QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES TRANSPLANTADOS RENAIS APÓS LONGO PERÍODO DO TRANSPLANTE

Gabrieli Costa Beber, Paula Caitano Fontela, Gerli Elenise Gehrke Herr, Eliane Roseli Winkelmann

Resumo


O objetivo do estudo foi avaliar a qualidade de vida (QV) de pacientes pós-transplante renal por meio de protocolo genérico e específico. A avaliação da QV foi realizada por meio de protocolo genérico (Medical Outcomes Study 36-Item Short-Form Health Survey - SF-36) e específico (Kidney Disease Quality of Life Short Form - KDQOL-SF). Foram avaliados 24 pacientes. Escores mais baixos foram obtidos nos domínios situação de trabalho (45,6±36,6), papel físico (63,5±42,3), dor (67,0±26,3), composição física (46,8±8,7) e composição mental (48,9±10,8) no protocolo KDQOL; e na saúde mental (53,3±8,2), dor (63,5±26,8), aspecto físico (63,5±42,3) e capacidade funcional (64,4±22,2) no protocolo SF-36. A QV em geral é boa nos pacientes transplantados renais com prejuízo nos domínios referentes às questões físicas, mentais e relacionadas à dor. O protocolo genérico obteve uma pontuação mais baixa que o protocolo específico. Houve correlação entre o questionário de QV específico e o genérico nos domínios correspondentes.

Palavras-chave


Insuficiência Renal Crônica; Transplante de Rim; Qualidade de vida; Avaliação em saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE TRANSPLANTES DE ÓRGÃOS - ABTO. Acessado em 27 de março de 2017. Disponível em: . Acesso em: 2016.

AXELROD, D. A.; MCCULLOUGH, K. P.; BREWER, E. D.; BECKER, B. N.; SEGEV, D. L.; RAO, P. S. kidney and pancreas transplantation in the united states, 1999–2008: the changing face of living donation. Am J Transplant., v. 10, n. 2, p. 987-1002, 2010.

BAKEWELL, A. B.; HIGGINS, R. M.; EDMUNDS, M. E. Does ethnicity influence perceived quality of life of patients on dialysis and following renal transplant? Nephrol Dial Transplant., v.16, p. 1395-401, 2001.

BAROTFI, S.; MOLNAR, M. Z.; ALMASI, C.; KOVACS, A. Z.; REMPORT, A.; SZEIFERT, L.; SZENTKIRALYI, A.; VAMOS, E.; ZOLLER, R.; EREMENCO, S.; NOVAK, M.; MUCSI, I. Validation of the Kidney Disease Quality of Life Short Form questionnaire-kidney transplant patients. J Psychosom Res., v. 60, n. 5, p. 495-504, 2006.

BOHLKE, M.; MARINI, S. S.; ROCHA, M.; TERHORST, L.; GOMES, R. H.; BARCELLOS, F. C.; IRIGOYEN, M. C.; SESSO, R. Factors associated with health-related quality of life after successful kidney transplantation: a population-based study. Qual Life Res., v. 18, n. 9, p. 185-93, 2009.

CICONELLI, R. M.; FERRAZ, M. B.; SANTOS, W.; MEINÃO, I.; QUARESMA, M. R. Tradução para a língua portuguesa e validação do questionário genérico de avaliação de qualidade de vida SF-36 (Brasil SF-36). Rev Bras Reumatol., v. 39, p. 143-50, 1999.

CORNELLA, C.; BRUSTIA, M.; LAZZARICH, E.; COFANO, F.; CERUSO, A.; BARBÉ, M. C.; FENOGLIO, R.; CELLA, D.; STRATTA, P. Quality of life in renal transplant patients over 60 years of age. Transplant Proc., v. 40, p. 1865 6, 2008.

COSTA, J. M.; NOGUEIRA, L. T. Associação entre trabalho, renda e qualidade de vida de receptores de transplante renal no município de Teresina, PI, Brasil. J Bras Nefrol., v. 36, n. 3, p. 332-8, 2014.

DUARTE, O. S.; MIYAZAKI, M. C. O. S.; CICONELLI, R. M.; SESSO, R. Tradução e adaptação cultural do instrumento de avaliação de qualidade de vida para pacientes renais crônicos (KDQOL-SFTM). Rev Assoc Med Bras., v. 49, p. 375-81, 2003.

FARIAS, G. M.; MENDONÇA, A. E. O. Comparando a qualidade de vida de pacientes em hemodiálise e pós transplante pelo “WHOQOL_BREF”. Reme – Rev Min Enferm., v. 13, p. 574-83, 2009.

FERREIRA, P. L.; ANES, E. J. Medição da qualidade de vida de insuficientes renais crônicos: criação da versão portuguesa do KDQOL-SF. Rev Port Saúde Pública., v. 28, p. 31-9, 2010.

GARCIA, G. G.; HARDEN, P.; CHAPMAN, J. The global role of kidney transplantation. J Bras Nefrol., v. 34, p. 1-7, 2012.

LIPPE, N. V. D.; WALDUM, B.; BREKKEL, F. B.; AMRO, A. A. G.; REISÆTER, A. V.; OS, I. From dialysis to transplantation: a 5-year longitudinal study on self-reported quality of life. BMC Nephrology., v. 15, p. 191, 2014.

MARINHO, A.; CARDOSO, S. S.; ALMEIDA, V. V. Geographic disparities in organ transplantation in Brazil. Cad Saúde Pública., v. 26, n. 4, p. 786-96, 2010.

SCHRIER, R. W.; BURROWS-HUDSON, S.; DIAMOND, L.; LUNDIN, P.; MICHAEL, M.; DONALD, L. Measuring, Managing, and Improving Quality in the End-Stage Renal Disease Treatment Setting: Committee Statement. Am J Kidney Dis., v. 24, p. 383-8, 1994.

SIEGAL, B.; GREENSTEIN, S. Compliance and noncompliance in kidney transplant patients: cues for transplant coordinators. J Transpl Coord., v. 9, p. 104-8, 1999.

SIQUEIRA, J. P. F. H. Benefícios decorrentes de auxílio-doença para empregados rurais, urbanos e domésticos: anotações à legislação básica pertinente. Síntese., v. 263, p. 71-86, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/1983-1870.2017v10n1p163-170

Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1983-1870 Impressa
ISSN 2176-9206 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.