AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO NEUROPSICOMOTOR EM CRIANÇAS DE 0-18 MESES ACOMPANHADAS EM UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

  • Ana Ravenna Sales Soares Escola de Saúde Pública do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.
  • Edna Jéssica Lima Gondim Escola de Saúde Pública do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.
  • Gisele Maria Melo Soares Arruda
  • Thiago Brasileiro de Vasconcelos 1. Escola de Saúde Pública do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil. 2. Centro Universitário Católica de Quixadá, Quixadá, CE, Brasil.
Palavras-chave: Desenvolvimento infantil, Saúde da criança, Atenção integrada às doenças prevalentes na infância, Estratégia saúde da família, Saúde pública

Resumo

Avaliar o desenvolvimento neuropsicomotor de crianças de 0 – 18 meses de determinada microárea assistida por uma Unidade Básica de Saúde da Família (UBASF). Realizou-se um estudo descritivo, observacional e longitudinal com estratégia de análise quantitativa dos resultados em uma UBASF localizada na cidade de Maracanaú/CE. Para coleta de dados, utilizou-se a ficha de avaliação presente na Caderneta de Saúde da Criança (CSC) agregada a outra ficha elaborada pelos autores onde continham dados sociodemográficos. Participaram do estudo 17 crianças. Foi possível evidenciar que nove (53%) crianças apresentaram todos os marcos esperados para a idade de acordo com a tabela de acompanhamento do desenvolvimento presente na CSC. Das crianças que não apresentaram todos os marcos para a faixa etária, sete (87,5%) estavam entre um a seis meses e um (12,5%) entre 13 a 18 meses. Entretanto, nenhuma criança foi considerada com atraso no desenvolvimento, pois estavam dentro dos períodos específicos para realizar cada marco. Evidenciou-se que nenhuma criança apresentou atraso no desenvolvimento neuropsicomotor. Por fim, ressalta-se a importância da realização da triagem completa durante as consultas de puericultura e da utilização do instrumento já presente na CSC.

Biografia do Autor

Ana Ravenna Sales Soares, Escola de Saúde Pública do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.
Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade da Residência Integrada em Saúde da Escola de Saúde Pública do Ceará (RIS-ESP/CE), Brasil.
Edna Jéssica Lima Gondim, Escola de Saúde Pública do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.
Fisioterapeuta, pela Universidade Federal do Ceará (UFC); Mestranda em Saúde da Mulher e da Criança, pela UFC, Brasil.
Gisele Maria Melo Soares Arruda
Fisioterapeuta graduada, pela Faculdade Estácio do Ceará. Doutoranda em Saúde Coletiva, pela Universidade Federal do Ceará, Brasil.
Thiago Brasileiro de Vasconcelos, 1. Escola de Saúde Pública do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil. 2. Centro Universitário Católica de Quixadá, Quixadá, CE, Brasil.
Fisioterapeuta, pela Faculdade Estácio do Ceará. Doutorando em Farmacologia, pela Universidade Federal do Ceará. Centro Universitário Católica de Quixadá, Brasil.

Referências

AMORIM, R. H. C. et al. Acompanhamento do recém-nascido de risco. Temas de neuropediatria. Belo Horizonte: [s.n], 2005.

BISCEGLI, T.S.; POLIS, L. B.; SANTOS, L. M.; VICENTIN, M. Avaliação do estado nutricional e do desenvolvimento neuropsicomotor em crianças frequentadoras de creche. Rev Paul Pediatr., v. 25, n. 4, p. 337-342, 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica. Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Humanização do parto e do nascimento. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2014. (Cadernos Humaniza SUS, v. 4).

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Coordenação-Geral de Saúde da Criança e Aleitamento Materno. Caderneta de saúde da criança: menino: passaporte da cidadania. 10. ed. Brasília; Ministério da Saúde, 2015. 92p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: nutrição infantil - aleitamento materno e alimentação complementar. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada. Manual de normas técnicas e rotinas operacionais do Programa Nacional de Triagem Neonatal. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2004. (Série A. Normas e Manuais Técnicos).

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2002. 100 p. (Série Cadernos de Atenção Básica; n. 11).

CEARÁ. Secretaria de Saúde do Ceará. Nota técnica: vigilância das manifestações neurológicas do Ceará. Ceará, 2016.

CENTER FOR DISEASE CONTROL. Prevalence of autism spectrum disorder among children aged 8 years: autism and developmental disabilities monitoring network. United States, 2010. Morbidity and Mortality Weekly Report Surveillance Summary, v. 63, n. 2, p. 1-22, 2014.

