Atendimento de urgência e emergência na atenção primária: percepções de profissionais de saúde

Urgent and emergency care in primary care: perceptions of health professionals

Palavras-chave: Acolhimento, Atenção Primária à Saúde, Educação Continuada, Emergências, Pessoal de Saúde

Resumo

Analisar a percepção de profissionais de saúde da atenção primária referente aos desafios vivenciados diante das demandas de urgência e emergência nas Unidades Básicas de Saúde. Pesquisa qualitativa, realizada com 23 profissionais de saúde, de julho a novembro de 2021, por entrevista semiestruturada e analisadas por Análise de Conteúdo Temática. Identificou-se que os profissionais possuem conhecimento relativo sobre a temática, apresentando como perfil de atendimento crises hipertensivas e asmáticas, convulsões, hipoglicemias e outras. Quanto ao fluxo de assistência, perpassa desde o acolhimento até a regulação, não obtendo contrarreferência do paciente e apresentando como dificuldades para a assistência a falta de recursos básicos e educação permanente. A atenção básica se mostra importante na rede de atenção às urgências e emergências e seu papel nos atendimentos à população carece de melhoria de infraestrutura, capacitação profissional, planejamento estratégico das ações e avaliação das atividades desenvolvidas.

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n° 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional da Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) [internet]. Brasília: Ministério da Saúde, 2017 [acesso em 2022 ago 28]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html.

Ministério da Saúde (BR). Manual instrutivo da Rede de Atenção às Urgências e Emergências no Sistema Único de Saúde (SUS) [internet]. Brasília (DF): Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Especializada; 2013 [acesso em 2020 out 10]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_instrutivo_rede_atencao_urgencias.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Especializada à Saúde. Portaria n° 393, de 13 de março de 2020. Aprova a Resolução GMC Nº 02/2015 "Requisitos de Boas Práticas para Organização e Funcionamento de Serviços de Urgência e Emergência”. Diário Oficial da União, Brasília: Ministério da Saúde, 2017 [acesso em 2020 nov 05]. Disponível em: https://brasilsus.com.br/wp-content/uploads/2020/03/portaria393.pdf.

Cunha LCC, França AKTC, Santos MSB, Santos EM. Risco cardiovascular em hipertensos e diabéticos acompanhados em uma Unidade Básica de Saúde. Saud Pesq [internet]. 2023 [acesso em 2024 fev 05]; 16(2):e11508. DOI: https://doi.org/10.17765/2176-9206.2023v16n2.e11508.

Ministério da Saúde (BR). Saúde Brasil 2018 uma análise de situação de saúde e das doenças e agravos crônicos: desafios e perspectivas [internet]. Brasília (DF): Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde; 2019 [acesso em 2020 out 13]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_brasil_2018_analise_situacao_saude_doencas_agravos_cronicos_desafios_perspectivas.pdf.

Organização Pan-americana da Saúde (OPAS). 10 principais causas de morte no mundo: folha informativa atualizada em maio de 2018 [internet]. Brasília (DF): OPAS; 2018 [acesso em 2020 out 12]. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5638:10-principais-causas-de-morte-no-mundo&Itemid=0.

Santos ETS, Freitas AAS, Mendonça IO, Silva DP, Oliveira DML. Acolhimento com avaliação de classificação de risco: frente a superlotação de serviços hospitalares de urgência. Ciênc Bio Saúde UNIT [internet]. 2018 [acesso em 2022 ago 28]; 5(1):187-202. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/cadernobiologicas/article/view/5760/3008

Brasil. Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2020 [acesso em 2020 nov 10]. Disponível em: http://cnes.datasus.gov.br/pages/estabelecimentos/consulta.jsp.

Bardin L. Análise de Conteúdo [internet]. 1. ed. São Paulo: Edições 70 LDA/Almedina Brasil; 2016 [acesso em 2020 nov 12]. 282p. Disponível em: https://madmunifacs.files.wordpress.com/2016/08/anc3a1lise-de-contec3bado-laurence-bardin.pdf.

Constantino LR, O’dwyer G, Santos VLBD, Seta MHD. Urgências de baixo risco: análise da integração entre atenção primária e Unidade de Pronto Atendimento. Saúde em Debate [internet]. 2021 [acesso em 2022 ago 28]; 45(131):970-86. Disponível em: https://www.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/4500

Farias DC, Celino SDM, Peixoto JBS, Barbosa ML, Costa GMC. Acolhimento e resolubilidade das urgências na estratégia de saúde da família. Rev Bras de Educ Médica [internet]. 2015 [acesso em 2020 nov 05]; 39(1):79-87. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-52712015v39n1e00472014

Ministério da Saúde (BR). Acolhimento à demanda espontânea: série A: normas e manuais técnicos Cadernos da Atenção Básica, n° 28 [internet]. Brasília (DF): Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica; 2011 [acesso em 2020 nov 15]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/acolhimento_demanda_espontanea_cab28v1.pdf

Luz SAS, Brandão SASM, Oliveira MMLD, Aragão JA, Souza NB, Oliveira AML. Fragilidades e potencialidades da atenção primária à saúde no atendimento das urgências e emergências. Rev Casos e Consultoria [internet]. 2022 [acesso em 2022 ago 28]; 13(1):1-15. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/casoseconsultoria/article/view/28844/15735

Hermida PMV, Nascimento ERP, Belaver GM, Danczuk RFT, Alves DLF, Jung, W. Percepção de equipes de saúde da família sobre a atenção básica na rede de urgência. Rev Enferm UFPE [internet]. 2016 [acesso em 2020 nov 15]; 10(4):1170-78. DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v10i4a11100p1170-1178-2016

Ministério da Saúde (BR). Autoavaliação para melhoria do acesso e da qualidade da atenção básica: AMAQ. Brasília (DF): Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica; 2017b [acesso em 2020 nov 05]. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/amaq_2017.pdf.

