APOIO MATRICIAL NA ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL EM UMA REGIONAL DE SAÚDE, PARANÁ, BRASIL

  • Georgia Dalla Valle Garcia
  • Isabella Fernanda da Silva Universidade Estadual de São Paulo
  • Marília Cavalcante
  • Michele da Rocha Cervo Psicologa. Mestre em Psicologia Social e Institucional. Docente de Psicologia da Universidade Estadual do Centro Oeste. Irati, Paraná, Brasil.
  • Gustavo Zambenedetti
  • Daniela Viganó Zanoti-Jeronymo Enfermeira. Doutora em Psiquiatria e Psicologia Médica. Docente do Departamento de Enfermagem, Universidade Estadual do Centro-Oeste, Guarapuava, Paraná, Brasil.
Palavras-chave: Saúde mental, Sistemas de apoio psicossocial, Serviços de saúde mental, Atenção primária em saúde

Resumo

Este estudo objetivou analisar os limites e possibilidades do apoio matricial em saúde mental na Atenção Básica, segundo a percepção de gestores e profissionais de saúde em uma regional de saúde, Paraná, Brasil. Trata-se de um recorte da pesquisa intitulada Componentes da Rede de Atenção à Saúde Mental: realidade da 4ª e 5ª Regional de Saúde do Estado do Paraná. Os dados foram coletados por grupo focal e submetido à análise de conteúdo, da qual emergiram duas categorias. Na primeira categoria discute-se a não realização do matriciamento por parte do NASF e CAPS e as contradições entre as políticas de saúde e sua efetivação. Na segunda, pontua-se a realização e as potencialidades do matriciamento em saúde mental. Ficou evidente que as equipes de apoio matricial precisam assumir a responsabilidade de suporte técnico à atenção básica principalmente no acolhimento às necessidades de saúde mental.

Biografia do Autor

Georgia Dalla Valle Garcia
Discente do curso Enfermagem, Universidade Estadual do Centro Oeste, Guarapuava (PR), Brasil
Isabella Fernanda da Silva, Universidade Estadual de São Paulo
Enfermeira. Discente do Programa de Residência Multiprofissional em Álcool e outras Drogas da Universidade Estadual de São Paulo, São Paulo, Brasil.
Marília Cavalcante
Enfermeira, Mestre, Docente do Departamento de Enfermagem, Universidade Estadual do Centro Oeste, Guarapuava (PR), Brasil.
Michele da Rocha Cervo, Psicologa. Mestre em Psicologia Social e Institucional. Docente de Psicologia da Universidade Estadual do Centro Oeste. Irati, Paraná, Brasil.
Psicóloga. Mestre em Psicologia Social e Institucional. Docente de Psicologia da Universidade Estadual do Centro Oeste. Irati (PR), Brasil.
Gustavo Zambenedetti
Psicólogo. Doutor em Psicologia Social e Institucional. Docente de Psicologia da Universidade Estadual do Centro Oeste. Irati (PR), Brasil.
Daniela Viganó Zanoti-Jeronymo, Enfermeira. Doutora em Psiquiatria e Psicologia Médica. Docente do Departamento de Enfermagem, Universidade Estadual do Centro-Oeste, Guarapuava, Paraná, Brasil.
Enfermeira. Doutora em Psiquiatria e Psicologia Médica. Docente do Departamento de Enfermagem, Universidade Estadual do Centro-Oeste, Guarapuava (PR), Brasil.

Referências

ATHIÉ, K; FORTES, S; DELGADO, P. G. G.. Matriciamento em saúde mental na Atenção Primária: uma revisão crítica (2000-2010). Rev Bras Med Fam Comunidade. Rio de Janeiro, p. 64-74, 2013.

BAREMBLITT, G. Compêndio de analise institucional e outras correntes. Rio de Janeiro: Rosa dos tempos, 1996.

BEZERRA, E; DIMENSTEIN, M. Os Caps e o trabalho em rede: tecendo o apoio matricial na Atenção Básica. Psicologia Ciência e Profissão, v. 28, n. 3, p. 632-645, 2008.

BRASIL. Adoecimento mental e trabalho: A concessão de benefícios por incapacidade relacionados a transtornos mentais e comportamentais entre 2012 e 2016. 1º Boletim Quadrimestral sobre benefícios por incapacidade, 2017. Brasília: Ministério da Fazenda, 2017. Disponível em: <http://www.previdencia.gov.br/wp-content/uploads/2017/04/1%C2%BA-boletim-quadrimestral.pdf>. Acesso em: 11 ago. 2017.

BRASIL. Saúde Mental. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. (Cadernos de Atenção Básica, n. 34).

BRASIL. Portaria nº 3.124, de 28 de dezembro de 2012. Redefine os parâmetros de vinculação dos Núcleos de Apoio à saúde da Família (NASF) modalidades 1 e 2 às equipes Saúde da Família e/ou Equipes de Atenção Básica para populações específicas, cria a modalidade Nasf 3. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2012.

BRASIL. Portaria nº 154, de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família - NASF. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2008.

BRASIL. Saúde mental no SUS: os Centros de Atenção Psicossocial. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

CAMPOS, G. V. S; DOMITTI, A. C. Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para gestão do trabalho interdisciplinar em saúde. Cad de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 23, n. 2, p. 399-407, 2007.

CHIAVERINI, D. H. Guia prático de matriciamento em saúde mental. Brasília: Ministério da Saúde: Centro de Estudo e Pesquisa em Saúde Coletiva, 2011. p. 236.

FRANCO, T.B. As Redes na Micropolítica do Processo de Trabalho em Saúde. In: Pinheiro, R.; Matos, R.A. Gestão em Redes: práticas de avaliação, formação e participação na saúde. Rio de Janeiro: LAPPIS-IMS/UERJ-ABRASCO, 2006. p. 159-173.

LANCETTI, A.; AMARANTE, P. Saúde mental e saúde coletiva. In: CAMPOS, G.W.S et al. (Org.). Tratado de saúde coletiva. São Paulo: Hucitec, 2009. P. 615 -634.

MINOZZO, F.; COSTA, I.I. Integrando Caps e Saúde da Família: apoio matricial em saúde mental. In: NEVES, R.; PAULON, S. Saúde mental na Atenção Básica: a territorialização do cuidado. Porto Alegre: Sulina, 2013. p. 61-82.

PENIDO, C.M.F. Apoio matricial em saúde mental no contexto da saúde coletiva. In: NEVES, R.; PAULON, S. Saúde mental na Atenção Básica: a territorialização do cuidado. Porto Alegre: Sulina, 2013. p. 17-38.

ROCHA, M; FONSECA, D. R. Matriciamento em Saúde Mental. Florianópolis, 2016. Disponível em: <http://www.uniedu.sed.sc.gov.br/wp-content/uploads/2016/02/M%C3%A1rcia-da-Rocha.pdf>. Acesso em: 8 jul. 2016.

WHO. Mental Health Atlas 2014. World Health Organization: Geneva, 2014. Disponível em: <http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/178879/1/9789241565011_eng.pdf?ua=1&ua=1>. Acesso em: 11 ago. 2017.

Publicado
2018-02-12
Seção
Artigos Originais