DEPRESSÃO EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA EM TRATAMENTO HOSPITALAR

  • Marilena Olga Koch Unipar - Universidade Paranaense http://orcid.org/0000-0001-9438-0902
  • Regiane Zamian Unipar - Universidade Paranaense
  • Graciana Lúcia Grespan Victor Unipar - Universidade Paranaense
  • Dora de Castro Agulhon Segura Unipar - Universidade Paranaense
Palavras-chave: Neoplasias da Mama, Saúde da mulher, Repercussões psicológicas

Resumo

O presente estudo teve como objetivo avaliar a intensidade da depressão em pacientes diagnosticadas com câncer de mama em tratamento hospitalar em uma cidade da região Oeste do Paraná. Foi realizada uma investigação, em que os sujeitos envolvidos responderam a um questionário que faz referência aos sintomas e atitudes frequentes em pacientes depressivos, intitulado Inventário de Depressão de Beck (BDI). Foram avaliadas 20 mulheres, com média de idade 57,35 (±11,24). A análise evidenciou 70% de mulheres com grau mínimo de depressão, 15% com grau leve e 5% com grau moderado. Foi expressivo o percentual de pacientes que referiram não se sentir culpadas, punidas, decepcionadas consigo ou que perderam o interesse pelos outros. Concluiu-se que embora o câncer de mama ocasione repercussões psicológicas importantes para o desenvolvimento da depressão, a amostra da população estudada não pontuou sintomas depressivos graves.

Biografia do Autor

Marilena Olga Koch, Unipar - Universidade Paranaense
Psicóloga clínica, Mestranda em Ciências Sociais pela Unioeste/PR., (2017). Docente no departamento de Fisioterapia da Universidade Paranaense, Toledo (PR), Brasil.
Regiane Zamian, Unipar - Universidade Paranaense
Fisioterapeuta graduada pela Unipar - Universidade Paranaense (2016).
Graciana Lúcia Grespan Victor, Unipar - Universidade Paranaense
Fisioterapeuta, Mestre em Fisioterapia pelo Centro Universitário de Triângulo (2004), Docente no departamento de Fisioterapia da Universidade Paranaense, Toledo (PR), Brasil.
Dora de Castro Agulhon Segura, Unipar - Universidade Paranaense
Fisioterapeuta, Mestre em Engenharia de Produção – área de Ergonomia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2002), Docente no departamento de Fisioterapia da Universidade Paranaense, Toledo (PR), Brasil.

Referências

ABREU, T. M. A. A feminilidade e sexualidade da mulher com câncer de mama. CATUSSABA - Rev Científ Esc Saúde, v. 3, n.1, p. 43-53, 2014.

BALLONE, G. J.; ORTOLANI, I. V.; PEREIRA NETO, E. Da emoção à lesão: um guia de medicina psicossomática. 2. ed. rev. ampl. Barueri, SP: Manole, 2007.

BAPTISTA, M. N.; CARNEIRO, A. M.; SISTOS, F. F. Estudo Psicométrico de Escalas de Depressão (EDEP e BDI) e o Inventário de Percepção de Suporte Familiar –IPSF. Psicologia em Pesquisa, v.4, n.1, p.65-73, 2010.

CANGUSSO, R.O. et al. Sintomas depressivos no câncer de mama: Inventário de Depressão de Beck – Short Form. J. bras. psiquiatr., v.59, n.2, p.106-110, 2010.

CARVALHO, S. M. F. et al. Prevalence of major depression in patients with breast câncer. J Hum Growth Dev., v. 25, n.1, p.68-74, 2015.

COUTINHO, L.T.M. et al. Correlação da depressão em pacientes com câncer de mama mastectomizadas e não mastectomizadas. Rev Min Educ Fís., v.1, n. 5, p. 171-179, 2010.

CUNHA, J.A. Manual da versão em português das escalas Beck. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2011.

FINGER, I. R.; ARGIMON, I. I. L. Propriedades Psicométricas do Inventário de Depressão de Beck-II (BDI-II) em uma amostra universitária. Rev Psicol IMED, v. 5, n. 2, p. 84-91, 2013.

GANDINI, R. C. et al. Inventário de depressão de Beck – BDI: validação fatorial para mulheres com câncer. Psico-USF, v.12, n.1, p.23-31, 2007.

GIAVONI, A. et al. Elaboração e validação da Escala de Depressão para Idosos. Cad Saúde Pública, v. 24, n.5, p.975-982, 2008.

GOMES, N. S.; SOARES, M. B. O.; SILVA, S. R. Autoestima e qualidade de vida de mulheres submetidas à cirurgia oncológica de mama. REME, v.19, n.2, p.120-126, 2015.

LIMA, M.S; VIEGAS, C.A.A. Avaliação do grau de ansiedade, depressão e motivação dos fumantes que procuraram tratamento para deixar de fumar no Distrito Federal. Rev Bras Cancerol., v. 5, n.3, p. 345-353, 2011.

MONTE, L. R. S. et al. Avaliação dos níveis de depressão identificados em mulheres com diagnóstico de câncer de mama. R Interd., v. 8, n. 4, p. 64-70, 2015.

MOURA, N. A. V.; CASTRO, V. B.; COSTA, M. A. O. Perfil epidemiológico de mulheres com câncer de mama tratadas em hospital filantrópico de referência. REUFPI, v. 2, n. 4, p. 35-41, 2013.

NICOLUSSI, A. C. et al. Qualidade de vida relacionada à saúde de pacientes com câncer em quimioterapia. Rev Rene, v. 15, n. 1, p. 132-140, 2014.

OLIVA, L. F. D. G. et al. Impactos psicossociais do diagnóstico e tratamento em pacientes com câncer de mama em Hospital Oncológico de Campo Grande-MS. Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde, v. 17, n.4, p.77-97, 2013.

OSHIRO, M. L. et al. Câncer de mama avançado como evento sentinela para avaliação do programa de detecção precoce do câncer de mama no centro-oeste do Brasil. Rev Bras Cancerol., v.60, n.1, p.15-23, 2014.

RAMOS, B. F.; LUSTOSA, M. A. Câncer de mama feminino e psicologia. Rev. SBPH, v. 12, n. 1, p.85-97, 2009.

VAHDANINIA, M.; OMIDVARI, S.; MONTAZERI, A. What do predict anxiety and depression in breast cancer patients? A follow-up study. Soc Psychiat Epidemiol, v. 45, n.3, p.355-361, 2010.

VAZ, S. A. et al. Qualidade de vida da mulher pós-mastectomia: revisão integrativa brasileira. Enciclopédia Biosfera, v.11, n.20, p.697-707, 2015.

Publicado
2017-07-21
Seção
Artigos Originas - Promoção da Saúde