Internações no SUS por Condições Sensíveis à Atenção Primária no Paraná antes e durante a pandemia de COVID-19

Palavras-chave: Atenção Primária, Classificação Internacional de Doenças, Condições Sensíveis à Atenção Primária, Covid-19, Epidemiologia Descritiva

Resumo

Estudo descritivo, que objetivou analisar internações hospitalares por condições sensíveis à APS no biênio pré-pandêmico (2018 – 2019) e no primeiro biênio da pandemia de Covid-19 (2020 – 2021) no Paraná. Analisou-se causas de internações hospitalares, usando Sistema de Informação do Sistema Único de Saúde (DATASUS), e Sistema de Informações Hospitalares. Utilizou-se período de 2018 a 2021 segundo classificação da Lista de morbidade do CID-10 e a Lista Brasileira de Condições Sensíveis à Atenção Primária. Verificou-se queda geral nas internações por causas sensíveis à Atenção Primária à Saúde antes e durante a pandemia. As quedas mais expressivas foram nas internações por pneumonias bacterianas, enquanto a menos expressiva foi de doenças relacionadas ao pré-natal e parto. A queda geral indica que a Atenção Primária manteve continuidade do cuidado. Reforça-se a importância de fortalecer a APS, investindo na expansão, qualificação dos profissionais e superação de fragilidades estruturais para prevenir agravamentos de saúde.

Biografia do Autor

Aliny de Lima Santos, Universidade Cesumar
Sou enfermeira, Doutora e Mestre pelo Programa de Pós Graduação em Enfermagem da Universidade Estadual de Maringá-PR - UEM. Especialista em Educação em Saúde pelo Instituto Sírio Libanês de Ensino. Especialista em Gestão em Saúde pela Universidade Estadual de Maringá. Docente da Graduação em Medicina e do Programa de Pós-Graduação em Promoção da Saúde - Stricto Senso. Pesquisador do Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação. Bolsista Produtividade em Pesquisa do ICETI. Docente conteudista e formadora no Curso Superior de Tecnologia em Gerontologia - na Universidade Cesumar - UNICESUMAR. Sou líder do GRUPO DE PESQUISA PROMOÇÃO DA SAÚDE NO ENVELHECIMENTO e segunda líder do grupo INTEGRALIDADE EM SAÚDE- GPIS - UNICESUMAR. Trabalho com temas relacionados à Promoção do Envelhecimento saudável; Promoção da Saúde; Tópicos interdisciplinares no envelhecimento, condicionantes e determinantes em saúde; e promoção da saúde.
Ramon Ferreira Santa Rosa, Universidade Cesumar
Acadêmico do Curso de Medicina, Universidade Cesumar, Maringá, Paraná. Bolsista do Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICETI).
Maria Eduarda Hernandes de Lima, Universidade Cesumar
Acadêmica do Curso de Enfermagem, Universidade Cesumar, Maringá, Paraná.
Mariana Lemos Carlos, Universidade Cesumar
Acadêmica do Curso de Enfermagem, Universidade Cesumar, Maringá, Paraná.
Clarissa Fonseca Vollrath Possmoser, Universidade Cesumar
Enfermeira, Docente da Graduação em Enfermagem - Faculdade Adventista do Paraná. Mestranda do Programa de Pós Graduação em Promoção da Saúde, Universidade Cesumar, Maringá, Paraná.

Referências

Sarmento J, Rocha JVM, Santana R. Defining ambulatory care sensitive conditions for adults in Portugal. BMC Health Serv Res. 2020 Aug 15;20(1):754. doi: 10.1186/s12913-020-05620-9. PMID: 32799880; PMCID: PMC7429814. Acesso em 5 de outubro de 2021.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria nº 221, de 17 de abril de 2008. Define a lista brasileira de internações por condições sensíveis à atenção primária. [internet] 2008 [acesso em 2021 Out 20]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/ saudelegis/sas/2008/prt0221_17_04_2008.htm

Castro DM, Oliveira VB, Andrade AC, Cherchiglia ML, Santos AF. Impacto da qualidade da atenção primária à saúde na redução das internações por condições sensíveis. Cad Saude Publica [Internet]. 2020;. doi: 36(11):e00209819.

Sarti TD, Lazarini WS, Fontenelle LF, Almeida APSC. Qual o papel da Atenção Primária à Saúde diante da pandemia provocada pela COVID-19?. Epidemiologia e Serviços de Saúde [online]. 2020, v. 29, n. 2 [Acessado 28 Junho 2023], e2020166. Disponível em: https://doi.org/10.5123/S1679-49742020000200024. Epub 27 Abr 2020. ISSN 2237-9622.

Thatiane LO, Claudio MS, Leonardo PM, Maria LFN, Antônio PC. Fatores associados ao custo das internações hospitalares por doenças sensíveis à Atenção Primária no Sistema Único de Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 26(10):4541-4552, 2021. Acesso em: 28 de janeiro de 2024. DOI: 10.1590/1413-812320212610.10862021

Dias BM, Ballestero JG de A, Zanetti ACB, Machado GAB, Bernardes A, Gabriel CS. Gastos com internações por condições sensíveis à atenção primária: estudo ecológico. Acta paul enferm [Internet]. 2022;35:eAPE039001134. Available from: https://doi.org/10.37689/acta-ape/2022AO001134. Acesso em 28 de janeiro de 2024.

