AUTOESTIMA E ASPECTOS SOCIOEMOCIONAIS EM PACIENTES DE CIRURGIA ORTOGNÁTICA: PROPOSTAS DE ANÁLISE PSICOLÓGICA

  • Matheus Sousa de Macena Acadêmico do curso de Psicologia da Universidade Tiradentes, Aracaju (SE), Brasil.
  • Letícia Dultra de Faro Menezes Acadêmica do curso de Psicologia da Universidade Tiradentes, Aracaju (SE), Brasil.
  • Marcelo Rodrigo de Souza Melo Especialista em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial pelo Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial, São Paulo (SP), Brasil.
  • Lívia de Melo Barros Docente no curso de Psicologia da Universidade Tiradentes, Aracaju (SE), Brasil.
Palavras-chave: Cirurgia ortognática, Impacto psicossocial, Autoestima.

Resumo

A pesquisa objetivou investigar a autoestima e os aspectos socioemocionais de pacientes com deformidades dentofaciais submetidos à cirurgia ortognática. Disponibilizamos um questionário da plataforma Google Docs em um grupo de uma rede social composto por pessoas com interesses em comum no tema. Houve 120 respostas no total e, em geral, elas revelaram que houve aumento de autoestima nos pacientes (média geral subiu de 4,58 para 8,33) e melhora significativa em fatores funcionais, sociais e psicológicos. Contudo, existe a possibilidade de frustração para alguns sujeitos submetidos ao procedimento, oriundo das expectativas perante a cirurgia, especialmente no âmbito estético. A cirurgia ortognática é uma alternativa considerável no tratamento de deformidades dentofaciais e de seus agravos, porém, diante da pluralidade de resultados e reações, infere-se a importância de acompanhamento psicológico no pré e pós-cirúrgico, como forma de preparo para a cirurgia e de adaptação aos resultados do procedimento.

Biografia do Autor

Matheus Sousa de Macena, Acadêmico do curso de Psicologia da Universidade Tiradentes, Aracaju (SE), Brasil.
Aluno de iniciação científica. Acadêmico do curso de Psicologia da Universidade Tiradentes, Aracaju (SE), Brasil.
Letícia Dultra de Faro Menezes, Acadêmica do curso de Psicologia da Universidade Tiradentes, Aracaju (SE), Brasil.
Aluna de iniciação científica. Acadêmica do curso de Psicologia da Universidade Tiradentes, Aracaju (SE), Brasil.
Marcelo Rodrigo de Souza Melo, Especialista em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial pelo Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial, São Paulo (SP), Brasil.
Graduado em Odontologia pela Universidade Federal de Sergipe e Especialista em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial pelo Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial, São Paulo (SP), Brasil.
Lívia de Melo Barros, Docente no curso de Psicologia da Universidade Tiradentes, Aracaju (SE), Brasil.
Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (RS). Docente no curso de Psicologia da Universidade Tiradentes, Aracaju (SE), Brasil.

Referências

Good J, Jones R, Sood V, Kelly C. Can we justify combined orthodontic and orthognathic surgery treatment?. Orthodontic Update. 2018;11(3):100-104.

Cariati P, Martínez R, Martínez-Lara I. Psycho-social impact of orthognathic surgery. Journal of Clinical and Experimental Dentistry. 2016;8(5):540.

Silva S, Teixeira V, Ferreira AP, Ustrell‐Torrent MJ. Autoestima e deformidade dentofacial: um estudo comparativo com a escala de autoestima global de Rosenberg. Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial. 2016;57(3):146-150.

Sena RMC, Maia EMC. A utilização do constructo da autoestima nas pesquisas em saúde no Brasil: contribuições conceituais à prática clínica. Humanidades Médicas. 2017;17(2):383-395.

Dini GM, Quaresma MR, Ferreira LM. Adaptação cultural e validação da versão brasileira da escala de Auto Estima de Rosenberg. Rev. Soc. Bras. Cir. Plást. 2004;19(1):41-52.

Vale V. Do tecer ao remendar: os fios da competência socio-emocional. Exedra. 2009;(2):129-146.

Ambiel RA, Benetti SPC, Moreira TC. Produção científica em avaliação psicológica no contexto educacional: enfoque nas variáveis socioemocionais. Avaliação Psicológica. 2015;14(3):339-346.