Moreira KS, Lima CA, Vieira MA, Costa SM. Avaliação da infraestrutura das unidades de saúde da família e equipamentos para ações na atenção básica. Cogitare Enferm [internet]. 2017 [acesso em 2020 nov 15]; 22(2):1-10. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v22i1.51283

Oliveira PS, Diefenbach GDF, Colomé J, Buriol D, Rosa PH, Ilha S. Atuação profissional nas urgências/emergências em unidades básicas de saúde. Rev Pesq Cuid Fundam [internet]. 2020 [acesso em 2022 ago 28]; 12:820-26. DOI: https://doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.8983

Brasil TC, Costa AEK, Lohmann PM. Avaliação do atendimento de urgências e emergências em uma unidade de atenção primária de um município de pequeno porte do interior do Vale do Taquari. Research, Society and Development [internet]. 2020 [acesso em 2020 nov 15]; 9(7):1-15. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4593

Cirino FMSB, Aragão JB, Meyer G, Campos DS, Gryschek ALFPL, Nichiata LYI. Desafios da atenção primária no contexto da COVID-19: a experiência de Diadema, SP. Rev Bras Med Farm Comunidade [internet]. 2021 [acesso em 2022 ago 28]; 16(43):1-14. DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc16(43)2665

Moreira FA, Tibães HBB, Batista RCR, Cardoso CML, Brito MJM. O sistema de triagem de Manchester na atenção primária à saúde: ambiguidades e desafios relacionados ao acesso. Texto Contexto Enferm [internet]. 2017 [acesso em 2020 nov 15]; 26(2):1-8. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-07072017005970015

Celeste LEN, Maia MR, Andrade VA. Capacitação dos profissionais de enfermagem frente às situações de urgência e emergência na atenção primária à saúde: revisão integrativa. Research, Society and Developmend [internet]. 2021 [acesso em 2022 ago 29]; 10(12):1-11. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20521

Oliveira CCRB, Silva EAL, Souza MKB. Referência e contrarreferência para a integralidade do cuidado na Rede de Atenção à Saúde. Rev Saúde Coletiva [internet]. 2021 [acesso em 2022 ago 29]; 31(1):1-23. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-73312021310105

Benedet MR, Soratto MT. A percepção dos enfermeiros frente aos atendimentos de urgência e emergência na estratégia saúde da família. Rev Inova Saúde [internet]. 2021 [acesso em 2022 ago 29]; 11(1):1-17. DOI: https://doi.org/10.18616/inova.v11i1.3094

Hermida PMV, Nascimento ERP, Echevarria-Guanilo ME, Andrade SR, Ortiga AMB. Contrarreferência em Unidade de Pronto Atendimento: discurso do sujeito coletivo. Rev Bras Enferm [internet]. 2019 [acesso em 2020 nov 05]; 72:151-8. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0023

Filho DTM, Simplicio IO, Souza JV, Silva FB. A importância da capacitação dos profissionais da enfermagem no atendimento pré-hospitalar. Natal (RN): Universidade Potiguar [internet]; 2022 [acesso em 2022 ago 29]. Disponível em: https://repositorio.animaeducacao.com.br/bitstream/ANIMA/23905/1/TCC-APH%20Jonathan%20V.%5eDamia%cc%83o%20T.%5eItalo%20%20S.pdf.

Costa EF, Oliveira AD, Ferreira IM, Girão KL, Lopes GS. Aulas práticas em urgência e emergência na formação do acadêmico de enfermagem – relato de experiência. Research Society and Development [internet]. 2020 [acesso em 2022 ago 29]; 9(12):1-23. DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i12.10411

Cassinelli F, Melo ES, Costa CRB, Reis RK. Avaliação da estrutura na atenção primária em saúde para o Suporte Básico de Vida. Saud Pesq [internet]. 2019 mai-ago; 12(2): 317-322. DOI: https://doi.org/10.17765/2176-9206.2019v12n2p317-322

Santos APM, Santana MMR, Tavares FL, Toledo LV, Moreira TR, Ribeiro L, et al. Conhecimentos e habilidades dos profissionais da atenção primária à saúde sobre suporte básica de vida. HU Ver [internet]. 2019 [acesso em 2022 ago 29]; 45(2):177-84. DOI: https://doi.org/10.34019/1982-8047.2019.v45.26815

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação em Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde [internet]. (Série B. Textos Básicos de Saúde). Brasília: Ministério da Saúde, 2009 [acesso em 2020 nov 15]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pacto_saude_volume9.pdf.

Claudiano MS, Lopes NNL, Santos MVF, Lopes AB, Florin BH. Conhecimento, atitude e prática dos enfermeiros da atenção primária em relação a parada cardiorrespiratória. Rev Nursing [internet]. 2020 [acesso em 2022 ago 29]; 23(260):3502-06. Disponível em: http://www.revistanursing.com.br/revistas/260/pg26.pdf.

Publicado
2024-03-31
Seção
Artigos Originais