O CONFLITO NA SOCIEDADE MODERNA E A CULTURA DO ROMPIMENTO COM O OUTRO: POR QUE A GUERRA?

Charlise Paula Colet Gimenez

Resumo


O presente artigo tem por objetivo pesquisar acerca da relação irritante entre indivíduo e sociedade por meio da abordagem do papel social, analisando-se a fragilidade das relações humanas, bem como a institucionalização dos conflitos a partir da relação entre o direito e o conflito. Para o desenvolvimento do trabalho, adota-se o método de abordagem hipotético-dedutivo, enquanto que o método de procedimento é bibliográfico. Desse modo, a problemática centra-se no questionamento “por que a guerra?”, realizado pelo físico Albert Einstein em uma carta enviada a Sigmund Freud, para compreender a razão da humanidade e da violência estarem lado a lado no decorrer da história. Encontra-se, nesse ponto, a preocupação do futuro da sociedade: transmitir a compaixão e a solidariedade para além dos muros da sua própria casa, distanciando-se do discurso belicoso e armamentista, cuja violência do conflito empodera o vencedor e perpetua o estado de guerra entre os seres humanos.

Palavras-chave


Conflito; Direito; Relações humanas; Guerra; Paz.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Zygmunt. Identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

BRASIL. DECRETO Nº 30.822, DE 6 DE MAIO DE 1952. Promulga a convenção para a prevenção e a repressão do crime de Genocídio, concluída em Paris, a 11 de dezembro de 1948, por ocasião da III Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas.

CORREIA, S. Políticas da memória da I Guerra Mundial em Portugal, 1918-1933. 2011. 523 f. Tese (Doutorado em História) - Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2011.

COSER, Lewis. Nuevos aportes a la teoria del conflicto social. Trad. María Rosa Viganó. Buenos Aires: Amorrortu editors, 1967.

CUMMINS, Joseph. As Maiores Guerras da História. Os Conflitos Épicos que delinearam o mundo moderno. Trad. Vania Cury. Rio de Janeiro: Ediouro, 2012.

DAHRENDORF, Ralf. Homo Sociologicus: ensaio sobre a história, o significado e a crítica da categoria social. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1969.

________. O Conflito Social Moderno. Um ensaio sobre a política da liberdade. Trad. Renato Aguiar e Marco Antonio Esteves da Rocha. São Paulo: Edusp, 1992.

DEUTSCH, Morton. A resolução do conflito: processos construtivos e destrutivos. In: Estudos em Arbitragem, Mediação e Negociação. Volume 3. André Gomma de Azevedo (Org.). Brasília: Grupo de Estudos, 2004. p. 29-100.

EINSTEIN, Albert; FREUD, Sigmund. Um diálogo entre Einstein e Freud – por que a guerra? Santa Maria: FADISMA, 2005.

FREUND, Julien. Sociologia del conflito. Traducción de Juan Guerrero Roiz de la Parra. Madrid: Ministerio da Defesa, Secretaría General Técnica. D.L., 1995.

HALL, Stuart. A Identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. Rio de Janeiro: Lamparina, 2014.

MARTINS, José de Souza. Exclusão social e a nova desigualdade. São Paulo: Paulius, 1997.

MULLER, Jean-Marie. O Princípio de não-violência. Percurso Filosófico. Lisboa: Instituto Piaget, 1995.

NASCIMENTO, Larissa Silva. Para além das cercas de arame farpado: o Holocausto em Maus, de Art Spiegelman, e em Os emigrantes, de W. G. Sebald. 2012. 112 f. il. Dissertação (Mestrado em Literatura) — Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

NORMAN, Philip. John Lennon. A vida. Trad. Roberto Muggiati. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

QUINTANA, Mario. Os Melhores Poemas de Mario Quintana. São Paulo: Global Editora, 1992.

RESTA, Eligio. Percursos da Identidade. Uma abordagem jusfilosófica. Trad. Doglas Cesar Lucas. Ijuí: editora Unijuí, 2014.

RICOTTA, Giuseppe. Sicurezza e Conflitto Urbano: Tra Mediazione ed Esclusione Sociale. In: Mediação de Conflitos & Justiça Restaurativa. (Orgs.) Fabiana Marion Spengler e Marli Marlene Moraes da Costa. Curitiba: Multideia, 2013. pp. 73-98.

SANTOS, André Leonardo Copetti dos.; LUCAS, Doglas Cesar. A (In)Diferença no Direito. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2015.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para uma revolução democrática da justiça. 3. Ed. São Paulo: Cortez Editora, 2011.

SILVA, Tomaz Tadeu da. A Produção Social da Identidade e da Diferença. In: Identidade e diferença. A perspectiva dos Estudos Culturais. Trad. Tomaz Tadeu da Silva. Petrópolis: Editora Vozes, 2012.

SIMMEL, Georg. Questões fundamentais da sociologia: indivíduo e sociedade. Trad. Pedro Caldas. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

________. Sociologia. Trad. Carlos Alberto Pavanelli et. al. São Paulo: Ática, 1983.

SMITH, Peter D. Os Homens do Fim do Mundo. Trad. José Viegas Filho. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

SPENGLER, Fabiana Marion. Fundamentos Políticas da Mediação Comunitária. Ijuí: editora Unijuí, 2012.

WERMUTH, Maiquel Ângelo Dezordi. Por que a guerra?: de Einsten e Freud à atualidade. Santa Cruz do Sul: Essere nel Mondo, 2015.

WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: Identidade e diferença. A perspectiva dos Estudos Culturais. Trad. Tomaz Tadeu da Silva. Petrópolis: Editora Vozes, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9184.2017v17n2p533-560

Indexado
REDIB; Sumários.Org; DOAJ; Ulrich’s International Periodicals Directory; Latindex; RVBI

Revista Jurídica Cesumar - Mestrado
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1677-6402 Impressa
ISSN 2176-9184 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.