Moraes R, Galiazzi MC. Análise textual: discursiva. Editora Unijuí. 2007.

Susarla SM, Tveit M, Dodson TB, Kaban LB, Hopper RA, Egbert MA. What are the defining characteristics of the most cited publications in orthognathic surgery?. International Journal of Oral and Maxillofacial Surgery. 2018;47(11):1411-1419.

Broers DL, Heijden GJ, Rozema FR, Jongh A. Do patients benefit from orthognathic surgery? A systematic review on the effects of elective orthognathic surgery on psychosocial functioning and patient satisfaction. European Journal of Oral Sciences. 2017;125(6):411-418.

Matos CCD, Rosa MEK, Figueiredo SEFMR, Barbosa DFM. Cirurgia ortognática e a imagem corporal. Rev. Odontol. Univ. Cid. São Paulo. 2015;27(1): 20-25.

Coelho FD, Carvalho PHB, Fortes LDS, Paes ST, Ferreira MEC. Insatisfação corporal e influência da mídia em mulheres submetidas à cirurgia plástica. Rev. Bras. Cir. Plást. 2015;30(4):567-573.

Jensen SH. The psychosocial dimensions of oral and maxillofacial surgery: a critical review of the literature. Journal of Oral Surgery. 1978;36(6):447-453.

Silva DR, Herzberg E. Desenho da Figura Humana: avaliação da imagem corporal na deficiência física. Aval. Psicol. 2017;16(1):106-115.

BarelI PS, SousaI CS, PovedaI VB, TurriniI RNT. Ansiedade e conhecimento de pacientes submetidos a cirurgia ortognática no pré-operatório. Revista Brasileira de Enfermagem. 2018;71:2206-2211.

Pachêco-Pereira C, Abreu LG, Dick BD, Canto GL, Paiva SM, Flores-Mir C. Patient satisfaction after orthodontic treatment combined with orthognathic surgery: A systematic review. The Angle Orthodontist. 2016;86(3):495-508.

Pereira RMA, Souza GMMD, Rocha VADC, Morimoto S, Tedesco TK, Mello-Moura ACV. Evaluation of the Post Orthognathic Surgery Satisfaction: a Comparative Cross-Sectional Study of Patients Class II and III. Journal of Craniofacial Surgery. 2017;28(7):1833-1836.

Rodrigues JC. Tabu do corpo. São Paulo: Fiocruz; 2006.

Carvalho SR, Guerra EM. Corpo, sociedade e construção de identidade. Ces Revista. 2015;29(2):50-66.

Vaz AC, André BP. O sentimento de pertencimento de alunos do bairro da rasa em armação dos Búzios/RJ. Inter Science Place. 2016;11(4):170-194.

American Psychiatric Association. DSM-5: Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. Porto Alegre: Artmed; 2014.

Santos LF, Pires EU. Fobia social em adolescentes: repercussões acadêmicas. Revista de Psicologia da IMED. 2016;8(2):172-184.

Carvalho L, Melo J, Cavalcante T. Cirurgia ortognática e seus efeitos na harmonia facial: revisão de literatura. Revista da AcBO. 2019;8(1):61-64.

Ribeiro RA, Enumo SRF. Estresse e estratégias de enfrentamento da fissura labiopalatina por pré-adolescentes. Saúde e Pesquisa. 2018;11(2):267-276.

Sousa A. Psychological issues in oral and maxillofacial reconstructive surgery. British Journal of Oral and Maxillofacial Surgery. 2008;46(8):661-664.

Atay A, Peker K, Günay Y, Ebrinç S, Karayazgan B, Uysal Ö. Assessment of health-related quality of life in Turkish patients with facial prostheses. Health and Quality of Life Outcomes. 2013;11(1):11-19.

Flores AC. Avaliação psicológica para cirurgia bariátrica: práticas atuais. Arq Bras Cir Dig. 2014;27(1):59-62.

Silva FG, Silva TCS, Nunes IFR, Costa LOC, Carneiro EB. Avaliação psicológica no pré-operatório para cirurgia bariátrica: uma revisão sistemática. Psicol. & Conexões [periódicos na Internet]. 2019 [acesso em 1 julho 2019];1(2). Disponível em: http://revistapuca.estacio.br/index.php/psicologiaesuasconexoes/article/viewArticle/6663.

Publicado
2019-10-21
Seção
Artigos Originas - Promoção da Saúde