INCIDÊNCIA DA SÍNDROME DO COMER NOTURNO E COMPULSÃO ALIMENTAR EM ESTUDANTES DE NUTRIÇÃO

  • Maria Alice Alves de Souza Universidade de Pernambuco
  • Verlene Caroline de Souza Gomes Universidade de Pernambuco
  • Emerson Iago Garcia e Silva Universidade de Pernambuco
  • Cristhiane Maria Bazílio de Omena Messias Universidade de Pernambuco
Palavras-chave: Transtorno da compulsão alimentar, Estudantes, Transtornos alimentares

Resumo

O presente trabalho objetiva caracterizar a incidência da síndrome do comer noturno e a compulsão alimentar em estudantes do curso de nutrição. Trata-se de um estudo transversal de caráter analítico realizado em uma instituição de nível superior em Petrolina – PE. Foram aplicados três questionários: questionário de hábitos do comer noturno, a escala de ingestão compulsiva e o The Three factor eating questionnaire. Avaliaram-se 81 estudantes de ambos os sexos, com predominância do sexo feminino. Não houve associação significativa entre a síndrome do comer noturno ou a compulsão alimentar com as variáveis sexo e escolaridade. Em relação às variáveis comportamentais, a alimentação emocional foi o fator melhor relacionado ao descontrole alimentar e a restrição cognitiva tem pouca contribuição para o agravamento da alimentação descontrolada. O investimento no estudo dos transtornos alimentares é importante para a criação de uma intervenção adequada, com o intuito de reduzir incidência tanto da SCN como da compulsão alimentar.

Biografia do Autor

Maria Alice Alves de Souza, Universidade de Pernambuco
Discente da Universidade de Pernambuco (UPE). Petrolina, (PE), Brasil.
Verlene Caroline de Souza Gomes, Universidade de Pernambuco
Discente da Universidade de Pernambuco (UPE). Petrolina, (PE), Brasil.
Emerson Iago Garcia e Silva, Universidade de Pernambuco
Graduado em nutrição pela Universidade de Pernambuco, Campus Petrolina (UPE). Petrolina, PE – Brasil.
Cristhiane Maria Bazílio de Omena Messias, Universidade de Pernambuco
Docente Adjunta do Colegiado de Nutrição e do Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI) da Universidade de Pernambuco (UPE), Petrolina, (PE), Brasil

Referências

BERNARDI, F. et al. Transtornos alimentares e padrão circadiano alimentar: uma revisão. Rev. psiquiatr., Rio Grande do Sul, v. 209, n. 31, p. 3, 2009.

CALUGI, S et al. Night eating syndrome in class II–III obesity: metabolic and psychopathological features. Int J Obes., v. 33, n. 8, p. 899-904, 2009.

CLEATOR, J.et al. Night eating syndrome: implications for severe obesity. Nutr Diabetes., v. 2, n. 9, 2012.

COLLES, S. L.et al. Night eating syndrome and nocturnal snacking: association with obesity, binge eating and psychological distress. Int J Obes.,v. 31, n. 11, p. 1722-1730, 2007.

COSTA, M. B. et al. Diferenças na percepção da imagem corporal, no comportamento alimentar e no estado nutricional de universitárias das áreas de saúde e humanas. Rev Psiquiatr Rio Gd Sul.,v. 31, n. 3, p. 192-196, 2009.

DUARTE, F. M. et al. Alimentação fora do domicílio de universitários de alguns cursos da área da saúde de uma instituição privada. O Mundo da Saúde., v. 37, n. 3, p. 288-298, 2013.

FISCHER, S. et al. Night eating syndrome in young adults: Delineation from other eating disorders and clinical significance. J Psychiatry Research.,v. 200, n. 2, p. 494-501, 2012.

FREITAS, S. et al. Tradução e adaptação para o português da Escala de Compulsão Alimentar Periódica. Rev Bras Psiquiatr.,v. 23, n. 4, p. 215-220, 2001.

GALLANT, A. R. et al. Etiology and Pathophysiology the night-eating syndrome and obesity. Obes Rev., v. 13, n. 6, p. 528-536, 2012.

HARB, A. B. C. et al. Síndrome do comer noturno: aspectos conceituais, epidemiológicos, diagnósticos e terapêuticos. Rev Nutr PUCCAMP., Campinas, v. 23, n.1, p. 127-136, 2010.

HARB, A. B. C. et al. Tradução e adaptação da versão brasileira do Night Eating Questionnaire Translation and adaptation of the Brazilian version of the Night Eating Questionnaire. Cad Saúde Publica., v. 24, n. 6, p. 1368-1376, 2008.

MARQUES, S. I. P. Perturbação de ingestão compulsiva, alimentação emocional e síndrome do comer noturno: um estudo comparativo entre sujeitos com peso normal, excesso de peso e obesidade. 2013. 121f. Dissertação (Mestrado em Psicologia clínica) - Universidade da Beira Interior, Covilhão, 2013.

MILANO, W. et al. Night eating syndrome: an overview. J Pharm Pharmacol., London, v.64, n.1,p.2-10, 2012.

NATACCI. L. C.; JÚNIOR M. F. The three factor eating questionnaire - R21: translation and administration to Brazilian women. Rev Nutr., v. 24, n. 3, p. 383-394, 2011.

NOLAN, L. J.; GELIEBTER, A. Night eating is associated with emotional and external eating in college students. Eat Behav., v. 13, n. 3, p. 202-206, 2012.

OLIVERA, G. A. et al. A compulsão alimentar na recepção dos profissionais de saúde. Psicologia Hospitalar, v. 4, n. 2, p. 1-18, 2006.

PIVETTA, L. A.; GONÇALVES S. R. Compulsão alimentar e fatores associados em adolescentes de Cuiabá. Cad Saúde Publica., v. 26, n. 2, p. 337-346, 2010.

TAPADINHAS, A. R.; RIBEIRO, J. L. P.Ingestão compulsiva e gestão das emoções na obesidade. Psicologia, Saúde e Doenças., v. 9, supl.1, 2008.

VITOLO, M. R. Et al. Prevalência de compulsão alimentar entre universitárias de diferentes áreas de estudo. Rev. psiquiatr., Rio Grande do Sul, v.28, p.20-26, 2006.

ZIROLDO, D. F. et al. Prevalência da síndrome do comer noturno em universitárias. Saúde e Pesqui., v.4,n.3,p.401-406, 2011.

Publicado
2017-07-21
Seção
Artigos Originais