Alfradique ME, Bonolo PF, Dourado I, Costa MFL, Macinko J, Mendonca CS et al. Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista brasileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP – Brasil). Cadernos de Saúde Pública [on-line], 2009, v. 25, n. 6, pp. 1337-1349, 2009. Epub 02 jun 2009. ISSN 1678-4464. Disponível em: . Acesso em 18 maio 2022.

Croda J, Oliveira WK, Frutuoso RL, Mandetta LH, Silva DCB, Sousa JDB et al. COVID-19 in Brazil: advantages of a socialized unified health system and preparation to contain cases. Ver. Soc. Bras. Med. Trop., Uberaba, v. 53, e20200167, 2020. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci arttext&pid=S0037-86822020000101000&lng=en&nrm=iso. Acesso em 2 de outubro de 2021.

World Health Organization (WHO). WHO Director-General’s statement on IHR Emergency Committee on Novel Coronavirus (2019-nCoV) Geneva: WHO; 2020. [cited 2020 Apr 16]. Disponível em: https://www.who.int/news-room/detail/23-01-2020-statement-on-the-meeting-of-the-international-health-regulations-(2005)-emergency-committee-regarding-the-outbreak-of-novel-coronavirus-(2019-ncov). Acesso em 5 de setembro de 2021.

World Health Organization (WHO). WHO Director-General’s opening remarks at the media briefing on COVID-19-11 March 2020 Geneva: WHO; 2020 [cited 2020 Apr 16]. Disponível em: https://www.who.int/dg/speeches/detail/who-director-general-s-opening-remarks-at-the-media-briefing-on-covid-19---11-march-2020. Acesso em 5 de setembro de 2021.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Protocolo de Manejo Clínico do Coronavírus (COVID-19) na Atenção Primária à Saúde, versão 9. Brasília – DF, maio de 2020. Acesso em 12 de janeiro 2022.

Souza GM, Buss LF, Candido DS, Carrera JP, Li S, Zarebski AE et al. Epidemiological and clinical characteristics of the COVID-19 epidemic in Brazil. Nat Hum Behav 4, 856–865 (2020). Disponível em: https://doi.org/10.1038/s41562-020-0928-4. Acesso em 19 de maio 2022.

Pereira RCS. Reorganização da Atenção Primária a Saúde e a pandemia da Covid19: Análise da experiência de um município de médio porte do interior paulista. Orientadora: Elen Rose Lodeiro Castanheira. 2023. 78 f. Dissertação (Mestrado em medicina de saúde pública) – Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2023. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/243842/pereira_rcs_me_bot.pdf?sequence=3&isAllowed=y. Acesso em: 22 de set. 2023.

DuarteV; Trevisan MG; Menetrier JV; Costa LD; Cavalheiri JC Teixeira GT Perfil epidemiológico de óbitos decorrentes da COVID-19 em um município do sudoeste do Paraná. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR. Umuarama. V. 26, n. 3, p. 350- 366, Set./Dez. 2022.:

Mendes EV. O LADO OCULTO DE UMA PANDEMIA:A TERCEIRA ONDA DA COVID-19 OU O PACIENTE INVISÍVEL. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. 2020. Disponível em: https://www.conass.org.br/biblioteca/o-lado-oculto-de-uma-pandemia-a-terceira-onda-da-covid-19-ou-o-paciente-invisivel/#:~:text=A%20rapidez%20com%20que%20se,%C3%A0s%20estrat%C3%A9gias%20de%20seu%20enfrentamento

Brasil, Portaria Nº 221, de 17 de Abril de 2008. Lista Brasileira de Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária. Ministério da Saúde. 2008. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sas/2008/prt0221_17_04_2008.html

Silva MV, Oliveira VS, Pinto PM, Razia PF, Caixeta AC, Aquino EC, et al. Tendências das internações por condições cardiovasculares sensíveis à atenção primária à saúde no município de Senador Canedo, Goiás, 2001- 2016. Epidemiol Serv Saude [Internet]. 2019; doi:28(1):e2018110.

Souza LA, Rafael RM,Moura AT, Neto M. Relações entre a atenção primária e as internações por condições sensíveis em um hospital universitário. Ver Gaucha Enferm [Internet]. 2018; doi: 39:e20170067.

Santos KM, de Oliveira LP, Fernandes FC, Santos EG, Barbosa IR. Hospitalizations due to primary care sensitive conditions in a population of older adults in the state of Rio Grande do Norte from 2008 to 2016. Ver Bras Geriatr Gerontol [Internet]. 2019; doi: 22(4):e180204.

Gama JVP; Silva MAM. Análise das internações por condições sensíveis à atenção primária à saúde na região sul do estado do Rio de Janeiro durante a pandemia da COVID-19: um estudo de caso. Revista Pró-UniverSUS. 2022. doi: https://doi.org/10.21727/rpu.v13i1.3204.

