O PERFIL SOCIOECONÔMICO E CLÍNICO DE PACIENTES MATRICULADOS NO PROGRAMA HIPERDIA EM BELÉM (PA)

  • Anderson Afonso do Amaral Universidade do Estado do Pará
  • Beatriz do Nascimento Leal Universidade do Estado do Pará
  • Cristal Ribeiro Mesquita Instituto Evandro Chagas
  • Laura Maria Vidal Nogueira Universidade do Estado do Pará
  • Renata Rodrigues Secretaria de Saúde do Município de Belém-PA
Palavras-chave: Hipertensão, Atenção primária a saúde, Saúde pública

Resumo

Analisar o perfil socioeconômico e clínico de pacientes hipertensos matriculados na Estratégia Saúde da Família, do bairro do Parque Verde, no programa HiperDia, em Belém, Pará, Brasil. Estudo transversal, descritivo, observacional, de natureza quantitativa. A amostra do estudo foi selecionada por amostragem não probabilística por conveniência constituída por 75 pacientes cadastrados no programa; foi aplicado um questioná­rio, no período de outubro e novembro/2015, que constou de variáveis de caráter socioeconômico e dados clínicos. Dos 75 hipertensos, 65% são do sexo feminino, 58% se encontram na faixa etária de 60 anos ou mais e 42% na faixa etária de 30 a 59 anos, 45% são casados, 61% recebem até um salário mínimo, 68% com ensino fundamental incompleto. O perfil dos hipertensos da pesquisa não difere de estudos nacionais e locais. Dessa forma, é possível observar a necessidade de implementar ações de promoção à saúde, visando direcionar práticas para melhorar a qualidade de vida da população.

Biografia do Autor

Anderson Afonso do Amaral, Universidade do Estado do Pará
Enfermeiro. Universidade do Estado do Pará (UEPA), Belém (PA) Brasil
Beatriz do Nascimento Leal, Universidade do Estado do Pará
Enfermeira. Universidade do Estado do Pará (UEPA), Belém (PA) Brasil
Cristal Ribeiro Mesquita, Instituto Evandro Chagas
Enfermeira. Mestre em Epidemiologia e Vigilância em saúde. Instituto Evandro Chagas. Belém (PA)Brasil.
Laura Maria Vidal Nogueira, Universidade do Estado do Pará
Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Docente na Universidade do Estado do Pará (UEPA), Belém (PA) Brasil.
Renata Rodrigues, Secretaria de Saúde do Município de Belém-PA
Enfermeira. Especialista em Saúde do Trabalho. Belém (PA) Brasil.

Referências

Sociedade Brasileira de Cardiologia. Sociedade Brasileira de Hipertensão. Sociedade Brasileira de Nefrologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol 2010;95(1 supl.1):1-51.

Lima HN, Gonçalves ARR, Silva AL, Olivo AF, Miura TY, Martins L. O Entendimento do Paciente sobre Hipertensão Arterial: uma Análise com Base no Risco Cardiovascular. Internacional Journal of Cardiovascular Sciences. 2015;28(3):181-88.

Velasco IT, Neto AS, Martins HS, Neto RAB. Emergências clínicas: Abordagem prática. Manole. 2014;9.

Siqueira DS, Riegel F, Tavares JP, Crossetti MGO, Goes MGO, Arruda LS. Caracterização dos pacientes atendidos com crise hipertensiva num hospital de pronto socorro. Rev Enf Ref. 2015;4(5).

Carvalho MV, Siqueira LB, Sousa ALL, Jardim PCBV. A Influência da Hipertensão Arterial na Qualidade de Vida. Arq Bras Cardiol. 2013;100(2):164-74.

Silva MAM, Rivera IR, Santos ACS, Barbosa CF, Filho CASO. Crise Hipertensiva, Pseudocrise Hipertensiva e Elevação Sintomática da Pressão Arterial. Rev Bras Cardiol. 2013;26(5):329-36.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Cavalcanti FCR, Gomes ET, Veiga EV, Bezerra SMMS. Perfil de saúde e avaliação da qualidade de vida de hipertensos pelo instrumento específico Minichal-Brasil. Rev Enferm UFPE on line. 2013;7(12):6732-40.

Freitas LC, Rodrigues GM, Araújo FC, Falcon EBS, Xavier NFX, Lemos ELC, et al. Perfil dos hipertensos da Unidade de Saúde da Família Cidade Nova 8, município de Ananindeua-PA. Rev bras med fam comunidade. Florianópolis. 2012;7(22).

Lima TM, Soler O, Meiners MMMA. Perfil de adhesión al tratamiento de pacientes hipertensos atendidos en la Unidad Municipal de Salud de Fátima, em Belém, Pará, Amazonía, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude. 2010; 1(2):311-8.

Pereira C, Marinho M, Cassola T, Seerig AP, Mussoi TD, Blümke AC. Perfil epidemiológico de hipertensos e diabéticos em uma Estratégia da Saúde da Família de Santa Maria/RS. Disciplinarum Scientia. Série: Ciências da Saúde. 2014;15(2):195-203.

Ferreira LN, Costa MC, Sousa JT. Perfil sociodemográfico e variáveis clínicas dos Hipertensos atendidos na clinica escola de fisioterapia da ESB. Rev. Saúde. Com. 2011;7(1):23-32.

Silva SSBE, Oliveira SFSB, Pierin AMG. The control of hypertension in men and women: a comparative analysis. Rev Esc Enferm USP. 2016;50(1):50-8.

Cenatti JL, Lentsck MH, Prezotto KH, Pilger C. Caracterização de usuários hipertensos de uma Unidade Básica de Saúde da Família. Revista de Enfermagem e Atenção à Saúde. 2013; 2(1):21-31.

Vieira LB, Cassiani SHB. Avaliação da Adesão Medicamentosa de Pacientes Idosos Hipertensos em Uso de Polifarmácia. Rev Bras Cardiol. 2014;27(3):195-202.

Toledo TR, Romão MMS, Crespo JMRS, Soares AC. Abordagem farmacoepidemiológica dos pacientes hipertensos frequentadores de uma drogaria de um município de Minas Gerais. Revista Científica Da Faminas. 2013;9(1).

Ribeiro IJS, Boery RNSO, Casotti CA, Freire IV, Teixeira JRB, Boery EN. Prevalência e fatores associados à adesão ao tratamento medicamentoso por pacientes com hipertensão arterial. Revista Baiana de Enfermagem, Salvador. 2015;29(3):250-60.

Publicado
2018-08-30
Seção
Artigos Originas - Promoção da Saúde