FRAGILIDADE DE IDOSOS RIBEIRINHOS AMAZÔNICOS: DAS TRAJETÓRIAS METODOLÓGICAS AOS DESAFIOS EM SAÚDE PÚBLICA

  • Rodolfo Gomes Nascimento UFPA
  • Ronald Oliveira Cardoso UFPA
  • Denise da Silva Pinto ufpa
  • Celina Maria Colino Magalhães ufpa
Palavras-chave: Métodos, Pesquisa empírica, Idoso fragilizado, Amazônia, Características culturais.

Resumo

Este estudo tem como objetivo descrever as particularidades teórico-metodológicas e discutir as experiências vivenciadas no processo de pesquisa sobre fragilidade biológica e condições de saúde de idosos ribeirinhos amazônicos. A pesquisa descritiva, de abordagem qualiquantitativa, realizada em 19 ilhas do município de Cametá, Pará, envolveu 108 idosos e permitiu alcançar tanto as proposições diretas sobre os marcadores de fragilidade e de saúde multidimensional, quanto os aspectos subjetivos referentes às particularidades do contexto histórico-cultural. A trajetória percorrida pelos pesquisadores nesse desafio foi marcada, especialmente, por uma arreigada estruturação metodológica, direcionada ao contexto peculiar da pesquisa, desde a inserção ecológica dos pesquisadores, ponto-chave para a concretização do arcabouço metodológico e do período de coleta de dados até a elaboração das propostas norteadoras em saúde pública considerando, sobretudo, as particularidades dos modelos de cuidado vigentes nessas comunidades amazônicas.

Biografia do Autor

Rodolfo Gomes Nascimento, UFPA
Universidade Federal do Pará - UFPA Brasil.
Ronald Oliveira Cardoso, UFPA
Universidade Federal do Pará - UFPA Brasil.
Denise da Silva Pinto, ufpa
Universidade Federal do Pará - UFPA Brasil.
Celina Maria Colino Magalhães, ufpa
Universidade Federal do Pará - UFPA Brasil.

Referências

Nascimento RG, Magalhães, CMC. Fragilidade e Condições de Saúde de Idosos Ribeirinhos da Amazônia: Indicadores epidemiológicos e aspectos subjetivos. Belém. Tese [Doutorado em Teoria e Pesquisa do Comportamento] - Universidade Federal do Pará; 2017.

Mello AC, Engstrom EM, Alves LC. Fatores sociodemográficos e de saúde associados à fragilidade em idosos: uma revisão sistemática de literatura. Cadernos de Pública. 2014; 30(6): 1-25.

Neri AL et al. Metodologia e perfil sociodemográfico, cognitivo e de fragilidade de idosos comunitários de sete cidades brasileiras: Estudo FIBRA. Cadernos de SaúdePública. 2013; 29(4): 778-792.

Fried LP et al. Frailty in older adults: evidence for a phenotype. The Journals of Gerontology Series A: Biological Sciences and Medical Sciences. 2001; 56(3): M146-M157.

Ferrucci L et al. Designing randomized, controlled trials aimed at preventing or delaying functional decline and disability in frail, older persons: a consensus report. Journal of the American Geriatrics Society. 2004; 52(4): 625-634.

Fried LP et al. Untangling the concepts of disability, frailty, and comorbidity: implications for improved targeting and care. The Journals of Gerontology Series A: Biological Sciences and Medical Sciences. 2004; 59(3): M255-M263.

Baltes PB. On the incomplete architecture of human ontogeny: Selection, optimization, and compensation as foundation of developmental theory. American psychologist. 1997; 52(4): 366.

Baltes PB. Theoretical propositions of life-span developmental psychology: On the dynamics between growth and decline. Developmentalpsychology. 1987; 23(5): 611.

Mendes LSA et al. Inserção ecológica no contexto de uma comunidade ribeirinha amazônica. InteramericanJournalofPsychology . 2008; 42(1):1-10.

Afonso T et al. O uso do diário de campo na inserção ecológica em uma família de uma comunidade ribeirinha amazônica. Psicologia & Sociedade. 2015; 27(1): 131-141.

Silva SSC et al. Avaliação de Famílias Ribeirinhas: Uma Proposta Adaptada ao Contexto. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, 2011; 4(2): 253-263.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Censo Demográfico de 2010.

Silva SSC et al. Rotinas familiares de ribeirinhos amazônicos: uma possibilidade de investigação. Psic.: Teor. e Pesq. 2010; 26(2): 341-350.

Neri AL. Fragilidade e qualidade de vida na velhice. Campinas: Editora Alínea; 2013.

Rauchbach R, Wendling NMS. Evolução da construção de um instrumento de avaliação do nível de atividade física para idosos curitibativa. FIEP Bulletin online. 2009; 79: 543-47.

Araújo MPD. A organização do trabalho pedagógico em escolas multisseriadas no Município de Cametá [Dissertação]. Belém (PA): Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Pará; 2012.

Curcio CL, Henao GM, Gomez F. Frailtyamong rural elderlyadults. BMC geriatrics, 2014; 14(1): 1-9

Cohen-Carneiro et al. Oferta e utilização de serviços de saúde bucal no Amazonas, Brasil: estudo de caso em população ribeirinha do Município de Coari. Cadernos de Saúde Pública. 2009; 25(8):1827-1838.

Jung, HW et al. Prevalence of frailty and aging-related health conditions in older Koreans in rural communities: a cross-sectional analysis of the aging study of Pyeongchang rural area. Journal of Korean medical Science, 2016; 31(3): 345-352.

Reis Junior WM et al. Pré-fragilidade e fragilidade de idosos residentes em município com baixo Índice de Desenvolvimento Humano. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 2014, 22(4): 654-661.

Zazzetta MS et al. Identifying frailty levels and associated factors in a population living in the context of poverty and social vulnerability. Journal of frailty and aging, 2017, 6(1): 29-32.

Brito-Marques PRD, Cabral-Filho JE. Influence of age and scholing on the performance in a modified Mini-Mental State Examination version: a study in Brazil Northeast. Arquivos de Neuro-psiquiatria. 2005; 63(3A): 583-587.

Brito-Marques PRD, Cabral-Filho JE. The role of education in mini-mental state examination: a study in Northeast Brazil. Arquivos de Neuro-psiquiatria. 2004; 62(2A): 206-211.

Macuco CM et al. Cognição e fragilidade. In: Neri AL, Fragilidade e qualidade de vida na velhice. Campinas, SP: Editora Alínea; 2013. p. 85-98.

Bertolucci PH et al. O mini-exame do estado mental em uma população geral: impacto da escolaridade. Arquivos de Neuro-psiquiatria. 1994; 25(1):1-7.

Silva KRD. Prevalência de Síndrome da fragilidade em idosos da área urbana do município de Coari-Amazonas: um estudo de base populacional. [Dissertação]. Manaus (AM): Mestrado em saúde, sociedade e endemias na Amazônia da Universidade Federal do Amazonas; 2016.

Ainsworth BE et al. Compendium of physical activities: an update of activity codes and MET intensities. Medicine and science in sports and exercise, 2000; 32(9): S498-S504.

Moraes END et al. Clinical-Functional Vulnerability Index-20 (IVCF-20): rapid recognition of frail older adults. Revista de saúde pública, 2016, 50(81): 1-10.

Maia FOM et al. Adaptação transcultural do VulnerableElders Survey-13 (VES-13): contribuindo para a identificação de idosos vulneráveis. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 2012, 46: 116-122.

Publicado
2019-08-23
Seção
Artigos Originas - Promoção da Saúde