A Influência da Alimentação na Redução ou no Agravamento dos Sintomas Apresentados em Pacientes Portadores de Fibromialgia

Larissa Renata Siena, Lucievelyn Marrone

Resumo


Objetivo: verificar o impacto da alimentação sobre a fibromialgia. Métodos: foram entrevistados todos os pacientes do sexo feminino atendidos às terças-feiras, quartas-feiras e quintas-feiras no período vespertino, de janeiro a março de 2008 no CISMEPAR (Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema). Resultados: foram analisados 50 pacientes; destes 66% estavam acima do peso, depressão (86%), cansaço (80%), dor (94%) e corpo travado (96%). Verificou-se alto consumo de café em 68% dos entrevistados, baixo consumo de azeite de oliva 52% e pouco consumo de peixe. Dos entrevistados, 45% consomem pelo menos um bife por dia, a maioria dos pacientes não consome soja (78%), 84% dos pacientes não sentem diferença nas dores ao ingerir proteína animal e 96% não sentem diferença quando ingerem a proteína vegetal. Conclusões: independentemente da quantidade de carne ingerida, os pacientes não sentiram uma piora dos sintomas e não houve relatos de melhora com o consumo de proteína vegetal, porém os pacientes relataram consumir diariamente alimentos fontes de proteína animal e raramente alimentos de origem vegetal. A escolha dos alimentos e a qualidade são importantes; o alimento pode tanto amenizar quanto agravar os sintomas.

Palavras-chave


Fibromialgia; Alimentação; Sinais e Sintomas.

Texto completo:

Artigo_Pdf


Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1983-1870 Impressa
ISSN 2176-9206 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.