species, 2013. Disponível em: http://www.theplantlist.org. Acesso em: 4 out. 2019.

VIANI, R. A. G.; COSTA, J. C.; ROZZA, A. F.; BUFO, L. V. B.; FERREIRA, M. A. P.; OLIVEIRA, A. C. P. Caracterização florística e estrutural de remanescentes florestais de Quedas do Iguaçu, sudoeste do Paraná. Biota Neotropica, v. 11, n. 1, p. 115-128, 2011.

Publicado
2022-03-31