<b>Bactérias Intestinais e Obesidade

  • Gustavo Chab Pistelli Universidade Estadual de Maringá – UEM
  • Cecilia Edna Mareze-da-Costa UEM
Palavras-chave: Obesidade, Bactérias Intestinais, Firmicutes, Bacterioidetes.

Resumo

A obesidade é uma das doenças crônicas não transmissíveis que mais cresce em todo o mundo. Tudo indica que os fatores ambientais tenham tido uma participação importante na prevalência atual da obesidade, visto que o patrimônio genético da espécie humana não pode ter sofrido mudanças significativas neste intervalo de poucas décadas. Alguns estudos têm procurado demonstrar que o desenvolvimento da obesidade nos seres humanos também pode ser influenciado pelas proporções relativas de dois filos principais de bactérias da flora intestinal humana, os Bacteroidetes e as Firmicutes, sugerindo que a atividade metabólica destes microbióticos intestinais facilita a extração e a estocagem das calorias ingeridas. Considerando a importância deste conhecimento para a compreensão dos fatores que podem levar à obesidade e, conseqüentemente, para o tratamento ou prevenção da mesma, este trabalho apresenta os principais resultados dos estudos que discutem a participação das bactérias intestinais na obesidade.

Biografia do Autor

Gustavo Chab Pistelli, Universidade Estadual de Maringá – UEM
Graduado em Odontologia e Especialista em Fisiologia Humana pelo Departamento de Ciências Fisiológicas da Universidade Estadual de Maringá – UEM.
Cecilia Edna Mareze-da-Costa, UEM
Doutora em Fisiologia Humana pelo Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo – USP e Docente de Fisiologia do Departamento de Ciências Fisiológicas da Universidade Estadual de Maringá - UEM. E-mail: cemcosta@uem.br
Publicado
2010-05-04
Seção
Artigos de Revisão