<b>Diagnóstico Molecular de M. tuberculosis: Uma Revisão de Técnicas

  • Sara Macente Cesumar
  • Fernando Henrique das Mercês Ribeiro Cesumar
Palavras-chave: M. tuberculosis, PCR, LCR, Diagnóstico Molecular, Molecular Diagnosis.

Resumo

A Tuberculose é a doença infecto-contagiosa mais grave em países em desenvolvimento, com cerca de três milhões de óbitos no mundo, infectando 8,8 milhões de pessoas anualmente. Esta doença acomete pessoas aparentemente saudáveis e é de extrema gravidade em pessoas imunossuprimidas. O diagnóstico definitivo da tuberculose é feito através da baciloscopia e cultura em meio Lowenstein-Jensen, seguido de uma bateria de provas bioquímicas para a identificação da espécie causadora da infecção. Porém, estas técnicas apresentam baixas sensibilidade e especificidade e um alto tempo para a liberação dos resultados. O desenvolvimento rápido e disponibilidade de uma variedade de novas tecnologias moleculares proporcionam uma série de opções para o diagnóstico preciso e rápido de doenças infecciosas. Este é particularmente o caso da tuberculose. Portanto, a aplicação clínica de detecção e amplificação de sequências nucleotídicas específicas do Mycobacterium tuberculosis para diagnóstico de rotina é importante e precisa ser discutida. Será focalizado o papel laboratorial de duas técnicas para o diagnóstico direto da tuberculose – PCR e LCR –, comparando-as para verificação de sua eficácia na rotina laboratorial.

Biografia do Autor

Sara Macente, Cesumar
Mestranda no Programa de Biociências Aplicadas à Farmácia na Universidade Estadual de Maringá - Uem. E-mail: sara_mascente@hotmail.com
Fernando Henrique das Mercês Ribeiro, Cesumar
Coordenador do curso de Biomedicina do Centro Universitário de Maringá – CESUMAR. E-mail: fernandoribeiro@cesumar.br
Publicado
2009-08-12
Seção
Artigos de Revisão