CUSTÓDIO, Z. A. O.; CREPALDI, M. A.; CRUZ, R. M. Desenvolvimento de crianças nascidas pré-termo avaliado pelo teste de Denver-II: revisão da produção científica brasileira. Psicol Reflex Crit (Porto Alegre), v. 25, n. 2, p. 400–406, 2012.

DORNELAS, L. F.; DUARTE, N. M. C.; MAGALHÃES, L. C. Atraso do desenvolvimento neuropsicomotor: mapaconceitual, definições, usos e limitações do termo. Rev Paul Pediatr., v. 33, n. 1, p. 88-103, 2015.

GAIVA, M. A. M.; SILVA, F. B. Caderneta de saúde da criança: revisão integrativa. Revista de Enfermagem, v. 8, n. 3, p. 742-749, 2014.

HALPERN, R.; BARROS, A. J. D.; MATIJASEVICH, A.; SANTOS, I. S.; VICTORA, C. G.; BARROS, F. C. Developmental status at age 12 months according to birth weight and Family income: a comparison of two Brazilian birth cohorts. Cad Saúde pública. v. 24, n. 3, p. 444-450, 2008.

HILÚ, M. R. P. B.; ZEIGELBOIM, B. S. O conhecimento, a valorização da triagem auditiva neonatal e a intervenção precoce da perda auditiva. Rev CEFAC, v. 9, n. 4, p. 563-570, 2007.

LEITE, G. B.; BERCINI, L. O. Caracterização das crianças atendidas na puericultura do programa saúde da família do município de Campo Mourão, Paraná, em 2003. Cienc. cuid. Saúde., v. 4, n. 3, p. 224-230, 2005.

LIMA, A. K. P.; LIMA, A. O. Perfil do desenvolvimento neuropsicomotor e aspectos familiares de crianças institucionalizadas na cidade de Recife. Rev CES Psicol., v. 5, n. 1, p. 11-25, 2012.

LIMA, S. S.; CAVALCANTE, L. I. C.; COSTA, E. F. Triagem do desenvolvimento neuropsicomotor de crianças brasileiras: uma revisão sistemática da literatura. Fisioter Pesqui., v. 23, n. 3, p. 336-342, 2016.

LONDRINA. Prefeitura do Município. Autarquia Municipal de Saúde. Saúde da criança: protocolo. 1. ed. Londrina, PR, 2006.

MELLO FILHO, J.; SILVEIRA, L. M. C. Consulta Conjunta: uma estratégia de capacitação para a atenção integral à saúde. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 29, n. 2, p. 147-151, 2005.

OLIVEIRA, W. K.; COELHO, G. E.; FRANÇA, G. V. A. Boletim Epidemiológico: situação epidemiológica de ocorrência de microcefalias no Brasil, 2015. Bol. Epidemiológico da SVS/MS, v. 46, n. 34, p. 1-3, 2015.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Relatório da Organização Mundial da Saúde sobre determinantes sociais da saúde. Genebra: OMS, 2008.

RAMOS, A. D.; MORAIS, R. L. S. Vigilância do desenvolvimento neuropsicomotor de crianças de um programa DST/AIDS. Fisioter Pesqui., v. 18, n. 4, p. 371-376, 2011.

REGALADO, M.; HALFON, N. Primary Care Services Promoting Optimal Child Development from birth to age 3 years. Archives of Pediatrics & Adolescent Medicine, v. 155, n. 12, p. 1311-1322, 2001.

SACCANI, R.; BRIZOLA, E.; GIORDANI, A. P.; BACH, S.; RESENDE, T. L.; ALMEIDA, C. S. Avaliação do desenvolvimento neuropsicomotor em crianças de um bairro da periferia de Porto Alegre. Sci Med (Porto Alegre), v. 17, n. 3, p. 130-137, 2007.

SCHULER-FACCINI, L. et al. Possible association between ZIKV vírus infection and microcephaly – Brazil, 2015. MMWR Morb Mortal Wkly Rep., n. 65, p. 59–62, 2016.

SHONKOFF, J. P.; BOYCE, W. T.; MCEWEN, B. S. Neuroscience, molecular biology and the childhood roots of health disparities: building a new framework for health promotion and disease prevention. The Journal of the American Medical Association, v. 301, p. 2252-2259, 2009.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA (SBP). Indicadores de risco para distúrbios no DNPM. 2000.

ZEPONNE, S. C.; VOLPON, L. C.; CIAMPO, L. A. D. Monitoramento do desenvolvimento infantil realizado no Brasil. Rev Paul Pediatr., 30, n. 4, p. 594-599, 2012.

Publicado
2018-02-12
Seção
Artigos Originais