<b>Avaliação do Nível Sérico do Antígeno Prostático Específico em Homens da Cidade de Corbélia - PR

  • Fernanda Ludovico Stefanello Faculdade Assis Gurgacz
  • Leyde Daiane de Peder Faculdade Assis Gurgacz e Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Claudinei Mesquita da Silva Faculdade Assis Gurgacz
Palavras-chave: Antígeno Prostático Específico, Câncer, Prevenção, Próstata

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo avaliar o nível sérico do antígeno prostático específico (PSA) em homens da cidade de Corbélia-PR, considerando as características individuais e medidas preventivas em relação ao câncer de próstata. A amostra representativa foi calculada a partir da fórmula √n+1, sendo assim, constituída aleatoriamente por 52 homens, dos quais foram realizadas as dosagens do PSA total. Utilizou-se uma segunda amostra composta por 347 pacientes, totalizando o número de determinações do PSA realizadas entre janeiro de 2012 a setembro de 2013 pelo mesmo laboratório na cidade. Em relação à primeira amostra, apenas um caso apresentou alteração (PSA > 4 ng/mL). Através da aplicação de questionários, avaliou-se que cerca de 70% dos pacientes nunca realizaram o exame do toque, e 13,3% possuem casos de câncer de próstata na família, o que agrava a situação. Na segunda população estudada, observou-se alteração significativa nos valores de PSA em 7% dos pacientes. Quando avaliada a idade e os níveis do antígeno, obteve-se correlação positiva estatisticamente (p < 0,001). Neste contexto, o PSA juntamente com o exame do toque são de grande utilidade clínica, porém ainda se observa a falta de conscientização da população em geral, que não adere a medidas básicas de prevenção, as quais auxiliariam na detecção precoce da doença.

Biografia do Autor

Fernanda Ludovico Stefanello, Faculdade Assis Gurgacz
Acadêmica do curso de Farmácia, Faculdade Assis Gurgacz – FAG, Cascavel - PR.
Leyde Daiane de Peder, Faculdade Assis Gurgacz e Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Farmacêutica; Mestre pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP; Docente do curso de Farmácia da Faculdade Assis Gurgacz – FAG, Cascavel - PR e do curso de Farmácia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE - PR.
Claudinei Mesquita da Silva, Faculdade Assis Gurgacz
Farmacêutico; Mestre pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP; Docente do curso de Farmácia da Faculdade Assis Gurgacz – FAG, Cascavel - PR
Publicado
2014-03-25
Seção
Artigos Originais