Castro DM, Oliveira VB, Andrade ACS, Cherchiglia ML, Santos AF. Impacto da qualidade da atenção primária à saúde na redução das internações por condições sensíveis. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 36, n. 11, e00209819, 2020. Disponível em: . Acesso em 4 de fevereiro de 2022.

Geraldo SM Farias SJM Sousa FOS. A atuação da Atenção Primária no contexto da pandemia da COVID-19 no Brasil. Research, Society and Development, v. 10, n. 8, e42010817359, 2021 | doi: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i8.17359

Machado MFAS, Xavier SPL, Rodrigues AL, Lima TF, Silva LCT, Moita MP et al. Trabalho em equipes multiprofissionais na Atenção Primária no Ceará: Porosidade entre avanços e desafios. Saúde debate, Rio de Janeiro, v. 45, n. 131, p. 987-997, (2021). Disponível em: 10.1590/0103-1104202113104. Acesso em: 22 set. 2023.

Sousa MEV, Melo GAA, Souza EC, Silva MRF, Carvalho REFL, Pereira FGF. Internações hospitalares por condições sensíveis a atenção primaria: Estudo Ecológico. Revista Saúde e pesquisa. doi:10.17765/2176-9206.2020v13n4p831-840. Acesso em: 28 de janeiro de 2024.

Dias EG, Ribeiro DRSV. Manejo do cuidado e a educação em saúde na atenção básica na pandemia do Coronavírus. J. nurs. health. 2020;10(n.esp.):e20104020

Rios AFM, Lira LSSP, . Reis IM, Silva GA. Atenção Primária à Saúde frente à COVID-19: Relato de experiência de um Centro de Saúde. Enfermagem em Foco,11(1). (2020). http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/3666/836

Neto FRGX ,, Araújo CRC, , Silva RCC, Ribeiro MA Sousa LA, , Serafim TF, et al. Coordenação do cuidado, vigilância e monitoramento de casos da COVID-19na Atenção Primária à Saúde. Enfermagem em Foco,11(1). (2020) http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/3682.

Martinazzo G., Cetolin SF, , Beltrame V, Baptistella AR , Steffani JA. Internações por Causas Sensíveis à Atenção Primária em Idosos da Região Centro-Sul do Estado do Paraná: doi: 10.15343/0104-7809.202145444451. O Mundo da Saúde, v. 45, n. s/n, p. 444-451, 3 nov. 2021. Acesso em 12 de maio 2022.

Bragatto EETFM. Internações por condições sensíveis à atenção primária em crianças menores de cinco anos no Mato Grosso do Sul no período de 2008 a 2017. 2020. 69 f. Dissertação (Mestrado Profissional) – Presidência, Fundação Oswaldo Cruz, Campo Grande-MS, 2020. Acesso em 17 de maio 2022.

Stevens A, Schmidt MI, Duncan BB. Desigualdades de gênero na mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva [on-line]. 2012, v. 17, n. 10, pp. 2627-2634. Epub 23 out 2012. ISSN16784561. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-81232012001000012. Acesso em 12 maio 2022.

Fernandez M, Lotta G, Corrêa M. Desafios para a Atenção Primária à Saúde no Brasil: uma análise do trabalho das agentes comunitárias de saúde durante a pandemia de Covid-19. Trab educ saúde [Internet]. 2021Jan;19(Trab. Educ. saúde, 2021 19). Available from: https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00321

AndresSC, Carlotto AB,,Leão A. (2021). A organização e estruturação do serviço de saúde na APS para o enfretamento da Covid-19: relato de experiência. APS em Revista , 3(1), 09-15. https://doi.org/10.14295/aps.v3i1.137

Silva IM, Silva MTBF, Santos RG, Ferreira RKG. Trabalho da equipe multiprofissional no contexto da COVID-19: Diversos olhares um só objetivo. Rsdjournal.org. 2021. [Acessado em 26 maio 2023]. Disponível em: doi: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13439/12268

Barone MTU, Harnik SB , Luca PV , Lima BLS , Wieselberg RJP , Ngongo B, et al. (2020). The Impact of COVID-19 on People with Diabetes in Brazil. Diabetes Research and Clinical Practice, 108304. doi: 10.1016/j. diabres. 2020.108304. Acesso em 22 de abril de 2022.

Pinto LF, Giovanella L. (2018). The family health strategy: Expanding access and reducing hospitalizations due to ambulatory care sensitive conditions (ACSC). Ciência e Saúde Coletiva, 23(6), 1903–1913. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.05592018. Acesso em 18 de abril de 2022.

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) . APS: uma solução para garantir a acesso a atenção primaria no Brasil. 2023. Disponível em: https://www.hc.fm.usp.br/hc/conteudo/saude-digital/APSDigital_WhitePaper_Portugu%C3%AAs.pdf. Acesso em: 28 de janeiro de 2024.

Publicado
2024-03-31
Seção
Artigos Originais